Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...



subscrever feeds



Promessas...

31.08.09

 

Apesar de ainda não ter outdoors e cartazes na rua, a nossa presidente está em campanha… ao seu melhor estilo. Desta vez São Marcos da Serra é o alvo das suas promessas eleitorais que, ficarão na gaveta com toda a certeza, tal a sua inviabilidade e despropósito.
Com a construção do Museu do Azeite e da Estalagem “do Azeite” em curso eis que chega o anúncio de que se irá construir em São Marcos da Serra uma Praia Fluvial e um Parque da Campismo (curiosamente num local onde “existem muitas oliveiras”, é inegável a relação de Isabel Soares com o “viscoso liquido”).
Traçando um paralelismo entre estas propostas (feitas para um universo de 900 eleitores, dos quais a esmagadora maioria tem mais de 50 anos) e o que foi feito em Messines, até se torna divertido imaginar o que poderá ser a Praia Fluvial e o Parque de Campismo… tendo em conta o “Terminal Rodoviário” (prontinho a inaugurar) e as “Piscinas Olímpicas” (diariamente frequentadas por pequenos “Michael Phelps“ - como se pode ver na foto) que construiu na nossa vila.
Também não deixa de ser curioso que numa altura em que os Parques de Campismo começam fracassar em zonas de elevado potencial turístico se pense em construir um em São Marcos da Serra, uma terra onde as pessoas não têm cuidados de saúde dignos, acesso a transportes públicos e (em muitos locais da freguesia) saneamento básico!
A Praia de Fluvial é um projecto interessante, que tenho defendido pelo baixo investimento e benefício directo para as pessoas da freguesia, mas isso não faz com que acredite na sua construção por este executivo.  Será mais um truque para iludir as pessoas e fazê-las acreditar que melhores dias virão. O que conta mesmo é o voto… e no dia 11 de Outubro de certeza que São Marcos da Serra vai votar em peso na senhora.
Aqui ficam os links para as notícias:
Os vossos comentários são muito bem-vindos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Como sempre por más razões a nossa vila volta a figurar nos jornais nacionais. Ainda o Jardim nem foi inaugurado e já há quem peça que se manda abaixo e se faça de novo. Já aqui tinha falado naquela vergonha mas, como sempre, será preciso que alguém se aleije (ou coisa pior) para que se faça alguma coisa. Aqui fica a notícia e o link:

 


S. B. Messines: Crianças aproveitam espelho de água junto a escola

Banhos de risco em jardim público

O novo jardim municipal – ainda por inaugurar em São Bartolomeu de Messines, Silves – tem um lago com cerca de 20 metros de comprimento que é usado por crianças para banhos. O perigo de queda, afogamento e contaminação é real, mas nenhum sinal de alerta ou proibição existe naquele equipamento público mesmo em frente a uma escola EB 2,3 .

"Só falta o nadador salvador", comenta Fernando Manuel, proprietário de um bar junto do jardim onde o pequeno lago foi enchido há cerca de cinco semanas e terá cerca de 80 centímetros de altura de água. O empresário denuncia a falta de avisos a proibir os banhos e salienta que "fazer um jardim com mármores em arestas vivas, em muros baixos, é um perigo".

O presidente da Junta de Freguesia de S. B. Messines já alertou a autarquia para o perigo. "Não é difícil uma criança afogar-se ali", diz José Vítor Lourenço. A delegada municipal de Saúde visitou o local esta semana. "Fiquei abismada, perplexa. Há um tanque sem avisos, sem resguardos, com água que parece conspurcada e com crianças a mergulhar. Há risco de contaminação, de traumatismo e de afogamento", diz Lisete Romão.

A presidente da Câmara de Silves admite já ter sido alertada. "Fui lá e não vi nada", alega Isabel Soares, admitindo que "se não foi só um momento, temos que colocar um sinal".

Paulo Marcelino

 


In Correio da Manhã - 27/08/2009

 

Já agora, e à posteriori, ressalvo que me parece pouco ético este duplo papel que tem desempenhado “a delegada de saúde local”. Ficar-lhe-ia muito bem que, numa circunstância em que é candidata à presidência do Município, se dignasse a pedir a suspensão das suas funções como delegada de saúde. Se a ideia é ser diferente e primar pela competência e honestidade o melhor é demonstrar que isso significa mais do que palavras para colocar em outdoors. É apenas a minha opinião, que tal como na questão das “cores” terá o valor que cada um lhe quiser atribuir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nós por cá...

