Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...



subscrever feeds



Da mesma forma que dou a cara pelo Blog, também dou a cara na hora de vos desejar um Feliz Natal e um óptimo 2011.

 

Obrigado pelas visitas e pela participação. Tudo de bom!

Autoria e outros dados (tags, etc)

“Estoirou o verniz” na aprovação do Orçamento para 2011. Sem maioria absoluta e com uma oposição “motivada” como há muito não se via a coisa só podia ter este resultado.

Haverá quem defenda que foi um erro “chumbar” o orçamento. Eu acho que o verdadeiro erro foram todos os orçamentos que precederam este, desde que a Dra. Isabel Soares tomou posse. E vamos ser claros, não é por me dizerem que todas as Câmaras Municipais “manipulam” os orçamentos que eu vou achar que em Silves isso é uma solução.

Toda a blogosfera já abordou o assunto. Uns chamando a si os louros, outros encontrando nas entrelinhas razões que a própria razão desconhece, outros transcrevendo comunicados dos seus partidos, outros ainda abordando o assunto de forma totalmente pragmática. Resta-me por isso muito pouco por dizer, a não ser dar os parabéns ao PS pela forma coordenada com que abordou esta questão e como soube ultrapassar as diferenças de pensamento internas em nome do interesse do concelho.

Vai ser difícil? Vai! Vamos todos sofrer com os duodécimos? Vamos! Mas, pergunto eu, haverá alguém que defenda continuar com o modelo anterior?! Diz o meu estimado Manuel Ramos que regista com surpresa “a repentina surpresa de alguns quanto à irrealidade dos orçamentos PSD dos últimos anos”. No meu entender o que houve foi resignação… impotência. Sempre me lembro de ouvir falar das hilariantes previsões de orçamento deste executivo… da esquerda à direita. Se ninguém o escrevia a razão só podia ser resignação. Desta vez havia como parar a “máquina” e… a “máquina” parou.

Ainda a propósito do blog do ex-vereador Manuel Ramos deixem que sublinhe aqui uma posição minha que, como muitas outras terá o dom de cair mal no PS, no PCP e no PSD. Subscrevo que os cortes nas verbas para as freguesias de Messines e Silves deveria ter sido abordado pelo PS, ainda que sejam ambas freguesias CDU. E acho isso porque sei que muito do eleitorado que vota CDU na freguesia, vota PS no município… é preciso um PS Silves que saiba tratar bem até o eleitorado que não confia nos seus candidatos às freguesias… afinal somos todos munícipes e queremos todos o melhor para o concelho. Evidentemente o melhor para o concelho passa por levantar a voz quando se “amputam” financeiramente as freguesias “chave” deste burgo.

O que cai mal no PSD fica para o fim. Saibam que até alguns do “ícones” desse partido neste concelho acham vergonhoso a proposta vingativa, cobarde e infame que foi feita às freguesias. 

Até me disseram da Dra. Isabel Soares algo que bateu “tim-tim-por-tim-tim” naquilo que uma “ressabiada” política perdedora da suposta esquerda concelhia me disse em público um destes dias: “pensa que as pessoas gostam de si mas engana-se”. Eu “embrulhei” porque não estou interessado em que gostem de mim. Não sei é se a “carente” presidente que temos reagirá bem se lhe disserem uma coisa destas!

Passem bem. Até ao fim do ano não percam aqui a resenha do ano 2010. Boas festas, bom Natal, felicidades… a todos. Até à senhora presidente e seu séquito, porque eu sou dos que acredita que as intenções são sempre boas, o que pode ser mau é o raciocínio!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Amarga receita

21.12.10

Se me pedissem para resumir numa só frase os grandes problemas que todos enfrentamos nesta altura eu escolheria esta: Não há açúcar para tantos gulosos! 

É um retrato interessante e actual do Mundo, numa altura em que o doce alimento escasseia nas prateleiras dos hipermercados, levando mesmo a que alguns optassem por racionar as quantidades que cada cliente leva. A globalização é assim mesmo, é como um cobertor demasiado curto em noite de Inverno…. tapa-se pescoço e logo ficamos com os pés gelados. Com os mercados a absorver quantidades cada vez maiores de cana-de-açúcar para fabrico de bio-diesel era de prever que, mais tarde ou mais cedo, bebêssemos o café amargo. Por certo não chegaremos a tanto, mas não escaparemos de mais um forte aumento numa série de produtos que todos os dias consumimos.

