Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





Outras das pessoas que prontamente acedeu ao meu convite foi o Dr José Paulo Sousa, ex-vereador do PSD na CMS, actual Presidente e dinamizador da Associação Amigos de Messines e, entre muitas oiutras coisas, influente comunicador que "deambula" entre Messines e Silves. O meu agradecimento pela honra que me concedeu em partilhar neste blog a sua opinião.


antes de escrever quero fazer uma declaração de princípios...

 

este texto representa o pensamento de alguém que acredita que os sacrifícios que estão a ser feitos, são necessários.

de alguém que tem e assume uma visão neoliberal da economia e da politica e que tem uma aversão quase endémica ao Estado Social.

de alguém que tem, também, duas qualidades/defeitos;

aceita as ideias dos outros, mesmo não concordando com elas e diz abertamente aquilo que pensa seja politicamente correcto ou não.

nas linhas abaixo vai o que penso sobre a votação do dia 29 de Setembro no concelho de Silves.

 

no passado domingo o povo votou, no concelho de Silves, como votou em mais trezentos e sete concelhos.

 

no nosso torrãozinho ao contrario do que se diz aí não foi a CDU da Dr.ª Rosa Palma que ganhou, essa obteve escassos 5495 votos, quem ganhou foi o poderosíssimo partido da abstenção que arrasou com 14703.

dá que pensar!

se a estes se juntarem os 686 votos brancos e os 470 votos nulos, preto no branco de 30547 eleitores 25053 não votaram CDU nem na Dr.ª Rosa Palma.

 

podia fazer o mesmo exercício para os outros dois candidatos e a situação ainda seria mais gravosa ...

 

podemos ver isto por outro prisma as politicas que a troyca impõe ao povo Português foram sufragadas por 52,94 dos votantes soma das votações e percentagens dos Partidos do centrão PS e PSD, isto apesar de imensamente criticadas e empoladas pela comunicação social, avida de noticias e de sangue o povo Português é um povo tendencialmente honesto e que sabe que tem de pagar o que deve.

 

e dito isto, o povo de Silves alheou-se do futuro do concelho 48.13 não se dignaram a ir ás urnas e 7.29% deram-se ao trabalho de lá ir sem escolherem ninguém dos que se candidataram.

 

só posso dizer está bonito está.

 

ganhou a CDU e a Dr.ª Rosa Palma, porque conseguiu capitalizar o descontentamento das inevitáveis politicas de ajustamento impostas pelo governo central, esse mérito teve-o; conseguir capitalizar, mas também não se pode esquecer duas, ou três variantes;

 

- o concelho de Silves é um concelho sociologicamente de esquerda.

 

- a ultima força politica a governar ,antes dos dezasseis do governo da Dr.ª Isabel Soares, foi a CDU.

 

- o protesto de uma franja , mais ideologica do eleitorado ia no sentido de fossem quais fossem os candidatos apresentados pelo PSD, pois que o CDS/PP quase não existe, tinha que penalizar esses candidatos ou seja, o povo pensou e quanto a mim erradamente, podes até ser o melhor candidato, mas és da cor do Governo , não posso penalizar o Governo logo penalizo-te a ti.

 

por isso para quem tivesse olhos de ver saberia à partida que o desgaste do Governo;

o quase desmantelamento do PSD a nível local, pois que a politica da Drª Isabel Soares de se incompatibilizar ou ostracizar todos os quadros que com ela trabalharam ao longo dos anos deixou um vazio de experiencia e conhecimento, que não foi nem de perto nem de longe superado pela avalanche de apaniguados novinhos, com muita formação mas sem experiencia de vida;

mais a fraquíssima qualidade das listas apresentadas, excepção feita ao Professor Rogério Pinto, ao Sérgio Antão e ao Luís Cabrita, levaria a uma mudança de cor politica na Câmara Municipal, restaria saber que a cor seria Rosa ou Azul , longe vão os tempos em que o PSD era Laranja e o PCP Vermelho ...