26.08.09

 

O mês de Setembro está à porta e este ano, além do “regresso às aulas”, teremos também a “loucura” política aqui no concelho… vários “derbies” prometem aquecer o mês de Setembro e levar a que os primeiros dias de Outubro sejam verdadeiramente frenéticos. Ainda bem… o concelho precisa disso.
Isabel Soares ainda não “saiu da toca”, revelando algum excesso de confiança que lhe poderá sair caro no final. Nesse aspecto todos os candidatos estão de acordo (pelo menos no comportamento que têm tido): “Nunca interrompas o teu adversário quando estiver a cometer um erro”.
A candidata do PS tem, pelo menos a julgar pela agenda que publica no site, estado bastante activa… a propósito de site gostava de deixar aqui claro que acho que o facto de a sua candidatura estar no Twitter e no FaceBook é bastante positivo (não entendo é porque foi colocado o meu comentário em destaque, será que desde Julho mais ninguém comentou???). Já o tinha dito várias vezes e não será por desconfiar das suas capacidades políticas que não reconhecerei os sinais positivos que dá.
Muita coisa tem sido dita nesta blog, entre elas algumas asneiras, mas ainda ninguém me convenceu das vantagens políticas de trazer o Dr. Fernando Serpa para reeditar a dupla que esteve na oposição até agora (há coisas que é melhor esquecer). Tenho a certeza de que este será um caso (como existem muitos) em que o nome sugerido pelo cabeça de lista lhe tirará mais votos do que aqueles que lhe dará. Ainda uma palavra sobre as listas para dizer que concordo com a opção de Lisete Romão em não chamar para o seu “grupo” todos os que estiveram envolvidos na candidatura de Carneiro Jacinto… faz sentido. Além disso acho que nenhum aceitaria. Apenas discordo com o afastamento em relação ao Ricardo “Adão”… merecia mais apoio da concelhia, por todas as razões.
Pelo meio temos os outdoors… novamente com o “tal azul esquisito” a que desta vez se junta o cor-de-rosa que veste a candidata. Não sei quem é o responsável pelo marketing do PS Silves mas azul-bebé com rosa “clarinho” são duas cores fraquinhas, fraquinhas… que ainda por cima jogam muito mal juntas. Os textos, há que ser franco, este ano estão melhores (e a foto também)… num fundo branco ficariam muito melhor.
Também não são felizes os outdoors da CDU. A foto da candidata Rosa Palma podia ter sido melhor conseguida e o fato que veste, daquele ângulo, faz lembrar um anúncio da Molly Maid. Quanto ao site… aquele “yolasite” no endereço era evitável com uns “míseros” 60 euros, que se pagavam pelo alojamento e domino, seguramente teriam um sítio com muito mais impacto.
Sobre o BE ainda nada se viu, a não ser que Carlos Cabrita labutou com todas as forças para “impressionar” o partido. É, contudo, normal que seja o último partido a entrar em cena.
Voltando aos comentários que aqui tenho lido gostava de terminar com dois apontamentos:
Primeiro, está provado que essa “teoria”, defendida pelos nossos políticos de forma transversal, de que “é preciso atrair mais gente para a política” não passa de demagogia e conversa da treta. Só aceitam que haja mais gente a interessar-se pela “coisa pública” se estiverem calados… quando se interessam e falam (entenda-se: criticam o que está mal) são uns “pulhas”, oportunistas e maus militantes que urge escorraçar.
Segundo, não acredito em socialistas de segunda e socialistas de primeira. Acredito sim que dentro da doutrina socialista as pessoas elejam diferentes prioridades e que a força do PS vem do debate que essas opções suscitam. Ao contrário do que alguém aqui disse não apelei ao voto no BE (apesar de ser pública a minha estima pelo Engº Carlos Cabrita, que tive a oportunidade de conhecer melhor nos últimos tempos)… apenas disse que, tendo em conta meramente os desempenhos conhecidos dos “players” que vão a votos, haveria muito mais a esperar do BE do que do PS. Poderá a afirmação ser injusta para a Dra. Lisete Romão?!! Sim, pode. Poderá ser injusta para a Dra. Rosa Palma?!! Sim, é. Mas, no primeiro caso há que reconhecer que a performance foi fraquinha e no segundo caso é preciso ver que a “herança” é demasiado pesada.

