Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





 

Sou a favor do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo, na medida em que esse casamento nada mais é que um contrato civil em que dois seres humanos – indiscriminados – assumem um compromisso com consequências nos seus direitos enquanto cidadãos. Se me perguntarem o que acho disso enquanto membro de uma comunidade católica sou obrigado a dizer que concordo com a posição da igreja em não permitir esse mesmo casamento.
 
Acontece que o estado é laico e nós temos que pôr de lado a imagem romântica do casamento no altar, com a noiva vestida de branco, sempre que o assunto diz respeito a duas pessoas do mesmo sexo. Em última análise o “vamos casar” entre iguais deveria significar “olha, bora lá fazer o IRS juntos e ter os mesmos direitos e deveres que a lei consagra aos outros casais, ditos normais”.
 
Sou a favor da regionalização, desde o primeiro dia. Primeiro porque acredito na região Algarve e depois porque me parece que a actual divisão administrativa do país está ultrapassada. Lembro-me bem da “ladainha” que foi quando se votou a regionalização. Toda a gente dizia “coitados dos alentejanos”, uma “estúpida” preocupação própria do português à qual os alentejanos responderam nas urnas… foram a única região onde o Sim ganhou.
 
Sou contra os “grafitties” e contra todas as “artes urbanas” que delapidem em nome de nada o património de privados ou do Estado. Sou contra todas as políticas culturais que não surjam na sequência de uma politica educativa e de um plano que garanta a satisfação das necessidades básicas de uma comunidade.
 
Sou a favor do Obama porque me inspira e porque deixa nas suas palavras a certeza de que com ele as coisas serão diferentes. Não sei se serão melhores, não sei se não passará de um “flop”… o que eu sei é que de McCain e de Palin só podemos esperar mais do mesmo: mais guerras, mais capitalismo selvagem (e eu que não gosto deste termo), mais “Georgias” e “Kosovos”, mais conservadorismo “bacoco”.
 
Sou contra presidentes de câmara que usam em proveito próprio os recursos da comunidade e que mantêm um regime assente no populismo, na demagogia e na falsidade. Pessoas que “abanam o rabo” de frente e que “rosnam” nas costas. Pessoas que querem controlar tudo, que não confiam nem delegam responsabilidades em ninguém.
 
Sou a favor de um Código de Trabalho flexível. Mais flexível que este do PS. Acredito que a mudança trás sempre benefícios, mesmo quando não são visíveis de imediato. Acho redutor que alguém se resigne a fazer a mesma coisa, todos os dias, sem mutações, durante 40 anos para depois viver de uma reforma de miséria.
 
Sou contra o rendimento mínimo nos moldes em que existe.
 
Sou contra a tolerância para com certas etnias. Acredito que quem vive em Portugal tem que aceitar, antes de mais nada, as regras, leis, direitos e deveres que são comuns a todos os portugueses… direito de escolha e se não gostam é uma escolha com consequências. Aceito todas as raças, credos e comunidades… desde que cumpram como todos os outros as obrigações e deveres deste país.
 
Sou contra os "gajos" que aparecem nos blogs pessoais de pessoas identificadas a dizer "o que é que eu tenho a ver com isso?!".

Autoria e outros dados (tags, etc)





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...