 

o trabalho era das máquinas partidárias.

pois que as propostas eram, no meu modesto entendimento, muito iguais e quem é que perde tempo a ler aquelas letras pequeninas.

os candidatos, que sobravam e não contabilizo o David do Bloco de esqueda que não entrava desde logo nestas contas, eram os dois credíveis, tinham ambos anticorpos e combatiam para capitalizar os votos dos desempregados e dos descontentes e desiludidos com o PSD.

era um trabalho de paciência ... acho que ambos os candidatos a tiveram.

sobrava uma variante, o partido de onde cada um era oriundo, será que a Rosa segurava os votos da CDU? será que o Serpa segurava os votos do Partido Socialista?

 

aqui, uma vez mais no meu modesto entendimento, residiu uma das  razões da vitória da Dr.ª  da Rosa Palma.

os comunistas ( e não é depreciativo o titulo) são fieis ao Partido, depois de escolhido o candidato porfiam no mesmo sentido e ponto final honra lhes seja feita nisso , como certamente em outras coisas, são bons tem uma militância exemplar.

o Partido Socialista, daquilo que me deu a entender, pareceu um saco de primas donas com um instinto de lacrau, o Serpa não foi aceite, não sei e nem tenho de saber porquê por uma parte do Partido e quando há contra correntes , não há Vieira da Silves , Seguros  ou Zorrinho que valham, uma parte do partido socialista , não trabalhou nem votou Fernando Serpa.

 

por isto posso afirmar o PSD apesar da valia do seu candidato, trabalhei com ele 5 anos sei do que falo, estava condenado.

 

a professora Rosa Palma e a maquina bem oleada da CDU trabalhou porfiou e ganhou , os meus parabéns ,aliás bem cedo endereçados.

 

o PS autoflagelou-se e perdeu uma oportunidade de ouro para reocupar uma câmara que lhe foge desde 1993 do mandato José Viseu/Francisco Matos.

 

honra aos vencidos, gloria aos vencedores.

 

a vencidos e vencedores tomem em atenção o fortíssimo cartão encarnado que levaram do concelho via abstenção e votos brancos/nulos.

 

para concluir posso dizer a vitória da cdu foi mais uma vitoria de transpiração que de inspiração, mas isso é o meu pensamento só isso.

 

até já!

José Paulo Sousa

Autoria e outros dados (tags, etc)


31 comentários

Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 07.10.2013 às 13:10

amigo paulo,
não sou fundador da associação amigos de messines.
um abraço
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.10.2013 às 16:10

Dr.º José Paulo Sousa, Grande lata “aversão ao Estado Social”, se não fosse o que resta do Estado Social o que seria de Portugal e dos outros países com assistência financeira da troika, o neoliberalismo que não subestime as pessoas sem emprego e com fome, elas podem-se tornar extremamente perigosas. Parece que está esquecido que o que nos levou a esta crise foi o neoliberalismo com a não regulação dos mercados e agora é o povo que paga e faz sacrifícios com aumento de impostos, carga horaria , redução de salários/subsídios etc., para pagar as dívidas juros e empréstimos concedidos ao Estado. O que me espanta mais no governo actual é que o objectivo é cumprir a meta do ajustamento imposto pela troika, para depois para maior espanto meu voltar aos mercados, ou seja, aos mesmos mercados financeiros que nos levaram ao estado que estamos agora. Acorde, porque esse modelo está errado nos termos a que chegou, concordo que deve haver alguma liberdade na regulação da economia mas chegarmos ao ponto dos mercados financeiros é que gerirem o dia-a-dia dos países é chocante. Ainda o Estado Social, como viveriam as pessoas sem qualquer fonte de rendimentos se não tivessem os parcos euros que recebem da Segurança Social? Esmolas, caridade, ONG’s , é esse modelo que quer para Portugal?O partido no poder está a tentar acabar com o Estado Social e implementar um modelo que se chama submissão aos mercados financeiros. Resultados do modelo; aumento do desemprego, aumento da pobreza, aumento de impostos, aumento do horário trabalho, aumento da emigração, aumento das insolvências, mas também temos diminuições; da natalidade, do poder de compra, da esperança média de vida, da actividade económica, dos salários, das pensões…Entre o Estado Social e o estado em que estamos prefiro o Estado Social…Quanto á sua opinião sobre as eleições no Concelho de Silves, estou de acordo! Obrigado, C.C.
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 08.10.2013 às 07:19


dispenso o dr . , quando ao seu comentário digo-lhe uma coisa estamos a falar no nível conceptual das ideias e cada um tem as suas, aceito e respeito as suas como espero que aceite e respeite as minhas, só um aparte não foram as politicas neo liberais que nos encaminharam ao precipício onde tentamos não cair, mas sim o Estado Social com os seus RSI e quejandos, quanto ao resto são ideias, todas defensáveis.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.10.2013 às 17:02

