Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





António Guerreiro é uma figura incontornável da política silvense. Um homem de esquerda, de convicções fortes e alguém que, talvez pela sua profissão (Professor de Matemática), lida bem com a "frieza" dos números e com o "calor" dos momentos. Obrigado pela participação. 


É necessário implodir as práticas políticas deste concelho de Silves!

O PSD viveu à sombra da dra. Isabel Soares e da miragem económica da sua família numa lógica de aniquilação de todos aqueles que manifestaram desconfiança sobre a gestão dos negócios em torno da CMS e das empresas familiares e da insustentabilidade do Instituto Piaget. Agora a Fábrica do Inglês está fechada e a Universidade não tem alunos. A estratégia política da família Silva implodiu!

O PS tem vivido em torno dos mesmos protagonistas há 20 anos. Todos saíram derrotados com maior ou menor expressão. O PS não tem aderência à população do concelho de Silves. Num mar de rosas pelo algarve ficou reduzido a um humilhante terceiro lugar. O PS em Silves implodiu!

O BE patinou nas contradições entre gente jovem entusiasta sem experiência da política real e uma meia dúzia de homens que acreditam que os metalúrgicos de fato de ganda ainda vão tomar o poder. A fação UDP minou a vontade de jovens inexperientes e fez implodir o próprio futuro do BE.

A CDU ainda não implodiu, mas para lá caminha se não tiver a coragem de atrair, nestes próximos quatro anos, pessoas com reconhecido mérito pessoal e profissional, por todo o concelho, com especial incidência na freguesia de silves e no sul e litoral do concelho, para crescer e governar ligada com as pessoas reais. Se em quatro anos continuarem fechados no seu casulo, alimentado por camaradas militantes desde 74 – os mesmos de sempre, e não aproveitarem para renovar os seus quadros com mulheres e homens de elevado mérito social, acabarão por implodir daqui a 4 anos.

Contudo, para governar o concelho de Silves é preciso fazer implodir todos os vícios e os subterrâneos de negócios e negociatas entre o poder político e o poder económico e social. Só implodindo as práticas políticas deste concelho é possível governar para os cidadãos deste concelho e já agora implodir alguns dos negócios ruinosos para o futuro da humanidade e do concelho de Silves.

Anseio pelo dia que haja uma explosão de criatividade e modernidade para o concelho de Silves. Espero que a presidente mestre Rosa Palma esteja à altura para fazer implodir as velhas práticas políticas deste concelho e fazer explodir uma nova prática política no concelho de Silves.

António Guerreiro

Autoria e outros dados (tags, etc)


10 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.10.2013 às 21:50

Se em relação ao PSD e PS, à luz dos factos se pode entender a opinião, no que concerne à CDU a afirmação "...alimentado por camaradas militantes desde 74 – os mesmos de sempre...", parece-me de todo descabida e absurda!!! Mas a presidente Rosa Palma não é a mais nova dos candidatos? Não era a vereadora com menos tempo? Não tem a CDU, nas suas listas os mais jovens candidatos às Juntas de Freguesia? Reduzir o grande numero de votos em Messines e S. Marcos, na CDU, "aos mesmos de sempre" é querer acreditar que no concelho não existem novos eleitores? Professor, faça um "refresh", ok?
Sem imagem de perfil

De António Guerreiro a 08.10.2013 às 00:22

Não quero comentar o comentário. Não estou a falar dos jovens candidatos nem da mestre Rosa Palma, estou a falar dos comunistas silvenses. Ficar iludido com os jovens assumidamente independentes é não compreender a necessária renovar dos quadro do PCP em Silves. 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.10.2013 às 18:01

Permita que o trate por professor, é uma questão de educação, pois foi assim que aprendi... A questão de estar a comentar o seu texto, deve-se apenas às duvidas que me suscita achando que o mesmo é por vezes contraditório. Assim, como o seu comentário!! Quando refere, "jovens assumidamente independentes", então no PS e PSD é exactamente igual, não acredito que os jovens candidatos a Messines (como exemplo!!) estão todos filiados no partido. O problema, creio, será transversal aos partidos do PSD ao BE, não apenas e singularmente à CDU como faz crer no seu texto.
Sem imagem de perfil

De Chico a 07.10.2013 às 22:56

fiquei surpreso, temos aqui um autor que ainda assina pelo seu nome, sem o doutor da praxe.
Sem imagem de perfil

