Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





Mudar de vida

22.01.13

Depois de destruído o aparelho produtivo, depois de colocar de joelhos as pequenas e médias empresas, depois de fechar milhares de pequenos negócios e colocar muitos mais milhares no desemprego o Governo chega à conclusão de que “é necessário” despedir funcionários públicos? Brilhante, já valeu a pena o dinheiro que o erário público investiu na educação do sr Gaspar e do sr Coelho.

Há muitos anos que vários especialistas dizem que temos funcionários a mais no Estado. Se, em 2008, quando a crise começou, Sócrates tivesse tido os “tomates” de o assumir, tudo seria diferente. Já mais tarde, em 2011, “Gaspassos” deveria ter começado por ai as urgentes reformas para salvar o país. Se o tivesse feito teria sido mais contestado nessa altura mas teria forças para atacar o monstro e com essa medida pouparia muitos milhares de postos de trabalho no privado.

Em vez disso matou-se o privado para salvar o público e agora, com o privado morto é inevitável matar o público. Está lá tudo, nos livrinhos de Keynes. Livros esses que Seguro, essa “nódoa” que é apenas e só o político português mais preso ao podre sistema partidário, também não leu… diz ele que não despede, que não destrói o Estado Social, mas também não pode “prometer que baixa impostos”! Como é evidente, se não despede tem que subi-los!!!

Nos municípios portugueses o cenário é o mesmo, mas com uns meses de atraso… durante anos pagou-se lealdade com emprego, amizade com carreira, favor com ordenado e hoje é o que está à vista. Para não dar tanto nas vistas a câmara A contrata os amigos da câmara B e umas tantas empresas municipais tratam do resto. Tal qual mexilhões continuam agarrados à “rocha” com todas as forças que têm, mesmo quando as evidências e o bom senso mandariam que já tivessem na mão a “guia de marcha”.

Para mim não é importante que Silves seja um concelho fantástico para se vir ver. Para mim é muito mais importante que seja um concelho fantástico para se viver. Já aqui escrevi que isso passa por retirar privilégios “boys e girls” do sistema, passa por investir no concelho, criar valor e potenciar vantagens inegáveis a quem queira cá montar a sua empresa ou morar. Existem dezenas de grandes ideias para tornar este concelho naquilo que os silvenses merecem, mas todas elas estão fora dos programas copy/paste das principais forças políticas. Por isso mesmo, eu e um grupo de silvenses preocupados com o futuro deste concelho, temos feito esforços no sentido de dar aos cidadãos, já nas eleições de Outubro, uma alternativa de confiança. Já falta pouco!!

Autoria e outros dados (tags, etc)





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...