Mas afinal, o que é o Neo-liberalismo?
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 08.10.2013 às 07:21

Aconselho um bom manual de Economia, ou caso não o tenha à mão a Wikipédia também serve. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2013 às 09:30

José Paulo o post “Mas afinal, o que é o Neo-liberalismo?” não é meu. Peço desculpa pelo “dr.” também não gosto. As nossas opiniões são diferentes e respeito a sua, este é um espaço de troca de ideias e deve ser feita de forma saudável. Agora a história dirá se o modelo que defende foi o melhor para ultrapassar os momentos conturbados que vivemos. Parabéns ao Paulo Silva pelo blog continuarei a seguir. Obrigado, C.C.
Sem imagem de perfil

De Baião a 08.10.2013 às 10:53


Chamou-me a atenção o post do JPS sobre os resultados das recentes eleições autárquicas no concelho de Silves. Não pela análise dos resultados em si, pois esta é uma discussão ao nível das discussões sobre futebol e, como tal, está sempre altamente contaminada pelas preferências pessoais, pelo que prefiro nem discutir. Mas sim pela afirmação temerária do autor em “...ter uma aversão quase endémica ao estado social...” .

É uma afirmação forte e impetuosa. Numa primeira leitura fiquei a pensar, bom temos aqui alguém que alinha com o modelo social radical do “cada um por si”. Depois ao ler a resposta a um dos comentários, já fiquei com mais dúvidas se o JPS terá mesmo a aversão que afirma ter ao estado social ou se tem apenas e só, aversão à utilização que alguns fazem do estado social.

 
continua
FD
Sem imagem de perfil

De Baião a 08.10.2013 às 10:54


Antes de dizer se somos contra ou a favor importa deixar bem claro o que é isso do estado social:

O estado social é um conceito socio-económico introduzido por um economista alemão, considerado até conservador, Lorenz von Stein, que adopta para o estado uma atitude participativa, com o objectivo de garantir direitos individuais, considerados essenciais, para manter um nível de vida necessário a uma participação activa na sociedade.

Trocando isto por miúdos, significa na minha opinião, que o estado deve garantir aos mais fracos condições mínimas, entenda-se meios financeiros, educação, assistência na doença e na velhice etc., que garantam aos mais desprotegidos algum amparo na adversidade, ou seja um filho de pais pobres, não terá por exemplo o acesso negado a uma educação superior. Acredita-se que deste modo, a sociedade como um todo irá beneficiar. Ao possibilitar a um maior número de pessoas o acesso à educação, irá contribuir para uma sociedade mais culta e logo, acredita-se, mais capaz de fazer desenvolver a economia, o que por sua vez irá realimentar o estado social. Goste-se ou não é um modelo.

Existem outros, entre os quais o mais radical, será o modelo que acredita ser o acesso à educação, saúde,  assistência na velhice etc, apenas disponível a quem o possa pagar, isto porque tal acesso custa dinheiro e quem beneficia desses serviços deve pagá-los. Quem tem possibilidades usa, quem não as tem, não usa. Simples, cada um por si.

Depois existem modelos intermédios. Estes tentam juntar a participação do estado com a contribuição individual, por meio de seguros e outros. São no geral modelos bem-intencionados e que no papel funcionam bem, mas acabam sempre no mesmo. Os impostos não diminuem, bem pelo contrário, e o utente acaba a pagar o mesmo serviço duas vezes, uma pela via dos impostos, outra pela via do pagamento dos serviços, em “cash” ou pelo pagamento de um seguro. Mas reconheço serem modelos interessantes e que devem ser analisados.

continua
FD
Sem imagem de perfil

De Baião a 08.10.2013 às 10:55


Na minha opinião acredito, também de forma quase endémica, no primeiro modelo, penso que o estado social é um tesouro que devemos tentar manter a todo o custo. Mas sem esquecer que existem abusos, que existe quem use o estado social em proveito próprio e de forma contrária ao próprio modelo. Tais práticas devem ser combatidas a todo o custo. Mas isso não significa que o modelo esteja errado.

