Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





A Dra Ana Sofia Belchior é uma advogada, messinense e militante socialista bem conhecida no nosso concelho. Já desempenhou os mais variados cargos políticos e, ainda recentemente, cessou as suas funções como eleita pelo PS na Assembleia Municipal de Silves. Conheço-a desde que me lembro de ser gente (como atesta o Paulo Dinis, que é como ela me chama), quando ainda criança ia passar uns dias na casa do meu avô, em Messines de Baixo, a pouca distância da casa dela. Mais tarde andamos na mesma escola e, mais tarde ainda, encontramo-nos no Partido Socialista. Para além da amizade reconheço-lhe capacidades políticas importantes, como a capacidade de dialogo, a perseverança, a calma e a vontade de servir.  Agradeço-lhe o texto que enviou, sei bem que não é seu costume fazer comentário político. Obrigado Sofia!


É com grande honra que aceitei o desafio do meu amigo Paulo Dinis, para lhe dar a minha opinião acerca dos resultados eleitorais das eleições autárquicas no nosso concelho, ocorridas no passado dia29/09/2013.

 

Assim, começo por confessar que não fiquei surpreendida com o resultado eleitoral, e que desde cedo sempre me pareceu espectável que o resultado fosse o que realmente veio a acontecer.

 

Como deve ser do conhecimento da maioria dos visitantes deste Blog, sou militante do Partido Socialista há longos anos. Sou militante por convicção e porque acredito nas suas directrizes e nos valores de base. No entanto, não sou obrigada a concordar com tudo o que por lá se faz, nem sou obrigada a concordar com todos os seus protagonistas, nem sou obrigada a concorrer em todas as listas. Mas, no entanto, tenho o direito de respeitar o que a maioria decide e assim o fiz e farei.

Posto isto, vou tentar fazer uma análise imparcial, abstraindo-me disso e baseando-me apenas na minha leitura pessoal dos resultados eleitorais no nosso concelho.

 

A derrota do PSD era esperada, não só pelo facto de ser o partido de Governo, mas, sobretudo, porque a população do Concelho estava farta de 16 anos de gestão PSD, e também porque o rosto da PSD local já não era a Dr.ª Isabel Soares. Porque, também vos digo, acredito que se o fosse, o resultado eleitoral poderia ter sido diferente.

O Dr. Rogério Pinto pese embora seja um homem dinâmico e comunicativo, de fácil trato, não conseguiu passar a imagem de homem com capacidade para continuar à frente dos destinos do município.

Logo após a sua tomada de posse, a natureza deu-lhe a glória do estrelato em todos os canais nacionais, para infelicidade de alguns dos que sofreram com os prejuízos do tornado que assolou o nosso concelho no ano passado. Nessa altura, o Dr. Rogério Pinto ficou conhecido como sendo o novo Presidente da Câmara Municipal de Silves, o que para muitos até então ainda era desconhecido. Na minha opinião esteve muito bem nessa altura, diria mesmo, esteve à altura de um Presidente de Câmara, sempre junto da sua população e pronto a ajudar! No entanto, como não há bela sem senão, a mesma natureza veio-lhe roubar o tal protagonismo, com o triste episódio da praga dos mosquitos que assolou no Verão passado os habitantes e visitantes de Armação de Pêra, e que desesperou tudo e todos. E aqui Rogério Pinto esteve mal, muito mal mesmo.

Também sou da opinião que não foi este episódio que o fez perder as eleições, mas sim a descrença dos cidadãos no PSD. O resultado era expectável.

 

Quanto à derrota do Partido Socialista, bem esta foi sem dúvida alguma a pior de sempre, pois para além de termos virado a 3.ª força política no concelho, obtivemos também o pior resultado no Algarve, quando o Partido Socialista ao nível nacional teve o melhor resultado de sempre depois do25 de Abril de 1974, conquistando aproximadamente 150 municípios.

