Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





 

25 de Março de 2007 ficará para a história de Portugal como o dia em que Salazar foi eleito o “maior português de sempre”. Em muitas casas deste país portugueses foram para a cama com um “nó na garganta” e com uma pergunta a bater-lhes na cabeça a cada 15 segundos: Que merda de país é este em que vivo?!!

 

Não vivi esses tempos mas deles tenho os estudos e conhecimento suficientes para abominar a ideia.

 

Mais grave ainda foi que, juntos, Salazar e Cunhal conseguissem 70% das preferências dos votantes! Sabe-se lá o que quererá dizer isto?! Sabe-se apenas que dois “tipos” que “cuspiam” na democracia foram “democraticamente eleitos” como os “Maiores Portugueses de Sempre”. Ironia suprema ou sinal de alarme sério para a nossa classe politica?!!

 

Está aberto o terreno para que surja na cena politica um Le Pen à portuguesa… É só esperar.

Fiquem com um texto de Miguel Gaspar, do DN, a 27 do mês passado...

Salazar


Miguel Gaspar
Para uns, trata-se de um concurso de televisão que não merece atenção. Para outros, é um cenário de pesadelo imaginar que na televisão pública do Portugal democrático o povo possa vir a eleger Salazar como o maior português de sempre. Estou entre os primeiros: não só porque um concurso é um concurso, mas também porque uma votação na Internet é uma votação na Internet: pode ser facilmente manipulada e não é representativa da população. Vale apenas como curiosidade.

O mesmo não se pode dizer dos efeitos que essa votação está a provocar. Da motivação de algumas parcelas do eleitorado televisivo para fazer crescer as votações em Salazar ou em Álvaro Cunhal para ganhar na televisão o que se perdeu na História, ao regresso do velho, desalentado e triste discurso sobre a imbecilidade crónica do povo português que continua "a querer um Salazar", Portugal permanece o país da falta de auto-estima e que precisa de se ver feio ao espelho. Porque continuamos a ser assim qua- se 40 anos após a morte do ditador de Santa Comba é que permanece um mistério.

Entendamo-nos: o mal-estar em relação a tudo isto não é culpa da RTP, mas sim de um regime democrático que nunca conseguiu criar uma grelha de valores sólidos e consensuais, nomeadamente quanto ao sentido da democracia e quanto à questão nacional. A história épica ensinada pela ditadura continua a ser o molde através do qual muitos portugueses olham para o passado. A democracia não fez me- lhor do que reinventar os Descobri-mentos como base do espírito nacional. E, sobre temas tão complexos co- mo a Guerra Colonial, preferiu manter o silêncio.

Salazar está bem menos vivo do que se pensa. Para as pessoas que nasceram nos anos 1970 ou 1980, nem pertence ao passado imediato. A pouco e pouco, o ditador deixa de existir na memória de pessoas concretas e torna-se um nome abstracto, impresso entre duas datas nos livros de História. Isto vale tanto para os saudosistas do fascismo como para os discursos construídos em torno da me- mória do combate à ditadura.

O problema é que, desaparecendo esta memória da história recente, fica apenas um vazio. E o drama do nosso tempo é precisamente esse: o de ter perdido o sentido da história. E, sem esse sentido, o passado torna-se um jogo em que Cunhal, Camões, Salazar ou D. João II valem o mesmo. A Histó-ria tornou-se num mero concurso de televisão. E isso preocupa.

Autoria e outros dados (tags, etc)


14 comentários

Sem imagem de perfil

De fotosfalantes a 27.03.2007 às 01:43

Olá boa noite a respeito do que atrás foi dito eu conheci esses tempos e se ele foi escolhido é pela m... que todos os governos deste pais tem feito pelo Zé povinho por isso os políticos que tirem conclusões e pensem se não é assim e alguns nem conheceram os horrores desse tempo a minha boa noite e tudo de bom para o pessoal
Sem imagem de perfil

De Ailéh a 27.03.2007 às 16:25

Olá paulo.
por acaso recebeste algum mail dos que te enviei?