Penso que o estado, por via dos impostos que todos pagamos, tem o dever de zelar por um desenvolvimento harmonioso da sociedade, garantindo uma velhice com dignidade, o acesso à educação e à assistência na doença para todos em igualdade de circunstâncias. Significa isto que não se pode mexer em nada, que nada poderá ser alterado? Não!

Uso o exemplo das reformas agora tão na moda. Será legítimo mexer nas reformas?

A protecção do estado social, deve obrigar a uma vigilância permanente da situação financeira dos fundos que suportam os direitos de cada um. Se for o caso, como parece, que o estado está sem dinheiro para garantir as reformas, então ajustes a uma nova realidade são necessários. Mas sempre pensando no objectivo primordial do estado social. Antes de ir às reformas, há na minha opinião muito por onde cortar. Seja em PPPs, rendas da energia, etc.

continua..
FD
Sem imagem de perfil

De Baião a 08.10.2013 às 10:56


No caso das reformas em particular, a protecção do estado social deveria na minha opinião obrigar a estipular tectos superior e inferior das pensões de reforma, deveria também impedir a acumulação de reformas, deveria ainda impedir o pagamento de subvenções vitalícias a políticos e outros membros em representação do estado, deveria ainda impedir o pagamento de subsídios de alojamento a deputados, e o pagamento de rendas a juízes e por aí fora.

Tudo para se poder pagar um pouco mais aos mais desfavorecidos. Como é óbvio o estado social deve pagar menos aos que mais podem, estes poderão sempre fazer seguros de vida e usar outras fontes de poupança para fazer face a qualquer adversidade e estão por isso mais protegidos.

Para evitar qualquer confusão, repare-se que a existência de tectos nas reformas obriga necessáriamente que quem mais rendimentos tem e como tal mais desconta, receberá menos em percentagem do rendimento.

O estado social não é o garantir a todos uma prestação por igual, entenda-se em percentagem dos rendimentos, mas sim garantir igualdade de acesso e igualdade de oportunidades, obriga isto que quem mais pode, paga mais e recebe menos (em percentagem, mais uma vez). Só desta forma se pode garantir acesso igual aos meios considerados essenciais a uma participação digna em sociedade.

Confundir o estado social com o pagamento de reinserção social a quem, podendo, não quer trabalhar. É apenas demagogia e só serve para confundir e nada esclarecer.

cumprimentos a todos.

Fernando Dias
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 08.10.2013 às 11:12

Caro José Paulo Sousa, 


O blog estava em "piloto automático". Já corrigi o lapso, pelo qual peço desculpas. 


Caro Baião,


Seja "bem aparecido"! :)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2013 às 11:26


muito obrigado, caro Paulo.

Venho cá frequentemente, mas nem sempre deixo pegadas.

abraço
Sem imagem de perfil

De Proudhon a 08.10.2013 às 14:09

A pergunta "Mas afinal o que é o Neo-Liberalismo" é minha e não do anónimo anterior. Peço desculpa por qualquer inconveniente ou confusao.


A minha questão tem um âmbito socrático (no sentido do método aplicado pelo filósofo grego e não no seu homónimo político contemporâneo) e faço-a porque, efectivamente, vejo o termo "Neo-Liberalismo" aplicado em toda e qualquer referência pejorativa à política actual do governo de centro-direita.


O Neo-liberalismo, no seu sentido teórico, pauta por um quase total desprezo pela intervenção do estado na economia, deixando-a ao sabor dos mercados, que teoricamente saberão o que fazer. Pondo de parte as habituais assimetrias de informação que inviabilizam o modelo todo, trata-se de facto, de um modelo económico que aloca, de forma mais ou menos, eficiente, os recursos a quem mais precisa deles.