(Espero que a Tânia Mealha e o Dr. Manuel Ramos não me processem por usar as fotos dos seus blogs neste post...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

A propósito da Feira Medieval, que hoje termina em Silves, lembrei-me de José Miguel Júdice... dizia ele, há poucos dias na RTPN, que a "nova idade média" e o falhanço da democracia em Portugal irão começar com o falhanço anunciado dos partidos políticos. Falhanço esse que vem desde as bases, das concelhias e das distritais ou dos núcleos e das secções…
Parece que não é só em Silves que a regra principal, dentro dos núcleos partidários, é aniquilar de imediato todos os que possam ameaçar a continuidade do actual “pacto” (a propósito de pacto vem no Expresso desta semana, directamente de um outro espectro politico, a seguinte frase de Ferraz da Costa: "Portugal não tem dimensão para se roubar tanto") . Manter à distância todos os que possam ser (ou parecer) melhores soluções para as pessoas. “Abater” todos os que possam fazer sombra ao poder instalado.
Três décadas disto apenas contribuíram para piorar, a cada ano, o nível dos nossos líderes. Aquilo que se tem conseguido com este sistema é o oposto do que necessitamos.  Jeffrey Katzenberg, o CEO da Dreamworks (uma das empresas com mais sucesso e lucros em todo o Mundo) defende que quem recruta tem que recrutar apenas pessoas mais inteligentes que ele próprio, assim se consegue o sucesso. Sabendo como se consegue o sucesso sabemos também como se consegue o insucesso: recrutando pessoas que sabemos à partida que não nos vão fazer sombra.
Portugal está cheio disto. Não só na política, mas também no estado (onde nos sai do bolso) recruta-se e trabalha-se com pessoas que têm como único requisito: serem piores do que quem as recrutou.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Às vezes fico com a impressão que há quem ache que o Penedo Grande é uma espécie de “sítio oficial” de um qualquer movimento estranho e obscuro com grandes poderes e interesses. É como se o que aqui é escrito tivesse um valor político e social que, manifestamente, não tem nem pretende ter. Volto a recordar que este blog é apenas o meu espaço de opinião e de desabafos… se tivesse segundas intenções seria na certa outro tipo de blog.
Eu confesso que encontro na política semelhanças grandes com o futebol. Na certa não serei o único que em algum momento mau do seu clube “torceu” para que as coisas corressem mal na esperança de que mudanças viessem, de que o treinador vá embora ou de que aquele “avançado tosco” nunca mais saia do banco. Já fiz isso muitas vezes no futebol e já fiz isso algumas vezes na política. São coisas da natureza de cada um que podem ser interpretadas como incoerências mas que na realidade são perfeitamente normais. É fácil manter a coerência quando não se diz nada ou quando não se assina aquilo que se diz…
Vou dar-vos um exemplo que ajudará muitos a entender algumas coisas que digo (e que facilmente pode ser comprovado recorrendo aos arquivos deste blog). Terei para isso que falar no nome do nosso actual presidente da junta, José Vítor Lourenço. Sei que ele não levará a mal porque já lho disse pessoalmente… Acho que o José Vítor não é o presidente de junta que Messines tem precisado (o que também não quer dizer que haja alguém que eu ache melhor que ele). O facto de se concentrar mais em agradar a todos do que em tomar posições não é bom para uma freguesia que precisa de acção como “do pão para a boca”. No entanto acho que o José Vítor é um elemento fundamental do PS neste concelho, capaz de ouvir, influenciar e unir o partido. Aceitaria de “chapa” estar ao lado dele num projecto partidário, não aceitei estar ao lado dele num projecto político.
Em boa verdade, e tal como o António Guerreiro, não preciso da política para nada. Qualquer cargo que pudesse desempenhar na política deste concelho seria um retrocesso financeiro muito grande na minha vida (como de resto, e seja feita justiça, também será para muitos dos que andam metidos neste mundo). Para mim até seria mais fácil esquecer Messines. O certo é que não consigo ficar calado perante o que se passa neste concelho e acho que, se mais pessoas houvesse a reclamar e a criticar os nossos líderes, teríamos seguramente um concelho melhor. Fui convidado (e agradeço a todos os que me convidaram) a integrar listas, em posições mais ou menos importantes, por vários partidos e para dois concelhos. Em alguns casos estive tentado a aceitar, noutros estive tentado a “disparatar”… mas a “frio” compreendo todos e todos certamente compreenderão que não podia aceitar… se o fizesse não seria honesto para comigo e para com eles.
Em suma, é legítimo que pensem de mim: “Este gajo deve ser do pior. Critica todos e bate em todos!” Mas se pensam isso pensem também nisto: Será que na realidade o nível dos políticos deste concelho não está muito por baixo?! Será que nos principais partidos da “praça” não existe uma “blindagem” impenetrável à “prova” de gente capaz?! Será que este concelho não é, parafraseando o António Jorge Mendes, a” Albânia” do Algarve (ou como me disseram hoje a Etiópia do Algarve)?!

