Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





 

Goste-se ou não de Macário Correia, o facto é que a sua visão de uma autarquia assenta em critérios que permitem disponibilizar, para o bem-estar das populações, os recursos que outras gastam em alimentar as dinastias que durante anos foram criando.

Conta-se que mal tomou posse como presidente da Câmara Municipal de Faro terá seguido durante a noite o pessoal da recolha de lixo e comprovado com os próprios olhos que as horas extraordinárias pagas pela autarquia a esses funcionários resultavam do total desaproveitamento das horas de trabalho contratualizadas. De imediato o problema foi resolvido e autarquia poupou muito dinheiro que pode canalizar para o apoio a idosos, escolas e outros serviços municipais.

Na semana passada ficamos a saber que a Câmara Municipal de Faro reduziu em 15% o número de funcionários, passando a ter menos de 800. Aqui ficam os números para que os nossos iluminados políticos locais, sempre adeptos de manter tudo na mesma, vejam que mais uma vez Silves está a ficar para trás e irá sofrer na pele as consequências da sua incompetência:

 

Silves | 37.000 habitantes | 43.000.000 de orçamento anual | 900 funcionários autárquicos

Faro | 65.000 habitantes | 93.000.000 de orçamento anual | 800 funcionários autárquicos

 

Devemos olhar para os bons exemplos e procurar aprender com os erros. Manter tudo na mesma e entrar na demagogia e populismo não resolvem nada, como se provou ao longo dos últimos 15 anos neste concelho.

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.11.2012 às 22:59

Exª senhor
Paulo

Não quero ser desmancha prazer, mas agradecia um breve resposta ás seguintes questões

Para si pagar mais impostos para pagar subsidio de desemprego, logo menos desenvolvimento económico e mais vantajoso do que pagar mais impostos para as Câmara gastarem em mordomias (ver deputados do pesa na aquisição de carros topos de gama) ?

Ter um funcionário no desemprego, não produzindo nada é mais lucrativo do que estar a trabalhar e a pagar impostos como segurança social, IRS, e ter mais algum dinheiro para pelo menos os filhos não passarem fome nas escolas, etc?

colocar pessoas no desemprego só para pagar dividas, não vai um pouco contra aos princípios políticos que v. Exª tanto apoia?

aguardo as suas sabias palavras

com os melhores cumprimentos

Joaquim Santos
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 30.11.2012 às 10:21

Exmo Joaquim Sousa,

Por vezes custa-me a entender os seus escritos. Mas, se bem percebi, Vª Exa. acha que o papel de uma câmara municipal é criar emprego, enquanto eu acho que deve ser o dinamizador da criação de emprego. Na sua visão simplista das coisas bastaria que a CMS contratasse todos os desempregados do concelho e o problema estava resolvido: deixariam de receber subsídio de desemprego e passariam a pagar IRS e Segurança Social.
O problema é que cada emprego desnecessário na câmara custa 3 ou 4 na economia do concelho. Cada filho que é alimentado à conta do erário público são 3 ou 4 filhos que vivem em dificuldades. Eu vou-lhe dar um exemplo: se em vez de pagar salários a gente inútil a câmara investisse em dinamizar a agricultura do concelho, construindo estradas, disponibilizando sistemas de rega, criando denominações e marcas... o resultado seria a criação de mais emprego e, acima de tudo, de mais receitas que poderiam ser aplicadas no apoio àqueles que necessitam.
Como sabe eu não sou comunista. Para mim o Estado deve "fornecer" saúde, educação e justiça para todos, de forma gratuita. Mas, ao mesmo tempo, deve funcionar como o regulador e dinamizador da economia, supervisionando mas não tendo uma intervenção excessiva.
Termina com a questão "colocar pessoas no desemprego só para pagar dividas, não vai um pouco contra aos princípios políticos que v. Exª tanto apoia?". E eu respondo-lhe: colocar a população do concelho na miséria e forçar os jovens a emigrar só para manter gente inútil não vai contra os seus princípios?
Sem imagem de perfil