No entanto, como qualquer adepto do Neo-Liberalismo ou do clássico Liberalismo vos diria, o modelo que hoje vemos aplicado na economia portuguesa dificilmente poderá ser "Neo-liberal". Qualquer Neo-liberal sentiria nojo do montante de impostos cobrados à economia portuguesa nos dias de hoje. Nenhum Neo-liberal se identificaria com a promiscuidade galopante entre o sector da Banca e o Estado, muito menos a enormidade de dívida pública nacional que a Banca nacional contraiu, muitas vezes contra o interesse dos seus accionistas. O adepto Neo-Liberal olha com escárnio para o brutal controlo instalado nos últimos dois anos sobre a actividade económica, um controlo que faria corar qualquer menino do Commitern dos tempos áureos da URSS.


Concretamente, quase podemos falar de uma viragem totalitária à esquerda da parte do PSD, com muito maior teor "socialista" (no seu sentido marxista).


Meus senhores, paremos de usar o termo "Neo-liberal" para definir o estado actual das coisas. Trata-se de uma fera bastante diferente, muito mais próxima de um Colectivismo Oligárquico que pulula nas páginas do livro "1984" do George Orwell do que qualquer variação de Neo-Liberalismo que possa ter surgido até aos dias de hoje.
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 08.10.2013 às 15:41

eu falo disto "O Neo-liberalismo, no seu sentido teórico, pauta por um quase total desprezo pela intervenção do estado na economia, deixando-a ao sabor dos mercados, que teoricamente saberão o que fazer. Pondo de parte as habituais assimetrias de informação que inviabilizam o modelo todo, trata-se de facto, de um modelo económico que aloca, de forma mais ou menos, eficiente, os recursos a quem mais precisa deles."
não disto "No entanto, como qualquer adepto do Neo-Liberalismo ou do clássico Liberalismo vos diria, o modelo que hoje vemos aplicado na economia portuguesa dificilmente poderá ser "Neo-liberal". Qualquer Neo-liberal sentiria nojo do montante de impostos cobrados à economia portuguesa nos dias de hoje. Nenhum Neo-liberal se identificaria com a promiscuidade galopante entre o sector da Banca e o Estado, muito menos a enormidade de dívida pública nacional que a Banca nacional contraiu, muitas vezes contra o interesse dos seus accionistas. O adepto Neo-Liberal olha com escárnio para o brutal controlo instalado nos últimos dois anos sobre a actividade económica, um controlo que faria corar qualquer menino do Commitern dos tempos áureos da URSS."


embora não possa concordar com isto "Concretamente, quase podemos falar de uma viragem totalitária à esquerda da parte do PSD, com muito maior teor "socialista" (no seu sentido marxista)."


até já 

Sem imagem de perfil

De Tom Joad a 08.10.2013 às 21:45

Que comentários tão desinteressantes, estes do Zé Paulo de Sousa! 


Chega a ser caricato uma pessoa que está envolvida no caso Viga D´Ouro, que ficará para a história do concelho de Silves como um dos maiores rombos financeiros dos cofres municipais, vir agora dizer que a culpa do estado calamitoso das finanças públicas se deve ao RSI! 


Já agora deixem-se de fazer copy paste do manual da história das ideias políticas contemporâneas, porque a história encarregar-se-á de nos ensinar que o Neo-Liberalismo dos Patos Bravos há-de ser a causa da ruína do nosso país e concelho, queimando o futuro de várias gerações vindouras!
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 08.10.2013 às 22:23


se, e, quando assinar pelo seu próprio nome respondo-lhe...
é tão fácil atras do anonimato ...
:)
Sem imagem de perfil

De Paulo Santos a 09.10.2013 às 03:55

O comentário do José Paulo Sousa tem algumas incoerências:
1º Se o eleitorado comunista "fiel" deu a eleição à Rosa Palma, onde estavam eles há 4 anos? É que teve metade dos votos... e não me parece que o "eleitorado fiel" sejam jovens na 1ª votação.
2º Pelas minhas contas, de matemática do 9ª ano, o montante envolvido no caso Viga de Ouro dava para pagar 3.333 RSI's durante um ano. Porque é que não critica os Vigas de Ouro que existem de norte a sul de Portugal e vai criticar os 200 euros do RSI?
3º Eu, e praticamente todos os Portugueses,  pago IVA, IRS, IMI, IUC, Imposto de selo, Imposto s/ combustiveis, Imposto s/ tabaco, Imposto s/ alcool, imposto s/ mais valias (este infelizmente nem por isso), taxas camarárias, etc...
Será que isto não é suficiente para ter algum benefício do chamado estado social?
Ou será que o que descontamos é para pagar as "alcavalas", os ordenados chorudos, os BPN's, etc, e o estado social tem que ser pago à parte?
Não conheço pessoalmente a Rosa Palma, mas aguardo com alguma espectativa o decorrer do seu mandato. Acho que, pelo menos, podemos ficar todos bem mais informados em relação aos 16 anos de governação PSD no n/ concelho.      
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 09.10.2013 às 09:33