um abraço
Sem imagem de perfil

De Gupy a 27.03.2007 às 22:57

Caro Paulo Silva, espero sinceramente que esteja mais calmo! Tanto eu como a Ailéh só pretendemos chamar a atenção para o facto de TODOS nós percebermos que as coisas em Messines não estão a ser geridas e governadas da melhor forma e sentirmos que o facto de aqui deixarmos a nossa opinião, por si só , não resolve nada... mas por mim acho que a oportunidade que nos dá de pelo menos deixarmos aqui a nossa opinião, já é sem dúvida uma mais valia importante. Por isso continue por favor.
Quanto a este último "post" sobre Salazar , e depois de analisar o seu ponto de vista , vou fazer o seguinte comentário : " Será que os mesmos Portugueses que se deram ao trabalho de votarem nesta eleição , não serão os mesmos que elegem permanentemente e consecutivamente a mesma " alcateia" de políticos que há tantos anos governam de forma incrívelmente irreponsável este país? " . Já imaginou uma situação de 3ª Guerra Mundial , com toda a Europa envolvida...acha que temos algum governante em Portugal , com credibilidade e conhecimentos para negociar o nosso " não envolvimento" ?
Olhe que Salazar pode e certamente teria muitos defeitos ,mas eu tenho últimamente adoptado outra táctica, procuro ler e informar-me com obras escritas " ao tempo" , e não ler só o que escreveu pós 25 de Abril... e olhe que me tenho surpreendido muito... Ás tantas até eu começo a peguntar a mim mesma se hoje existem políticos e homens com tantos " tomates" em Portugal , como Salazar teve!!
Só se for o Sr. Tonny que os tenha... porque de resto não conheço muitos.
Desculpem o " Testamento"...



Sem imagem de perfil

De Tonny a 28.03.2007 às 13:52

Cara Gupy o salazar foi sem duvida um Portugues com alguns meritos e muitos defeitos, tantos que nem dá para enumerar, fiquemos apenas num, a falta de tomates essa é sem duvida uma caracteristica de salazar, se os tinha não se lhe conhesse uso nem descendencia. Todos os Portugueses que ainda hoje tem falta de tomates são filhos do regime castrador e criador de lambe cus que ele criou.
Sem imagem de perfil

De Ailéh a 28.03.2007 às 17:04

Oh gupy maria.... ainda bem que me defendes e concordas comigo, assim ofereço-te uma estrelinha de figue seque...
beijos
Sem imagem de perfil

De Tonny a 29.03.2007 às 23:16

Cá o Tonny ainda muda para Messines, para vos dar apoio!!
Sem imagem de perfil

De fotosfalantes a 28.03.2007 às 00:28

Como disse neste mesmo posto isto axo que é um sério aviso aos políticos da nossa praça e quer dizer algo não a mim mas a esses políticos que sempre nos exploraram Salazar foi o que foi mas quando uma Empresa fechava o primeiro dinheiro era para os trabalhadores e agora?... Quanto a Álvaro Cunhal axo também outro aviso da direita ou da esquerda é o que todos os políticos tem atirado as pessoas a desejar um deles sempre era MELHOR DO QUE ESTES QUE SE QUEREM POLÍTICOS DE MEIA TIGELA Salazar negociou de facto a não entrada do nosso pais na guerra mas passamos fome por isso possivelmente alias de certeza que com Salazar não tínhamos aquela infame reunião nos Açores para invadir o Iraque o distinto Durão barroso deu-lhe toda a atenção é por essas e outras que as votações assim ditaram boa noite e paciência para aturar-mos esses ....
Sem imagem de perfil

De Metro dos Malandros a 28.03.2007 às 21:59

Lamento que falem com tanta leviandade de um assunto tão grave quanto foi e é o Estado Novo. E mais lamento que quer a Guppy quer a Aileh, a primeira porque diz que tem lido algumas coisas sobre esse Período da nossa História; a segunda porque chama a primeira à colacção. Face ao vosso pacifismo, pergunto a uma e à outra - têm na vossa mente a ideia da miséria em que se vivia antes do 25 de Abril em que a maioria da população andava descalça porque nem dinheiro tinha para comprar um par de sapatos? Têm a noção e têm lido as torturas que eram infligidas nas Prisões Políticas portuguesas? As duas, porque segundo tuodindica, nasceram pós 25 de Abril, sabem o que é a falta de liberdade? de falar, de ouvir, de conversar? quase até de pensar? sabem o que é a ignorância de um Povo, porque quanto mais inculto, mais facilmente se domestica? Sabem o que é viver na clandestinidade? Sabem como foram famílias destroçadas? Felizmente quer uma quer outra não viveram esse período. EU VIVI e enquanto tiver memória e for memória, por muito mal que agora se possa viver, nada, mas mesmo NADA ,se compara ao salazarismo. Não branqueiem a História e, sobretudo, respeitem os Homens e Mulheres deste País que vos deram a liberdade de escrever o que têm e estão a escrever. É que agora, por muito medo que se tenha das represálias, já não há lápis azuis

