Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





O Engº Carlos Cabrita será porventura o mais conhecido "bloquista" deste concelho. Conheço-o há vários anos e considero-o um pensador político brilhante. Quando nos sentamos para falar sinto-me como se estivesse perante o Kasparov com um tabuleiro de xadrez pelo meio: todas as jogadas ou movimentações que penso, ele já as antecipou! Tem sido persistente e com pouquíssimos meios conseguiu criar um espaço politico para o Bloco de Esquerda no concelho de Silves. Apesar de nestas eleições a votação não ter correspondido às suas expectativas, sei que está satisfeito com o que foi conseguido... mais importante do que umas centenas de votos é o respeito e admiração dos líderes de opinião e das forças vivas da terra. Obrigado Carlos pela sua participação.


 

O BE nas Eleições Autárquicas 2013: em SILVES, no ALGARVE, no CONTINENTE e na MADEIRA

 

Nos últimos 4 anos não fizemos suficiente trabalho sócio-politico local que justificasse a votação em nós……    A Juventude e a abstenção “deixaram-nos”.

 

Os outros fizeram esse trabalho!? …

 

 --- A CDU fê-lo sobretudo a partir na JF de São Bartolomeude Messines e do contexto Nacional da votação nestas eleições;

--  o PSD fê-lo no Governo, pela negativa e na Câmara de Silves nos últimos 16 anos;

--- o PS teve Fernando Serpa como vereador na CMS durante mais de uma década e este nos últimos 4 anos, até teve um Blog, faltou-lhe……

 

Estas eleições autárquicas de Setembro de 2013 realizaram-se na conjuntura sócio-política que todos vimos sentindo “na pele e já no osso”.

 

O BE em Silves, muito cedo percebeu essa conjuntura e não deu empenho significativo a estas eleições autárquicas. Preferimos concentra-nos na luta contra as políticas do “Governo da Troika” que vem sendo “encabeçado” pelo PSD.

 

Em face desta situação, pareceu-nos politicamente ajuizado, definir como objectivo principal a luta contra o PSD, como a mais importante e decisiva para pôr termo a estas políticas que actualmente nos (des)governam.

 

Nesse sentido, enquadrou-se também, outro objectivo de fortalecimento desta luta, contra o PSD. Tentámos agrupar forças com a chamada esquerda (CDU e PS) e encetamos contactos formais e informais para o efeito. Idem com o movimento “independente”, entretanto surgido o MMS.

 

Tal não foi possível. Em geral não tem sido concretizado. Coube-nos e cabe-nos tentar.

No Funchal concretizou-se e foi infligida uma grande derrota ao PSD, depois de várias décadas de domínio deste partido na Câmara da capital da Madeira.

 

Em Silves o PSD também sofreu pesada derrota. Penso que também demos o nosso contributo para o efeito tal como mencionámos no texto acima.

 

A CDU venceu as eleições autárquicas para a Assembleia Municipal e Câmara de Silves, concorrendo de forma isolada, sem coligações, não aceitou o(s) nosso(s) repto(s) para conversações ou coligações. Tal como no Funchal não integrou a coligação vitoriosa.

 

Quiçá o entendimento BE & CDU em Silves, tivesse obtido a maioria absoluta na votação para Câmara. O concelho e os munícipes teriam muito a ganhar com isso.

Aguardamos o que irá acontecer e com quem a CDU privilegiará os seus entendimentos nos próximos 4 anos e quem lucrará com isso!?...Outra curiosidade, dentro da CDU, será “observar a balança(o)” São Bartolomeu Messines / Silves e se penderá para algum lado!?...

 

Parabéns à CDU que conseguiu a simpatia dos eleitores. Obrigado aqueles que também nos confiaram o seu voto e que permitiram a manutenção de 1 eleito na Assembleia Municipal. Tentaremos não os defraudar.

 

Em face do cenário que se nos deparou: concorrer de forma isolada, sem acordos ou coligações; pouco tempo para preparar a candidatura; pouco dinheiro disponível; pouco trabalho local desenvolvido nos últimos 4 anos; pouco militância local; …. Ainda admitimos concorrer só à Assembleia Municipal, não concorrendo à Câmara nem a nenhuma freguesia.