Sabe ler ? leu com atenção? (1)


" ...ganhou a CDU e a Dr.ª Rosa Palma, porque conseguiu capitalizar o descontentamento das inevitáveis politicas de ajustamento impostas pelo governo central, esse mérito teve-o; conseguir capitalizar..."
Sabe ler ? leu com atenção? (2)



"...que não foi nem de perto nem de longe superado pela avalanche de apaniguados novinhos, com muita formação mas sem experiencia de vida;"
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 09.10.2013 às 09:35

Sabe ler ? leu com atenção? (2) é para o comentário infra .
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 09.10.2013 às 09:45

2º Pelas minhas contas, de matemática do 9ª ano, o montante envolvido no caso Viga de Ouro dava para pagar 3.333 RSI's durante um ano. Porque é que não critica os Vigas de Ouro que existem de norte a sul de Portugal e vai criticar os 200 euros do RSI?



depois de ter ouvido falar muito no "caso" Viga d ouro e ter sido até crucificado em praça publica vou só dizer-lhe duas pequenas coisas ou melhor três:
1º sempre dormi sossegado;
2º infelizmente o processo prescreveu;
3º sabe qual era afinal a única acusação ( não provada) que o MP me fez? " ... ter tido conhecimento e nada ter feito para evitar..." não se diz em lado algum pagou, mandou pagar, adjudicou, mandou adjudicar ... e para terminar depois de ter sido digo o uma vez mais crucificado na praça publica , indaguei e fiquei com a sensação que todas as obras foram feitas e que se gastou se calhar mais com advogados do que se vai pagar de juros.
Mas um dia para já se calhar é cedo falarei sobre isto pois hoje já falei mais sobre o "caso" Viga d ouro do que em 7 anos de enxovalho ... fique bem que eu também ficarei. 
Sem imagem de perfil

De Paulo Santos a 09.10.2013 às 12:06

Caro senhor, perdoe-me a minha ignorância mas só ao ler a sua resposta reparei que teve algo a ver com essa situação (Viga de Ouro) e depois é que lí nos outros comentários que há quem o associe ao caso. Como estou afastado do n/ concelho corro o risco de falar ou escrever sobre assuntos sem conhecer os intervenientes e depois dá nisto. Só comparei os gastos do erário público com o Viga de Ouro porque foi o caso mais mediático de lesa património (CMS, subentenda-se), e penso que este tipo de situações custam mais ao contribuinte do que os RSI e outros subsidios que, tudo bem, podem ser questionados. 
Uma coisa pode ter a certeza, se soubesse que o José Paulo Sousa estava relacionado com essa situação não o teria mencionado, pois acho deselegante esse tipo de abordagem, à moda de "linchamento em praça pública".
Peço desculpa pelo sucedido. 
Sem imagem de perfil

De The Punisher a 09.10.2013 às 23:41


Caro Dr. José P. de Sousa, se V.ª Ex.ª foi crucificado na praça pública, das duas uma: está implicado no caso Viga D´Ouro (não há fumo, sem fogo, lá diz o povo) ou a Dr.ª Isabel Soares precisava de um borrego de sacrifício e você teve a felicidade de ter sido o escolhido para desempenhar o papel!


O que vale é que, perante o caso Viga D´Ouro, o Dr. José P. de Sousa sempre teve um sono tranquilo... olhe, aposto que a malta do BPN, dos Submarinos, dos Alcochetes, também dorme muito tranquilamente todas as noites!


Só não percebo o porquê de V.ª Ex.ª ter ficado muito triste por o processo crime do Viga D´Ouro ter ficado prescrito, se provavelmente, como homem das leis que é, não deve ter hesitado um só segundo em invocar a seu favor a prescrição dos crimes de que era acusado?!? Há quem diga que as prescrições só aproveitam aos malfeitores, porque o crime está lá, só que deixa de ser punido, só porque os processos ficam paradinhos por obra do espírito do santo... pelo menos, é o que os seus colegas das leis dizem na TV!