De Luís Ricardo a 30.11.2012 às 09:06

Que triste exemplo!
Só xico-espertismo !
O seu passado recente na câmara de Tavira é exemplificativo da sua prática do "desenrasca"
Traga-me melhores exemplos! Quem já foi condenado em última instância à perda de mandato e ao arrepio do cumprimento da Lei, não arreda do tacho, não merece qualquer consideração, nem ser de exemplo a ninguém de bom senso.
Fez umas reformas boas na gestão da Câmara de Faro? ainda bem! era essa a sua obrigação.
Usurpou poderes e competências na interpretação abusiva do PDM de Tavira e da concessão sem critério das "razões imponderáveis"? por isso foi condenado, e muito bem! a não ser que os promotores imobiliários que beneficiaram dos "compadrios" em Tavira sejam os "jurados" do Tribunal Constitucional , para onde recorreu em última instância
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 30.11.2012 às 10:04

É verdade. Se ficar provado o que se diz sobre Macário o exemplo não será o melhor. Mas ainda assim mantenho que as suas decisões têm tido por fio condutor apresentar obra em vez de sustentar cortes.
Convenhamos que quem passou tantos anos a governar tem que ter feito asneiras, só acontece a quem lá está. Pior, pior são aqueles que nunca governaram e durante anos se aproveitaram da pouca influência que tinham para fazer prosperar negócios próprios e tirar partido da confiança que os eleitores lhe deram. Eu não me envergonho de trazer para aqui o Macário, mas há-de haver por ai alguém que ainda se vai envergonhar de ter apoiado certos figurões.
Sem imagem de perfil

De Luís Ricardo a 30.11.2012 às 13:53

Sr. Paulo; no meu comentário só me referi ao Sr. Macário Correia e à sua errática carreira de autarca. O que ele fez não foram erros de percurso, foram atropelos à Lei, muito graves para o património público. Cabe aos tribunais julgar a verdade e gravidade dos factos. foi o que fizeram! transitou em julgado e a setença já deveria ter sido cumprida - se fosse pessoa de bem - o recurso para o Constitucional, não é mais que um expediente à Isaltino ou Valentim.
Se o Sr. Macário é para si um bom exemplo de autarca, isso é problema seu.
Sobre os comentários laterais: não colhem! nem enfio a carapuça. Devem ser problemas de azia: mal-estar muito incomodativo, para quem padece desses sintomas. Há nque diga ser uma enfermidade genética! Não creio...julgo ter cura, sobretudo se conseguir desinflamar o ego.
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 30.11.2012 às 17:19

Caro Luís Ricardo, sem prejuízo do respeito que me merece deixe que lhe diga que psicanálise não é o seu forte. O ego inflamado não é de todo o meu problema, até porque se fosse teria uma estratégia e seria o centro dela. O meu problema é que, desde miúdo, vejo os mesmo figurões prejudicarem este concelho. Uns, que até já sairam, de forma activa. Outros permitindo cobardemente todo o tipo de atrocidades, quando o seu papel seria activamente lutar pelos interesses das populações. Em suma, os dois figurões que faltam sair de cena para este concelho ficar limpo, estiveram calados quando o interesse do concelho estava em causa, e apenas se mexeram quando o seu interesse pessoal passou a estar em causa. Durante anos assisti a cenas inacreditáveis de falsidade, falta de carácter, demagogia, embuste e muitas outras... que tinham sempre por trás os mesmos!
Se disser que é uma obsessão, até lhe posso dar razão, mas questões de ego... lamento mas não.
Quanto ao Macário, evidentemente lhe dou a razão... quem anda à chuva molha-se. Isso no entanto não apagará muitas decisões acertadas que tomou. Agora prepare-se, porque se é um defensor da justiça terá que tomar uma posição coerente quando os rabos-de-palha do seu ídolo começarem a dar à tona. É que garanto-lhe, em matéria de "manhozisse" o Isaltino, o Valentim e o Macário são apenas "meninos" se comparados com o sujeito em questão.
Sem imagem de perfil

De Luís Ricardo a 30.11.2012 às 18:52

Caro Paulo, não tenho ídolos na política. Já a pratico há muitos anos e sei que o que é bom hoje, amanhã será intragável.
A minha experiência conselha a escolher sempre o mal menor; porque na política não há iluiminados nem insubstituíveis.
Para mim, o melhor para o concelho de Silves, é estar presente e poder decidir, contrariando ou apoiando. Os últimos 15 anos mostraram-me como é pernicioso estar de fora sem poder defender o que julgo melhor para a minha terra.
Estes ídolos, têm todos pés de barro, e eu sou demasiado objectivo e materialista, para acreditar em dogmas ou metafísicas,
um abraço
Luís Ricardo
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 30.11.2012 às 19:37

E era bom que mais fossem como você... um abraço!

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...