 

Apesar destes constrangimentos o “Grupo” (BE e Independentes) ganhou ânimo e força e encetou o processo de construção da candidatura que foi apresentado e com os resultados também conhecidos.

Um resultado muito honroso no contexto do Algarve (3.º lugar) e Nacional. Um pouco acima dos 5%, tendo ficado por exemplo, Lisboa e Porto abaixo desta fasquia.

Ficamos sem o eleito (por 4 votos) na Assembleia de Freguesia de Silves e mantivemos a eleição de 1 elemento para a AM, agora Carlos Cabrita.

 

A campanha do BE em Silves apesar de tudo conseguiu ser “engraçada”.

Fizemos uma boa pré-campanha em que a acção de distribuição do papel higiénico pelos serviços da CMS deu que falar. A outra acção principal de pré-campanha a distribuição dos “Mata-Mosquitos”, pelo litoral do concelho, nem tanto.

Na campanha propriamente dita sobrepuseram-se as nossas fragilidades, os nossos problemas e fomos ofuscados pelo mérito dos vencedores, a CDU.

Só o “Facebook” foi insuficiente… e suficiente para mostrar desentendimentos.

 

A CDU conseguiu a enorme proeza de vencer as eleições para a AM e CM de Silves a partir sobretudo da actividade da Junta de Freguesia de São Bartolomeu de Messines e do contexto nacional desta votação autárquica que a favoreceu aqui e noutros concelhos.

A mensagem passou, espalhou-se desde São Bartolomeu de Messines.Inicialmente a Silves, depois a todo o concelho. Paulatinamente de “boca em boca”, “sem ondas” ou polémicas, contrariando os “especialista locais” que diziam que esta vitória seria impossível e sob a “direcção” de um seu grande especialista local, nesta matéria.

 

O PSD foi penalizado pela conjuntura Nacional, pelos seus 16 anos de liderança local, pela mudança (recente) dessa liderança, Isabel Soares por Rogério Pinto.

 

O PS apesar da intensa campanha e pré-campanha não conseguiu capitalizar em Silves o que conseguiu noutros concelhos apesar de também ter perdido noutros concelhos do País ( Beja, Évora, Loures,) na sua disputa com a CDU.

Quiçá o candidato em Silves!?...

 

Perdemos TODOS, perde o País, perde a Cidadania: muito embora uns mais que outros, PERDEMOS para a abstenção e os votos brancos e nulos.

No concelho de Silves a abstenção foi acima de 50% e os votos brancos e nulos somados passam em muito os do BE. A Juventude foi uma das responsáveis por isso….

 

O BE, claramente em Silves e no País não conseguiu atrair votantes descontentes com as politicas em curso. A CDU parece ter sido quem capitalizou desta vez, esse descontentamento.É necessário perceber porquê!

 

O BE terá que trabalhar, sempre mais, ao longo do tempo, para conseguir crescer e implantar-se…se conseguir sobreviver…as lutas e o desenvolvimento precisam de protagonistas. Este é o “caldo” para a Esquerda trabalhar a Direita “move-se noutra águas”.

 

 

Carlos Cabrita, 10-10- 2013

 

 

PS - O autor deste texto, não é da UDP nem entrou para o BE por quaisquer das outras

        duas“correntes fundadoras”… embora assuma as suas preferências e opções.

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Sem imagem de perfil

De António Duarte a 13.10.2013 às 23:55

O meu amigo e camarada Carlos Cabrita esqueceu-se a dizer que esteve entre os que defenderam, há meses atrás, que o BE não deveria concorrer ás eleições para a Câmara de Silves,( para não dividir os votos à esquerda), concorrendo apenas à Assembleia Municipal e a algumas freguesias. Afinal a CDU não precisou da "unidade à esquerda" para ganhar folgadamente as eleições. Agora para governar a Câmara, a CDU irá precisar de estabelecer unidade com alguém e o tempo dirá para que lado se inclinará mais...
      Não me parece que os resultados medíocres do BE estejam relacionados propriamente com "a falta de trabalho político". A candidatura do BE começou muito bem, com muitos apoios, mas depois faltaram propostas sensatas para captar ou fixar eleitores, tanto no papel, como no digital. Afinal, o tão falado "programa participativo" esteve fechado, até para os "veteranos" do BE, pois aqueles que fizeram propostas tiveram o desconsolo de as ver cair num saco roto...
 