E não me venham com comparações. Salazar não é o contrabalanço das asneias dos actuais políticos. Essas asneiras são culpa nossa porque os permitimos e porque neles votamos...

E já viram o paradoxo da História? Mesmo sendo um concurso, depois de morto, Salazar ganhou a primeira eleição. Não interessa por quem... Mas foi ELEITO, democraticamente, segundo um regime pelo próprio proibido... São as contradições da História!!!! Pensem nisso e

Um abraço. Obrigada, Paulo, pela tua indignação que é minha e, felizmente, da maioria dos Portugueses lúcidos.
Sem imagem de perfil

De Mr. Hyde a 29.03.2007 às 10:13

Salazar -foi responsavel por ter isolado o país durante 40 anos do resto do mundo, atrasou a industrialização e preparou mal a população para o futuro,

A. Cunhal - Teve o seu mérito na revolução, desculpem, no GOLPE DE ESTADO do 25 de Abril, mas no entanto enquanto o Dr. M á rio Soares lutava pelos interesses económicos e territoriais nas colónias , o seu amigo Carluci ajudava a aproximar Portugal da esfera Ocidental e alimentar mega interesses imobili á rios, mas Soares era pelo menos a favor de uma democracia, ao contr á rio de Cunhal, que queria um regime de direcção central, passando Portugal a ser mais um satélite da Ex-união soviética..

Quanto à votação...vale o que vale, mas não é representativa de nada, se não reparemos: A mesma pessoa podia votar mais q 500 vezes, era um programa televisivo..meus amigos, não existe em termos científicos, nada que possa credibilizar esta votação..foi um simples programa de entretenimento..vale o que vale..
Sem imagem de perfil

De Tonny a 29.03.2007 às 22:43

Não idiota só podia votar quinhentas vezes se tivesse 500 telefones fixos!!!!!!!! por isso é que é grave!!!!!!!!
Sem imagem de perfil

De Silvense a 29.03.2007 às 23:54

Bom acho que o pessoal está dar mais importância ao caso do que realmente ele tem quem tem dinheiro votou quantas vezes quisesse não há cabines publicas por todo o lado e também não sei se cada telefone só podia mandar uma chamada para esse efeito é que os que estão com a condição de anónimos que não aparecem o numero como são controlados lá se é que são controladas as chamadas um abraço a todos e abaixo o Fascismo agora com novo tipo como esse do Cartaz contra a imigração Portugal que sempre foi um pais de emigração um abraço
Sem imagem de perfil

De Tonny a 30.03.2007 às 00:03

200 000 cabines!!!!!!!!! boa!!!
Sem imagem de perfil

De Mr. Hyde a 30.03.2007 às 12:25

Eu não sei quem é esse tal de Tonny, mas garanto ao Paulo, que tem um Blog interessante, que é graças a comentários imaturos e sem relevância como o desse fulano, que acabam por levar um Blog onde se debatem assuntos sérios, para a mediocridade, e com comentários sem relevância para o assunto...mas devido á iliteracia existente no nosso país, acredito que esse fulano(Tonny), não tenha conseguido interpretar o meu comentário, e assim sendo posso retirar 2 conclusões: ou o fulano tem problemas cognitivos de aprendizagem ou então entra para as estatística dos analfabetos funcionais.

Com os melhores cumprimentos, e a continuação de um bom trabalho para o Paulo e todos os visitantes educados, até um dia...
Sem imagem de perfil

De Tonny a 30.03.2007 às 14:27

Peço desculpa tem razão . Em relação ao seu primeiro comentário cito o poeta Diogo Camacho «pois quando vemos o que dentro encobre/quatro paus carunchosos nos descobre».

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...