A metáfora do açúcar aplica-se como uma luva ao nosso país mas as páginas de 10 jornais não seriam suficientes para enunciar tantos “gulosos”. As linhas que me cabem dão quando muito para tecer algumas considerações sobre a “amarga” gestão da nossa Câmara Municipal. Vejamos o “estafado” tema do orçamento municipal para 2011:

No corrente ano as receitas da CMS irão ultrapassar em pouco os 30.000.000 de euros. Sabemos que as transferências para as autarquias por parte do Estado sofrerão uma redução de 10%, sabemos que o IMI irá manter a taxa deste ano, sabemos que as restantes receitas tendem a reduzir ainda mais em 2011… mas a gestão da Dra. Isabel Soares prevê para o ano uma subida de 50% nas receitas!! É mesmo. São 48.000.000 de euros que provavelmente contam com o primeiro prémio do Euromilhões e com a taluda de Natal.

Temos depois o lado da despesa, e é aqui que a falta de açúcar nos afecta mais directamente. As dívidas a fornecedores aumentam a um ritmo fulminante, os quadros de pessoal estão mais “gordinhos” e mais “gulosos”, os eventos despesistas continuam na agenda, as horas extraordinárias continuam a ser pagas a rodos… tudo isto seria comportável com o tal aumento de 50% nas receitas. Mas, como o aumento é falso, há que cortar. E corta-se onde?! Nas Juntas de Freguesia, em primeiro, nas Associações e Colectividades, em segundo lugar. A “facada” é em média 35% de redução nas transferências para as juntas. O lógico seria um corte de 10%, igual ao corte das transferência do Estado, mas há que sustentar os “gulosos”.

Não ficamos por aqui. Se olharmos para o corte que cada junta leva podemos constatar que Messines e Silves, as 2 maiores freguesias que juntas têm 2/3 da população do concelho, verão os seus orçamentos reduzidos em 50%. Mas que raio?!!! Que sentido faz isto, pensei eu! Fui ver os cortes das restantes freguesias para tentar perceber que critério havia sido usado para determinar as verbas que cada junta receberia. Primeiro vi habitante por quilómetro quadrado, não batia certo. Depois vi a contribuição para a receita fiscal de cada freguesia, também não batia certo. Procurei encontrar o IDH – Índice de Desenvolvimento Humano, também não dava. Vi todos os dados disponíveis no INE – Instituto Nacional de Estatística – das freguesias silvenses e, adivinhem… também não havia justificação plausível para os cortes!

Finalmente acabei por encontrar um indicador que encaixa perfeitamente nos cortes quando pesquisei  no site da Administração Interna os resultados das últimas Eleições Autárquicas. Está lá claro como a água que o critério utilizado para determinar os cortes foi a votação no PSD das últimas eleições. As freguesias onde o PSD não ganhou foram as mais penalizadas com cortes na ordem dos 50%. As outras, onde os fregueses foram fiéis, tiveram cortes na ordem dos 20%... tudo perfeitamente justificado e de acordo com a cartilha do Dr. Alberto João Jardim que tão bons resultados têm dado na Madeira. E o pior de tudo é que não adianta queixarmo-nos. Fomos nós que votamos nisto e nem podemos dizer que não sabíamos ao que íamos.

Vai ser um ano complicado para todos nós, em Silves. O despesismo e má gestão vai continuar lá pelos Paços do Concelho e daqui a 3 anos quem apanhar com o concelho nas mãos terá que adoptar uma gestão “diabética” à força… a ressaca, se lá chegarmos, será complicada! Aproveitemos pois a quadra natalícia para comer muitos doces, enquanto ainda há açúcar que chegue para todos. Desejo-vos um óptimo Natal e espero que o ano 2011 seja menos mau do que este.

 

In. "Terra Ruiva" - Dezembro de 2010

Autoria e outros dados (tags, etc)

O energúmeno

16.12.10

 Tive hoje a tarefa de entregar no “Castelo de Sonhos”, em Silves, uma quantidade considerável de roupas e brinquedos destinados a tornar mais quente e alegre o Natal de muitas famílias carenciadas. O local de descarga foi a sede da Associação, num edifício contíguo a um dos estaleiros municipais, numa rua de 1 só sentido e com espaço muito reduzido para a circulação automóvel. Como trazíamos 5 carros ligeiros apinhados de sacos e caixotes resolvi entrar com o meu carro pelo estaleiro (que tinha os portões abertos e espaço para estacionar 2 camiões) e sair para perguntar se seria viável deixar ali os carros enquanto fazíamos a descarga.