Esta leitura, por muito que nos custe engolir, tem que ser feita. Algo correu mal no Partido Socialista em Silves, mesmo com os apoios todos que teve, com figuras distintas do PS nacional a apoiar, tais como António José Seguro, Carlos Zorrinho, Vieira da Silva, Inês de Medeiros, João Proença, Maria Amélia Antunes, entre outras figuras também da distrital, este nunca poderia ter sido o resultado eleitoral no Concelho de Silves. Por falta de apoios não foi com certeza.

O excesso de confiança, o menosprezo pelos adversários políticos, os conflitos internos mal resolvidos que alimentam sede de vingança, o desgaste de alguns candidatos na política muitas vezes têm como consequências estes resultados.

Há que haver coragem para reconhecer a derrota, mas acima de tudo há que haver coragem para assumir que fracassamos e que devemos dar oportunidade a outros, sendo certo que nada nos impede de continuarmos de uma maneira activa e leal, a ajudar o Partido Socialista! A ideia será sempre a de união, com a participação de todos a uma só voz. A voz do Partido e não aquela que lhe quiseram dar.

Temos que ser humildes, sensatos mas também ferozes o suficiente para conseguir combater e enfrentar os novos desafios que estes 4 anos nos trarão. Penso que com humildade e sensatez conseguiremos levar a água ao nosso moinho!

 

 

Quanto ao Bloco de Esquerda, este conseguiu manter o seu membro na Assembleia Municipal, o que por si só não é mau. Tendo em consideração os resultados eleitorais ao nível nacional, até nem esteve mal e conseguiu manter mais ou menos o seu eleitorado.

Fizeram, a meu ver, uma campanha limpa, calma, sem grandes alaridos e provocações, o que demonstra carácter e atitude na política, o que faltou em muitas outras campanhas.

Pessoalmente não conhecia o candidato à Câmara Municipal, o Prof. David Marques, mas entendo que esteve à altura do desafio, pois apresentou-se à população com um projecto, com ideias para o concelho. Não foi o suficiente, mas esteve bem.

 

Quanto à CDU, bem a CDU efectivamente foi a grande vencedora destas eleições. Assim sendo, e antes de mais, endereço os meus sinceros parabéns à Sr.ª Presidente eleita, Dr.ª Rosa Palma, e à restante equipa, e faço votos para que cumpram com lealdade o juramento que irão fazer.

A meu ver, a conquista da Câmara Municipal de Silves pela CDU deveu-se ao contributo essencial de duas pessoas: João Carlos Correia e Mário Godinho.

E passo a explicar o porquê desta minha análise. Desde o inicio, i.e., desde há 4 anos atrás, quando João Carlos Correia ganhou a Junta de Freguesia de Messines que eu sempre pensei e disse que a CDU seria o maior adversário politico que nós iríamos ter nestas eleições autárquicas. E isto porque, caso as coisas corressem bem nesse mandato para o João Carlos Correia, como correram, seria difícil conseguir reconquistar a Junta de Freguesia de São Bartolomeu de Messines. Em Messines criou-se um mito em torno de João Carlos Correia, um fenómeno chamo-lhe eu! 

Ora, atendendo a este cenário, e tendo novamente como candidata à Câmara Municipal a Dr.ª Rosa Palma, que por sinal é a mulher do João Carlos Correia, significava que provavelmente, por arrasto, os votos da CDU na Junta de Freguesia iriam também para a Câmara Municipal. E não podemos esquecer o facto da Dr.ª Rosa Palma, há 4 anos atrás, sendo a 1.ª vez que concorria numas eleições autárquicas, em que pouca gente ainda a conhecia, ter tido o mérito de ganhar na sua Freguesia por 1 voto ao Partido Socialista. E na altura, quem encabeçava a lista do Partido Socialista para a Câmara Municipal era a Dr.ª Lisete Romão, que é uma pessoa com muito prestígio no nosso concelho, não só pelas suas funções profissionais, mas também pela sua maneira de estar na vida.