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

A propósito das dificuldades vividas na Alicoop dizia-se num outro blog que a situação era previsível e que os funcionários há muito que deviam ter-se preocupado em arranjar trabalho “nos concelhos desenvolvidos”!!! No mesmo concelho em que se “classifica” o Algoz de “vila moderna” (sem desprimor da minha parte para a boa gente daquela freguesia) há quem defenda que os trabalhadores de uma empresa “privada” deviam arranjar “emprego num concelho desenvolvido”?!!!
Dizia um tal de “Barrak Abana”, no post anterior, que tudo gira em torno da (são as palavras dele) dicotomia “grande cabra” / “grandes cabrões”… até poderá ter razão. Mas será que existe alguém, a não ser a presidente da câmara, que tenha a coragem de classificar o Algoz de “vila moderna” e ao mesmo tempo olhar nos olhos as pessoas que lá vivem?!
Quem já leu (ou passou os olhos) pelo PEDS (Plano Estratégico para o Desenvolvimento de Silves), recentemente apresentado pela presidência da câmara, sabe bem está ali uma mão “cheia de nada”. Páginas e páginas de “conversa oca” (muita dela seguramente plagiada) que procuram trazer para Silves os modelos esgotados, fracassados e desastrosos testados já em muitos outros concelhos. Tem sido assim há 12 longos anos… sempre que se aproximam eleições lá aparecem os “pilares fundamentais” sobre os quais assenta um concelho “fulgurante e moderno”… tudo “balelas” desprovidas de qualquer base ou intenção séria. Tudo “sentenças” proferidas pela mesma fonte (e com o mesmo grau de credibilidade) que classifica o Algoz de “vila moderna” ou que promete “Silves – o melhor concelho da Europa” (esta última na sequência da “Sevilha do Algarve” e do mais recente “melhor concelho do Algarve”).
Mas desengane-se quem pensa que esta “insensatez aguda” se fica pelos “paços do concelho”… porque o fenómeno estende-se a cada metro quadrado pelas mãos de presidentes de junta “à antiga”, para os quais o importante é alcatroar uns caminhos, gerir o cemitério e arranjar uns nomes “porreiros” para as ruas das localidades. Muitos são homens que não concebem que o trabalho de um presidente de junta possa ser “vender” a sua freguesia!!! Vender no sentido de lhe dar visibilidade, de criar oportunidades de negócio, de posicionar a freguesia no mercado global, de mudar as “mentalidades” derrotadas dos seus munícipes…
Será que já alguém se perguntou porque razão em vez de se organizar exposições artísticas com convidados “pomposos” não se organizam “workshops” temáticas e se convidam empresários e profissionais liberais de sucesso a partilhar com as pessoas de cada freguesia o seu positivismo e entusiasmo?! O que fará mais falta às nossas freguesias: “Picassos e Saramagos” ou positivismo, confiança e sucesso?! O que chamará mais a atenção dos nossos “miúdos”, um excelente e típico livro sobre como “Meter amêndoas dentro de um figo” ou uma demonstração cabal na primeira pessoa sobre as oportunidades, tendências e orientações dos mercados de trabalho?!
Na minha opinião “os livros” (e todos os figurativos) são importantes… mas infelizmente quem de facto se interessa por eles tem que ter primeiro condições pessoais e materiais que lhe permitam apreciá-los. É isso que urge fazer e é a ausência desse espírito que me leva a ponderar se tenho, ou não tenho, condições e vontade para fazer melhor. A pensar nisso me fico...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Imaginem o seguinte cenário nas autárquicas em Silves: O PS, apesar de conseguir mais alguns eleitores que nas últimas autárquicas, perde as eleições para o PSD e a CDU não consegue alcançar os seus objectivos ficando muito aquém do conseguido em 2005… Este é um cenário bem possível, senão mesmo o mais provável.