De António Guerreiro a 08.10.2013 às 00:26

Caro amigo
No meu académico sou o professor doutor António Guerreiro.
Em Silves gosto de ser António Guerreiro.
Para o meus amigos mais antigos sou o Toino.
Para aqueles silvenses que me conhecem desde miúdo sou o Tó Manel.
Como vê optei pelo nome que partilho com os silvenses.
Sem imagem de perfil

De chico a 08.10.2013 às 08:45

Caro amigo,

Não se deixe enganar pelo propósito do meu comentário. A intenção não era de o aborrecer, pelo contrário. Fiquei feliz por vê-lo usar o seu nome. Mas também nada tenho contra o Dr., apenas não gosto de o ver usado como uma marca de distinção social, como frequentemente fazem aqui e em muitos outros locais.

Fala-se de eleições autárquicas, como tal, porque razão se insiste em juntar-se o Dr ao nome do Fernando Serpa, ou da Rosa Palma, só para dar alguns exemplos. Não terá a opinião destes candidatos  o mesmo valor que a do João Carlos Correia? Talvez seja então melhor avisar que o João é carteiro, e apresentá-lo por o "carteiro João Correia", assim a malta já sabe que dali não deve esperar muito.

Já agora e para terminar este já longo comentário, levando em conta a pouca importância do assunto.

Folgo em ver que a Universidade do Algarve, e neste caso a escola superior de educação, continua na vanguarda da inovação.

Em outras instituições académicas, o termo "Professor Doutor", está reservado por tradição aos professor catedráticos, e é usado apenas em ocasiões solenes, tal como deve ser.

Mas folgo em ver que na sua instituição, se começa mais cedo, vai logo desde professor adjunto. Mas deve ser uma trabalheira lá na universidade, imagine o meu caro o seguinte diálogo quando vai ao bar da ESE beber um café com um colega:


-Por favor senhor professor doutor António Guerreiro, o que vai querer hoje?

-uma bica e um pastel de nata.

-E o senhor professor doutor José Carmo, como está?

-estou bem obrigado.

-Então e o senhor professor doutor José Carmo, o que vai ser...


Já viu a trabalheira que isto dá. Deviam simplificar isso. Passava a ser o seu nome e facilitava a vida à funcionária do bar.

Dum seu amigo, sempre a estimá-lo

Chico
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.10.2013 às 10:52

Só uma rectificação o João Carlos foi carteiro e actualmente é TPG – Técnico de Gestão Postal, são duas categorias profissionais diferentes. C.C.
Sem imagem de perfil

De António Guerreiro a 09.10.2013 às 12:03

:) Esse diálogo não existe no bar da ESEC por dois motivos: 1.º porque nesse contexto somos apenas professores; 2.º o professor José do Carmo não é doutor. 
:) O professor corresponde ao facto de ser professor-adjunto e o doutor (por extenso) corresponde ao facto de ter o doutoramento.
:) Tenho muito orgulho em tudo aquilo que tenho conseguido exclusivamente pelo meu esforço e mérito.
Todas as profissões têm a sua dignidade própria, a de professor também. Tenho o dever de saber destingir as minhas relações profissionais e académicas das minhas relações pessoal. Foi ao nível pessoal que escrevi este comentário.
:) aqui sou só António Guerreiro
     
Sem imagem de perfil

De Luís Ricardo a 08.10.2013 às 08:13

Tanta implosão e explosão; António!
Não serão impulsos demasiado explosivos e abruptos para um pedagogo?
Fazes lembrar os radicais do LCI/PSR: "isto só lá vai à bomba".

Contágios ou saudosismos?
Haverá com certeza uma outra via (a 3ª do Blair?), a de encontrar os protagonistas adequados, e a nosso desejo! para protagonizar a tão almejada e necessária mudança, senão, e como dizes -e bem- a CDU nas próximas eleições terá no lar da 3ª idade metade dos seus dirigentes e da composição das listas.
Imagem de perfil

De manuelfernandes9 a 10.10.2013 às 15:48

É natural que haja mais arranjos que combinações.Um grande numero de arranjos podem corresponder á mesma combinaçâo...O verdadeiro rescaldo das eleições começa amanhã na Junta de Freguesia de Messines e por ai fora até chegar á Presidência da Assembleia Municipal...e por aqui me fico não sem no entanto dizer que a intimidade nunca pode ser fraticida ...

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...