Sem imagem de perfil

De Carlos Cabrita a 14.10.2013 às 08:28

Caro "camarada" António Duarte,

Eu não me esqueci nem li mal... o "camarada"" é que tão "enfocado" em desestabilizar já não lê...

Estranho também que sendo um "veterano", não saiba ainda que a roupa suja se lava em casa e venha insistir em fazer aqui, neste Blog o que fez durante a campanha no Facebook do BE.

Quando sabe o que disse na última reunião interna... sobre o seu futuro... no grupo...

Só têm um caminho se forem coerentes: candidatem-se à liderança local do BE... eu retiro-me... é só crescerem e aparecerem...

Não quero alimentar em Blogs por mais respeito que me mereçam o que deve ser discutido internamente... mas o "amigo" quis...

Contudo, aproveito para confirmar o que afirmou aqui sobre o que terei dito sobre que achava sobre a nossa candidatura à Câmara. Aceitei a decisão contrária do grupo e fiz mais por ela que o "camarada" sendo seu defensor, embora tenha eu dito na altura, que iríamos ter 500 votos.

Estranho ainda que um brilhante analista político como se julga, tenha colocado no Facebook do BE no dia do encerramento da campanha que o BE iria ter a melhor votação de sempre... foi o que se viu... o "camarada" já não se lembra, não se retratou e vem agora com outras teorias... tem estudar mais "camarada"...

Espero encontrá-lo no local próprio!?...

CC
Sem imagem de perfil

De António Duarte a 14.10.2013 às 16:16

Nasci num tempo em que não havia máquinas de lavar e a roupa não se lavava em casa. A maior parte da roupa suja era lavada em barrancos, ribeiros e ribeiras, que eram locais de acesso público, coisa há muito estabelecida pela legislação que estabeleceu o "domínio público hibrico".  Na política também é assim, quando alguém não pode lavar a roupa dentro de casa, tem que a ir lavar para a rua. Estive na UDP até próximo dos 28 anos e a democracia que por lá encontrei não foi propriamente a da Camorra ou a da Coreia do Norte. Tomara muitos terem tido, por onde andaram, a aprendizagem democrática que eu tive.
   Sendo eu um defensor duma candidatura do BE á câmara de Silves, fui o único que pediu uma semana para pensar quando o David Marques se ofereceu para ser o candidato à câmara...
    Quando, no princípio de Agosto, reparei que estava a ser empurrado para o lado, ainda refilei um pouco, mas optei por me afastar. Não iria queimar carradas do meu tempo e alguns dos meus recursos, com propostas programáticas que considerava medíocres. Perante um desfilar de mediocridades no Facebook tive que ir dizendo alguma coisa, durante a pré-campanha. Quando começou oficialmente a campanha eleitoral(últimas duas semanas), decidi fazer poucas ou nenhumas ondas e até passei a clicar GOSTO em quase tudo o que punham, para mais tarde não me acusarem de ter prejudicado o resultado da candidatura. Foi nesse clima que até apareci a dizer que o BE poderia chegar ao resultado das legislativas de 2009, quando acreditava que a votação para a câmara, no melhor dos casos, iria andar por metade desse valor, á volta dos 1300 votos. Ainda bem que falaste nisso, porque alguns arautos da "democracia participativa" acusaram-me de ter prejudicado fortemente o BE com a minha participação no Facebook. Um deles até disse, que se fosse ele que mandasse, teria tirado os meus comentários todos...
   Como já te disse certa vez, e volto a repetir, aceito muitas lições vindas de ti, desde que não sejam de política...
Sem imagem de perfil

De Mark Zuckerberg a 19.10.2013 às 00:06

Vá lá meninos... Lá para 2043, quando as mesas de voto forem substituídas pelo facebook, vão ganhar de certeza!
Há que ter esperança no futuro... 

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...