Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





Em nota de imprensa a Câmara Municipal de Silves fez saber que a revisão do PDM está na recta final. A notícia propagou-se pelos vários órgãos de comunicação social e o copy/paste imperou, como se impõe, revelando que quem escreve estas notas de imprensa é alguém… digamos… “denso” de mais para as gentes do concelho.

Atentem na nota de imprensa, com especial atenção para o parágrafo a negrito:


 

A proposta do Plano Diretor Municipal (PDM) de Silves foi concluída e apresentada para concertação técnica final às entidades que acompanham a sua elaboração.

Este processo de revisão, iniciado há cerca de três anos, deverá estar concluído em meados do corrente ano, após o decurso da fase de inquérito público e, subsequente, aprovação do plano.

Segundo a Câmara de Silves, tratou-se de um processo que, para além de denso e complexo, foi caracterizado pela participação, e que foi amadurecendo através de um amplo diálogo entre os diversos atores envolvidos – públicos e privados – consubstanciando-se, na prática, como um novo plano, um PDM de 2.ª geração, inovador e ambicioso na forma, conteúdo e alcance em relação ao PDM de 1995.

Vem, assim, materializar-se num modelo de ordenamento suportado por uma estratégia de desenvolvimento assumida e baseada num diagnóstico profundo da situação atual (em diversas escalas e âmbitos) e na clarificação de uma visão prospetiva, criando as raízes de ação do presente para um futuro desejado, assumindo, neste âmbito, desafios concretos para o desenvolvimento do concelho, materializados em vetores de ação operacionalizados no terreno através de objetivos e ações específicas.

Em simultâneo, e enquanto instrumento de ordenamento do território e desenvolvimento, visa a promoção do conhecimento, a competitividade, atratividade, centralidade e coesão territorial, bem como a sustentabilidade do processo de desenvolvimento, assente no princípio da subsidariedade e na parceria, conduzida com o envolvimento ativo dos atores do território.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...