Já agora, Dr. José P. de Sousa desafio-o a publicar no seu blogue a malvada da acusação do Ministério Público! Certamente que o ajudaria a limpar a sua imagem?!? Ou será que alguma coisa deve ficar no segredo do processo? Quem não deve, não teme, é o que se costuma dizer!


O que é lamentável é que alguém tenha ousado acusá-lo de ter tido conhecimento e nada ter feito para evitar o Viga D´Ouro?!? Já percebi que, para sua Ex.ª, isso não é crime, pois não pagou, não mandou pagar, não adjudicou, não mandou adjudicar... mas sabia, podia ter evitado, mas nada fez, não se importou, conformou-se, deixou acontecer, aceitou tanto a acção, como o seu resultado final, agora à vista de todos... 6 a 10 milhões de euros de buraco nas contas da câmara! Isso não é ser, pelo menos, cúmplice da coisa?!? Com políticos destes, não admira que o país e o concelho tenham batido no fundo!


Fico feliz por ter indagado e ter ficado com a sensação que todas as obras foram feitas... é que o problema são mais as obras que poderiam ser feitas com os tais 7 ou 8 milhões de euros pagos a mais no caso Viga D´Ouro e que já não vão poder ser feitas, porque o dinheiro vai ter de entrar nas remunerações e prémios dos administradores da banca e dos advogados do caso Viga D´Ouro!


Como diz a malta nova: Tá-se bem, ó bacano!
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 10.10.2013 às 08:09


algumas pequenas notas para o exaltado anterior...
ser acusado , não é igual a ter cometido, daí eu dormir bem...
publicar a acusação está nos meus planos ...
de borregos entendo pouco , não é a minha área...
finalmente como é obvio não fui eu que fiz a minha defesa ...
fique bem :)
Sem imagem de perfil

De chico a 10.10.2013 às 08:32

Viga d'ouro é um nome engraçado, gosto mesmo.

Não me foi passada procuração para o efeito, mas vou sair em defesa do Dr José Paulo.

Eu não sei se ele sabia ou não sabia o que se passava, nem gosto de ver ninguém acusado sem provas. E como ando sempre a leste nestas coisas, também não percebo porque acusam o Dr destas coisas da viga d'ouro. Mas porque razão é que ele tinha de saber o que se passava lá no estaleiro da CM?

Vocês e o senhor "the punisher" em particular, deviam era pedir contas ao vereador com o pelouro das obras da altura, esse sim, é que deve saber o que se passou. Por isso perguntem-lhe.

Ele, o dito vereador das obras, e a presidente não podiam ignorar o que se passava, pois tanto um como o outro, não podem ter passado 4 anos na CM e não ter percebido que andavam a ser comidos, a não ser que fossem incompetentes ou pior, coniventes.

Por isso, deixem lá o Dr José Paulo em paz e vão falar com o outro, o das obras.

Já agora se alguém souber quem era o vereador das obras que diga, porque eu não sei quem era e até estou a ficar curioso.

Mas acredito que tudo isto tem uma explicação simples. A prová-lo está o facto de a presidente até ter sido recompensada e ter ido para as águas do algarve, com carro oferecido e tudo.

Acham que alguém dava um cargo destes a um pessoa incompetente ou conivente com aldrabices?

tenham juízo...e fiquem bem.
Sem imagem de perfil

De UM MUNÍCIPE a 10.10.2013 às 16:35

Caro CHICO e demais


Sabia que o Vereador responsável pela área financeira, na altura do chamado caso Vigad'ouro, era José Paulo de Sousa?.
Sabia que têm andado a esconder cerca de 3 milhões de euros deste caso e que os mesmos foram "negociados" na Caixa Agrícola de Messines, onde JPS fazia parte da direcção?
Sem imagem de perfil

De chico a 10.10.2013 às 18:56

Caro Munícipe,

Pois isso não sabia. Nem uma nem outra. Quer dizer que o Dr era o que passava os cheques ao das obras?

Neste caso vou ter de acrescentar uma outra categoria às que apontei anteriormente.

