Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





Lanço hoje uma sondagem, que irei manter até que os factos justifiquem a sua retirada, sobre a discussão que, finalmente apareceu, da futura divisão administrativa do concelho de Silves. Todos podem votar num dos 4 mapas que criei pensando nas soluções mais lógicas. Podem também fazer-me chegar (usando o formulário na barra da direita) as vossas sugestões para a divisão do concelho.

Na última edição do Jornal "O Algarve" a senhora presidente da Câmara Municipal de Silves declarou que a reorganização do concelho, no seguimento das medidas previstas no plano acordado com a troika, passa por "juntar três freguesias pela sua proximidade: Alcantarilha, Pêra e Armação de Pêra numa só, com sede a decidir". Esta é desde à muito a posição que defendo, só não compreendo o "com sede a decidir". Será que passa pela cabeça da senhora presidente outra sede que não seja Armação de Pêra?! Não creio. Para mim o "com sede a decidir" foi a forma que ela encontrou de diminuir a resistência das populações que vão perder protagonismo, mantendo-as na expectativa até tudo estar cozinhado. Faltou-lhe coragem, foi o que foi.

Mais adiante a senhora presidente diz que a freguesia de São Marcos da Serra sofrerá "uma integração na freguesia de Silves ou São Bartolomeu de Messines". Aqui veio à "tona" toda a sua coragem. Como são menos de 900 os eleitores de São Marcos da Serra (a grande maioria nem sabe o que se passa fora da terra) a senhora presidente não tem pejo em dar a coisa por garantida. Neste aspecto estou contra e espero que as forças políticas da nossa terra façam alguma coisa pelas gentes de São Marcos da Serra. Retirem-lhes a "Estalagem e o Museu do Azeite" mas não lhes retirem a Junta de Freguesia. Para quem não sabe a Junta de Freguesia de São Marcos da Serra, além de todas as tarefas próprias das suas congéneres, desempenha muitos outros papéis vitais para quem vive afastado de tudo. A junta cumpre o papel dos CTT, dos Bombeiros (no combate aos fogos e no transporte de doentes) e em muitos casos é lá que os idosos vão procurar ajuda para tudo o que hoje em dia consideram "modernices".

A avançar a ideia de juntar São Marcos da Serra a uma das duas freguesias referidas estaríamos a criar uma "mega-freguesia" que teria praticamente o dobro da área do concelho e traria uma série de incómodos. De São Bartolomeu de Messines até à Azilheira (no extremo leste da freguesia de São Marcos) distam 35 Km que levam cerca de 50 minutos a ser percorridos. De Silves à Azilheira, pelo caminho mais rápido, são cerca de 50 Km que levam mais de 1 hora a ser percorridos. Já de Tunes ao Algoz, duas freguesias que quanto a mim deveriam ser uma só, distam cerca de 6 Km que podem ser percorridos em menos de 10 minutos, com excelentes acessos. Não podemos olhar apenas para o número de eleitores na tomada destas decisões, é preciso entender o papel social que cada junta de freguesia desempenha na sua região.

Estou certo que muita tinta vai correr ainda no que a este assunto diz respeito. Mas é importante que as pessoas deixem de lado a "sua sardinha" e se concentrem em encontrar uma solução que tenha em conta aqueles que mais desprotegidos estão. Este Blog está veementemente contra a extinção da freguesia de São Marcos da Serra e prometo fazer o que estiver ao meu alcance para evitar tamanha injustiça para com uma terra que foi sempre o "patinho feio" da actual gestão autárquica.

Espero que as restantes forças políticas do concelho entrem na discussão e tornem públicas as suas ideias. O que tenho visto são alguns políticos locais resumir a sua actividade a "colar-se" às causas de associações, cooperativas e grupos de trabalhadores. Essa é a política fácil, normalmente usada a poucos meses de eleições. Toda a gente é a favor que os pescadores de Armação tenham condições de trabalho, que os trabalhadores da ALICOOP vejam a sua situação resolvida ou que os habitantes de Alcantarilha tenham uma farmácia… agora quero ver quando for preciso mostrar determinação, coragem e enfrentar os interesses de alguns. Por aqui se conhecem os políticos… a ver vamos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


14 comentários

Imagem de perfil

De manuelfernandes9 a 22.08.2011 às 03:50

Penso que é ridiculo alterar a situação actual das freguesias no concelho de Silves.Basta verificar os orçamentos e verificar a eficácia e eficiência de todas elas ...Apenas penso que a Ribeira de Odelouca que pertence a S B Messines ficava melhor integrada em São Barnabé -Almodovar,mas as pessoas residentes é que devem decidir.
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 22.08.2011 às 13:12

Caro "Manél",

Quando o pessoal de Pêra e Alcantarilha começar a reivindicar um Estádio Municipal, um Pavilhão ou uma nova escola primária com o argumento de que as outras freguesias também têm (mesmo que do centro de Pêra ao centro de Alcantarilha diste menos de 1 km) quero ver-te lá a explicar porque razão não podem tê-lo... ou pior ainda para todos nós, onde vão construir tais coisas.
Abraço,
Imagem de perfil

De manuelfernandes9 a 23.08.2011 às 00:37

Não concordo com a premissa,muito menos com a inferência e só não ri da conclusão por respeito.
Compreendo a preocupação e estou solidário com os interesses que defende em relação a São Marcos,mas então e o pulsar das outras freguesias...
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 23.08.2011 às 20:03