Fui a correr à Associação e voltei também a correr porque me disseram que não haveria problema. Quando chego ao carro lá estava o energúmeno. Impecavelmente vestido, de mãos nos bolsos e muito irritado com o meu descaramento de parar ali o carro sem lhe ter perguntado se podia. Dizia-me que era o “responsável” e que o carro não podia estar ali. Expliquei-lhe que apenas queríamos descarregar material para o “Castelo de Sonhos” mas a “besta” mostrava-se irredutível. Ali era ele o chefe e preferia o parque vazio a contribuir para facilitar a vida a alguns munícipes e a ajudar por essa forma muitos outros. Com a intervenção do pessoal do “Castelo de Sonhos” o energúmeno, sem nunca tirar as mãos dos bolsos, retirou-se para o seu “posto de chefia” a ranger os dentes, deixando claro que pela sua vontade iríamos deixar o carro junto às piscinas municipais. Lá se manteve impávido e sereno, no desempenho da sua importante “tarefa de chefia”, enquanto nós e as senhoras da associação transportávamos pesadas caixas e sacos em passo de corrida.

O energúmeno é apenas mais um, entre tantos chefes frustrados que temos na Administração Pública. Não fazem nada o dia todo, são muito bem pagos, têm imensas regalias e em troca brindam-nos com um comportamento merdoso. Fiquei com o estômago às voltas, aquela besta conseguiu estragar-me o dia!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Não tenho tido muito tempo para postar, mas tenho conseguido passar “frequentemente” pela blogosfera silvense que, diga-se de passagem, atravessa fase bastante saudável.

Começando pela vizinhança temos de vento em popa o “Caos Cosmos”, na sua luta contra o “pivete” que é a nossa freguesia… agora num estilo “papparazzi” que se revelou bastante eficaz na questão do lixo. Também de máquina em “riste” o “Vereador Fernando Serpa” denunciou a situação e merece uma palavra de incentivo pelo trabalho que tem feito nas questões da Alicoop e da Central de Lamas… sem ponta de ironia.

O também vizinho “25 de Abril”, da Tânia Mealha, apresenta “trabalho”. Reconheço-lhe toda a justeza nas críticas que faz à questão da distribuição das verbas para as freguesias prevista no futuro orçamento municipal. A análise está muito bem-feita e merece uma visita. “Vagueando” ao sabor do seu coração continua o também vizinho “Messines – Alte”, ajudando-nos a ter uma visão mais afastada dos pequenos problemas que temos ao mesmo tempo que nos brinda com grandes recordações da nossa terra. No post anterior deixo o texto que “roubei” ao Messines-Alte, por considerar que é deveras pertinente.

Recentemente “regressado” às lides o nosso António Guerreiro também vai fazendo “travessuras” no seu “Apontamentos Políticos”, reflexões de quem sabe da “poda”como ninguém. Mesmo ao lado o “Cidadania” joga noutro campeonato, ali prima a reflexão, a consciencialização e o olhar crítico. Já não é surpresa para ninguém a qualidade dos posts, apenas surpreende o ritmo a que se sucedem… até há quem diga que JJJ são as iniciais de José, João e Joaquim. Noutro quadrante o “Blog do Ex-Vereador”, de Manuel Ramos, abrandou o ritmo mas dá provas de continuar atento às questões fundamentais do concelho, tal como o “Coisas da Economia”, de Francisco Martins, um espaço que descobri há pouco e que me deixa feliz… pelo contributo que seguramente terá e pela admiração que merece o meu parceiro de página no “Terra Ruiva”… um óptimo professor, um excelente economista e um grande silvense.

Não será pela blogosfera que o nosso concelho está como está. Tal como não será pela blogosfera que teremos um orçamento municipal para 2011 que prevê um aumento da receita (face à receita arrecadada em 2010) de 50%... isto sabendo-se que as transferências do Estado sofrerão um corte de 10%, o IMI garante quando muito a mesma maquia e os restantes impostos e taxas registarão menos receita. Esperemos que lá por Silves joguem no Euromilhões ou na Taluda de Natal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Não é meu costume reproduzir textos de outros blogs, mas a excepção faz a regra e este, publicado no Blog Messines-Alte, merece o maior destaque possível... até porque o que está em causa no fim de contas são as pessoas deste concelho e não as forças política. Com a devida vênia, aqui vai:


 

 

Proposta de Orçamento da CM de Silves para 2011.

Foi com atenção que li os posts nos Blogs “25 de Abril”, da Tânia Mealha e, “Coisas da Economia”, do Francisco Martins, onde estes mostram o quadro de cortes proposto pela CM de Silves para as diferentes freguesias.