Das três uma: ou o Dr foi conivente, ou foi incompetente ou então, foi crédulo, ingénuo, por ter acreditado no outro das obras. Como ele afirma sempre ter dormido descansado, vou mais para esta última. Serve-lhe de aviso, nunca confiar em ninguém. Há aldrabões em todo o lado.

Quanto ao assunto da caixa agrícola de messines. Nem sei o que lhe diga, a ser verdade, mostra uma vez mais que aldrabões não faltam em Portugal.

Mas, mais uma vez, estou certo que tudo isto não passa de coisas qu eo povo diz e que o Dr. terá uma explicação simples para tudo isto, e que oportunamente mostrará.

A verdade vem sempre ao de cima. Confiemos.

fiquem bem
Sem imagem de perfil

De Tom Joad a 10.10.2013 às 21:53

Os comentários do Dr. Zé Paulo de Sousa, dissimulado de Chico, são mesmo muito engraçados! É um fartote! Pegando na deixa de um comentário anterior, apetece-me perguntar se o Dr. Zé Paulo de Sousa tomou a iniciativa de processar o seu advogado, por este ter invocado - contra a vontade do seu cliente e arguido Dr. Zé Paulo de Sousa - a prescrição do processo crime do caso Viga D´Ouro?!? 


Só uma pequena chamada de atenção: a prescrição não prova que o crime não foi cometido pelo acusado... e se o Ministério Público acusou, é porque os indícios eram mais do suficientes ao ponto de uma condenação em julgamento ser mais provável do que uma absolvição! 


Chico, desculpe, Dr. Zé Paulo de Sousa agradeça à Dr.ª Isabel Soares, fica-lhe bem, porque se não fosse a sabedoria e os conhecimentos desta senhora, o processo Viga D´Ouro não tinha ficado congelado para se obter uma bela de uma prescrição! 
Sem imagem de perfil

De chico a 11.10.2013 às 08:40

Caro Tom,

sou eu o chico.

Vocês são mesmo umas línguas viperinas, agora deu-vos para tomar o Dr de ponta e pronto, acusam-no de tudo.

Veja lá do que você se lembrou. Que eu era ele, o Dr, mas dissimulado. Lá isso cabe na cabeça de alguém? Acha que o Dr. escreve como eu, já reparou bem? O Dr. é um homem de leis, logo comuma escrita muito mais elaborada e complexa.

Tudo isto porque eu apontei o óbvio, que o Dr não estava nas obras. Logo o responsável tem de ser outro e o Dr. não poderia saber o que lá se passava.

Façam como eu vos digo. Vão falar com o das obras e deixem o Dr. em paz, que quando muito, terá sido, digamos, apenas um pouco inocente.

Mas ele acabará por esclarecer tudo isto e o ainda se irão arrepender de todo o mal que lhe têm feito.

Quem sabe ainda até o irão ainda eleger para um cargo municipal.


A justiça tarda mas não falha.

Fiquem bem.

chico.
Sem imagem de perfil

De Carlos C. a 09.10.2013 às 04:09

O estado social que critica não serão os ordenados pagos aos cento e muitos individuos que foram enfiados na camara de Silves, por terem pertencido às listas do PSD nos últimos 16 anos? Alguns deles ainda não descobriram o que andam lá a fazer, e o que é certo é que somos nós a pagar os ordenados dessa maltinha toda... 
Sem imagem de perfil

De Carlos C. a 10.10.2013 às 11:47

O José Paulo Sousa devia por os olhos nos países nórdicos ou da Europa Central, para ver como funciona um verdadeiro estado social. Educação, saúde, estimulos à natalidade, boas condições para os idosos, fornecimento de serviços basicos perfeitamente assegurado e no fim do ano têm superavito. Descobriram a galinha dos ovos de ouro? Não. A diferença é que têm níveis de corrupção residuais. Meta na cabeça que a corrupção (venha ela de que forma vier) é a grande assassina das finanças públicas. Já agora uma questão, já que fala tanto no RSI, sabe qual é o peso deste no orçamento de estado? Vá ver e surpreenda-se. Só o BPN dava para 40 anos de RSI. É certo que me vai dizer que não é só o RSI, mas também lhe respondo que, infelizmente, não foi só o BPN...

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...