Caro “Manél”,

Para ser sincero já estava à espera de não conseguir convencer-te recorrendo apenas às minhas idiossincrasias. Convencer-te do que quer que seja não é, de resto, tarefa fácil para ninguém. Entende-o como um elogio porque é nesse sentido que o digo.
Parece-me a mim que todos teríamos a ganhar com um modelo autárquico mais eficiente e ligeiro do que o actual. Pela razão económica, pela razão social, pela razão política e pela razão ética. A extinção do concelho de Silves é, digo-te sinceramente, uma hipótese que não me desagrada, desde que isso signifique maior transparência e melhor qualidade de vida para as pessoas da minha terra. O concelho de Silves está-me no sangue. Sou filho de messinenses, fui criado em São Marcos da Serra e vivo com uma armacenense. Sei bem o que me dói ver como temos sido geridos e também sei que Messines, São Marcos e Armação têm muito mais hipóteses de mudar para melhor se essa mudança começar com uma reforma de fundo no modelo administrativo que temos.
Tens em Silves bons (muito bons até) presidentes de junta, mas também tens maus (muito maus)… os bons haveriam de ter sempre o seu papel nesta terra. Os maus, provavelmente, voltavam para a sueca nos cafés, de onde aliás nunca deveriam ter saído. Prefiro 1000 vezes um bom individuo sobrecarregado de trabalho do que um incompetente e vaidoso encostado ao partido e a gozar com a população.
Manél… não te convenço para já mas espero ainda ter tempo para te provar que a mudança é quase sempre para melhor. Aceita um abraço e desculpa tratar-te por tu!
Sem imagem de perfil

De anonimo a 22.08.2011 às 12:16

Exºº senhor
Acho prematuro colocar esse assunto na ordem do dia pelas várias razões
1- Não se sabe se o concelho de silves vai ser absorvido por lagoa, Portimão, albufeira e até por Monchique e hipoteticamente absorver qualquer um deles.
2- Não se sabe ainda os critérios ( população, geográficos políticos e até interesses pessoais, económicos e sociais) que vão servir de bases para anexação de freguesias.
Penso que V. Exª deveria abordar assuntos mais urgentes para o concelho tal como por exemplo a nível financeiro e económicos do concelho.
Por as pessoas a sofrer por antecipação e desviar a atenção para outros assuntos de 2 importância julgo que não tem qualquer interesse.
Contudo deixo o assunto a sua inteira consideração
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 24.08.2011 às 13:01

Amigo,
Quem fez estas declarações e trouxe o assunto para a praça pública foi a senhora presidente da câmara na semana passada. As frases entre aspas são citações do jornal O Algarve... agora que já sabe o que a CMS pretende fazer pode pensar se concorda ou não... é a isso que se chama debate e troca de ideias.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.08.2011 às 13:11

Exº Senhor
Paulo

Não querendo entrara em polémicas.
Será que isso não é uma forma de desviar atenções de assuntos mais importantes.
Não é prematuro sofrer de dores de parto, sem ainda se conhecer o pai da criança?
Claro que os políticos da oposição e/ou as forças vivas do concelho, é que devem colocar na ordem do dia os assuntos mais importantes.
Claro se o Srº Paulo ou quem quer que seja não falar no assunto. Será o mesmo esquecido.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.08.2011 às 13:04

O milhão de euros que esta medida permitia poupar numa legislatura vai fazer muita falta não tarda.
Sem imagem de perfil

De Zécanastro a 23.08.2011 às 22:24

Já viste manuelfernandes9! Ninguém parece estar interessado em deixar tudo como está? Por acaso não serás o presidente de uma das juntas que vão fechar?
Imagem de perfil

De manuelfernandes9 a 03.09.2011 às 05:03

Remeto as suas observações para a Petição nº 97/IX/2ª.
Sem imagem de perfil

De INFARMED a 25.08.2011 às 13:32

Ao contrário de alguns comentadores eu acho que este é um assunto muito importante que devemos discutir com tempo. É pena que o PS de Silves ande sempre a reboque dos acontecimentos e apenas seja representado por uma ave rara cuja a única agenda tem a ver com interesses próprios. Parabéns Paulo por mais uma vez trazeres a discussão a um concelho onde estamos habituados a comer e calar.
Sem imagem de perfil

De lb a 31.08.2011 às 00:30

olhei para o bonecos, olhei melhor para as freguesias do sul, elas olharam para mim e pareceu-me que estavam com cara de quem quer fugir para Albufeira.
Sem imagem de perfil

De Corre Costas a 31.08.2011 às 14:02

Não seria novidade a hipótese do anterior comentário

"o ano de 1834, as freguesias de Alcantarilha e Pêra, são retiradas do concelho de Silves, e incorporadas no de Albufeira. Voltaram a ser reintegradas em 1836, pela reforma Administrativa levada a cabo por Passos Manuel. A Freguesia de Armação de Pêra é criada em 1933"
in: Pequena Monografia de Armação de Pêra, de Luís Ricardo
Sem imagem de perfil

De Zé Povinho a 23.12.2012 às 12:10

Quem é que quer extinguir a minha querida Tunes?
Vocês não devem estar bem!

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...