Lamentam-se, mais o Francisco que a Tânia, esta é mais guerreira, não entender o critério utilizado para estabelecer os cortes referidos, alguns chegando aos 50%, mas já vislumbravam que as juntas de freguesia da CDU eram de longe as mais prejudicadas.

A Tânia mostra ainda ter esperança quando escreve “…claro que temos que ter em conta que esta medida só passa se o PS votar favoravelmente uma vez que o PSD não tem maioria…”. Vamos ver.

Fiquei curioso com o assunto e dei-me ao trabalho de ir ver os dados fornecidos com maior.

Tentei correlacionar a percentagem do corte atribuído a cada freguesia, com a votação obtida por cada partido para a Assembleia de Freguesia nas últimas eleições autárquicas. Se acaso houvesse “marosca”, como insinuavam a Tânia e o Francisco, essa seria prontamente revelada pelo gráfico na forma de uma clara correlação linear, que seria evidenciada por uma distribuição dos cortes ao longo de uma linha recta, indicando assim que as percentagens no corte dos fundos atribuidos estavam de facto relacionados com a escolha feita pelos eleitores quando colocarem o seu voto nas urnas.

Pois bem, os resultados não poderiam ser mais claros:

Para o PSD, na CM de Silves, o PS é indiferente, não passa de uma força política que poderá sempre ser útil e, como tal, convém não a hostilizar. Por isso mesmo, a votação no PS não foi utilizada como critério para a distribuição dos cortes e o gráfico mostra uma correlação nula.

Correlação do corte por freguesia com a votação no PS para a Assembleia de Freguesia

Já quanto ao próprio PSD e à CDU a conversa é diferente. Como quem parte e reparte sempre escolhe a melhor parte, o PSD tratou de presentear as suas juntas com os menores cortes possíveis, o gráfico mostra por isso que quanto maior a votação no PSD menor é o corte efectuado na verba atribuída.
Já a CDU é claramente o inimigo a abater e, a CM Silves não faz disso segredo, castiga as freguesias rebeldes. Quem ousou votar na CDU leva! (Jorge Coelho não diria melhor). O gráfico mostra claramente que quanto maior foi a percentagem de votos atribuída à CDU maior é o corte na verba atribuída, ou seja a mensagem é clara, “desenrasquem-se e para a próxima não repitam a graça”.

Correlação do corte por freguesia com a votação para a Assembleia de Freguesia no PSD (a amarelo) e na CDU (a vermelho)

É assim a vida, eu só digo, “não é nada que o Alberto João não tenha já feito na Madeira”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A posição do PS no que toca às tributações dos dividendos das grandes empresas deixa-nos a todos embaraçados. Da mesma forma que já tinha sido um duro golpe aparecer, à última hora, uma excepção à lei que baixava os salários dos funcionários públicos e dos funcionários das público-privadas.

Com estas duas posições nitidamente tomadas para “servir” os do costume o PS perde ainda mais credibilidade e lança a discórdia nas bases. Se por um lado isso é bom, porque se traduz num maior debate interno, por outro lado é péssimo pelo timming que atravessamos.

Folheando um dos cadernos do Expresso da semana passada encontrei dois dados que me deixaram a pensar, e que estão relacionados com estas duas questões:

1 – No ranking das empresas que mais impostos pagam em Portugal, a Vodafone está à frente da PT???!!!!!! Como pode isto ser?!!! A Vodafone tem no serviço móvel o seu grande nicho de mercado, a principal concorrente móvel (TMN) tem quase o dobro dos clientes mas nem juntando todo o universo PT (TV, fixo, móvel, internet, etc…) a empresa paga tanto como a Vodafone?!! Estranho… alguém deveria explicar isto!!

2 – A EDP deu este ano tanto lucro como as 1.000 maiores PME’s de Portugal todas juntas. Bem sabemos que apenas uma parte da factura da electricidade corresponde a receitas da EDP. Muitos impostos e taxas estão lá camuflados. Mas é pornográfico que os lucros continuem a subir à custa das PME’s e dos particulares que todos os anos pagam mais pela energia que consomem. Tal como é pornográfico que se continue a beneficiar o investimento bolsista em empresas com monopólio no mercado em detrimento de se criar forma de desviar esses investidores para as empresas que realmente criam riqueza e postos de trabalho. As empresas monopolistas deveriam ter uma taxa muito mais elevada na tributação dos seus dividendos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:




Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...



subscrever feeds