 

Nesta conjugação de factos iríamos ter “o mesmo” no que diz respeito ao executivo mas a oposição seria bem mais fraca. Como já estou cansado de repetir a oposição neste concelho resume-se ao Dr. Manuel Ramos a “jogar por dentro” e ao Engº Carlos Cabrita e um ou outro blog a “jogar por fora”. Do PS não sai nada. O partido nem comunica com os próprios militantes, quanto mais com o povo! Em cerca de um ano (o tempo em que transferi a minha militância para Silves) apenas recebi uma carta do PS Silves. Em contraponto, e apesar de já nem fazer parte da concelhia, o PS Albufeira envia-me informação todas as semanas. Será que estes senhores não sabem que as bases de um partido, os seus militantes e simpatizantes, são o canal mais importante para passar mensagens e fazer oposição?!
Era este paradigma de desleixo na liderança da concelhia e de incompetência na oposição que parecia estar prestes a mudar nas intenções da Dra. Lisete Romão… Parecia, mas afinal não vai mudar. Vamos ter exactamente as mesmas pessoas a fazer oposição ao “regime”. É claro que o interesse é deixar tudo na mesma e será por isso que muitos dos militantes socialistas deste concelho estão “totalmente por fora” do que se está a passar e optam por manter distância.
Para já parece-me que o voto útil nestas eleições é o voto no BE do Engº Carlos Cabrita. Dali sabemos o que esperar e sabemos que haverá oposição e denuncia... A ver vamos como corre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Como o objectivo não era ferir as susceptibilidades de ninguém mas sim, e apenas, ter piada resolvi retirar a imagem que estava neste post (que após uma análise mais atenta não tinha piada nenhuma). Obrigado a quem me alertou para factos que não dominava totalmente e possibilitou que reparasse um erro.

 

Volto a frisar que a minha critica se remete apenas para o campo político, pelo que, se alguma vez (como foi o caso desta) me voltar a “esticar” e entrar em campos que não esse, agradeço que me avisem. Não gosto de cometer injustiças…
Perdão se ofendi alguém.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Já está online mais um texto sobre a questão da "dupla de dois", desta vez em "exclusivo" para o JORNAL TERRA RUIVA (basta clicar AQUI)... agradeço que façam lá os vossos comentários e que divulguem o jornal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Dizem-me que afinal os rumores que ecoam do “Servir Silves” podem mesmo ser verdade e que o PS Silves se prepara para reeditar a dupla Romão/Serpa no “ataque” às autárquicas.
Se assim for duas coisas acontecerão de certeza:
- Acaba-se o “semi-estado de graça” em que a candidatura socialista estava mergulhada, fruto da “meia mudança” em curso, e instala-se o estado de “não me lixem!!! Outra vez estes gajos?!” em que toda a gente apostava num passado recente. Nem preciso de tecer comentários sobre o assunto porque quem anda na blogosfera e ouve na vida real já sabe o que pensam as pessoas desse “trabalhinho”.
- Eu mandarei às “urtigas” o voto de “não agressão” que fiz e serei o primeiro a procurar demonstrar que todas as opções são melhores que a “famigerada dupla”. Parafraseando o “Eleitor”: - Não se enxergam, estes!!
Vou esperar para ver e manter a esperança de que “pelo menos as moscas” mudem...

Autoria e outros dados (tags, etc)




Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...



subscrever feeds