Como ia dizendo, era de prever, a meu ver, que nós, Partido Socialista iríamos ter uma luta muito difícil, tanto mais com a escolha de Mário Godinho, em n.º 2 na lista para a Câmara Municipal. Sendo que, a partir daí o resultado estava à vista, os votos que Mário Godinho tinha conseguido há 4 anos atrás iriam com ele para onde fosse, e tal facto aconteceu, também por arrasto, levou consigo os votos da Junta de Freguesia para a Câmara Municipal.

Esta leitura é muito fácil de se fazer, basta perdermos 5 minutos a analisar os resultados eleitorais de 2009, facilmente se chega a este resultado. Mário Godinho, há 4 anos atrás, tinha obtido aproximadamente a mesma votação para a Junta de Freguesia de Silves, que a Dr.ª Isabel Soares obteve para a Câmara Municipal, o que significa que em Silves, quem votava na Dr.ª Isabel Soares para a Câmara Municipal, votava Mário Godinho para a Junta de Freguesia. Com isto quero dizer que as pessoas não votam em partidos, mas sim em PESSOAS!

 

É assim que se ganham eleições, sem se saber como, talvez com um pouco de astúcia política e algum trabalho de porta à porta.

 

Entendo que cada vez mais as pessoas, nas eleições autárquicas, votam em pessoas e não em partidos! A leitura que faço é que as pessoas olham para os candidatos na sua vertente pessoal, humana, profissional, capacidade de liderança e deixam para segundo plano os ideais políticos! Enfim, analisam o perfil das pessoas enquanto cidadãos e depois fazem a sua escolha!

 

Em suma, se me perguntarem se fiquei contente com o resultado eleitoral, a minha resposta é não! Se me perguntarem se já estava à espera deste resultado eleitoral, a minha resposta é sim!

 

Parabéns a todos os que tiveram a audácia de se candidatar a estas eleições autárquicas!

Parabéns aos vencedores e parabéns aos vencidos!

 

Espero não ter ofendido ninguém com esta minha análise, mas é verdadeira e sentida, como tudo aquilo que faço na vida!

 

Bem hajam a todos!

 

Ana Sofia Belchior

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Sem imagem de perfil

De DistritalCalling a 16.10.2013 às 22:59

Boa análise
Sem imagem de perfil

De Jorge C. a 17.10.2013 às 13:33

Boa análise. 
Só discordo de uma coisa, o fenómeno não foi o mito criado à volta do João Carlos Correia, o fenómeno é mesmo o João Carlos Correia! Para quem não sabe foi a maior votação, em termos percentuais, que a CDU teve nestas eleições a nível nacional (78%) e, isto carece de confirmação oficial, provávelmente a maior de todas as forças politicas, em todas as freguesias do país.
Afinal o trabalho compensa...  
Sem imagem de perfil

De UM CIDADÃO a 17.10.2013 às 16:11

...e a maior recompensa, foi a sua mulher ter sido eleita  Presidenta, a reboque do trabalho dele!...
Sem imagem de perfil

De chico a 17.10.2013 às 16:41


caro cidadão.

Passando por cima do facto de assumir que o concelho todo, alinhou com a vontade de messines.

pergunto:
E você já viu o trabalho dela, para saber quem é que anda a reboque quem?

cumprimentos

chico
Sem imagem de perfil

De Jorge C. a 18.10.2013 às 08:33

e depois?
Havia de rebocar quem? O Serpa?
Azia dum raio.... 
Sem imagem de perfil

De CC a 23.10.2013 às 13:00

Amiga Ana, Penso que não existe nenhum mito em torno do João Carlos que eu conheço bem. Ele é bastante trabalhador e não vira a cara á luta, as pessoas já reconheceram e por isso votaram nele. Na minha opinião a vitória expressiva nas eleições deve-se sobretudo às muito fracas candidaturas da oposição.
CC

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...