Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





Recebi um pedido para publicar no meu blog esta carta de Margarida Vargas, filha de Francisco Vargas Mogo. Apesar de este Blog não ter um carácter de divulgação de outra coisa que não sejam os meus devaneios, abro uma excepção e, assumindo o papel de impulsionador do Jardim Francisco Vargas Mogo, com todo o prazer o faço:


“Após seis anos em que me remeti para o silêncio, penso que chegou o momento de também eu ter algo dizer acerca do meu Pai.
Morreu, a meu ver cedo demais, cheio de projectos para Messines, sendo um deles ,o tão falado jardim cujo nome se discute.
Aos que lhe honraram a memória, cedendo um terreno que lhes pertencia para ser usado pela comunidade, eu agradeço em meu nome e em nome do meu Pai, porque sei o quanto essa obra era importante para ele, até na sua fase final, quando lutando contra a morte, ainda achava que ia fazer algo pela terra que tanto amava.
Sim, estou a falar como filha e coma messinense, lúcida, nascida na rua João de Deus nº8.
Estou a falar de um homem, que como homem que era tinha defeitos, mas que acima de tudo, tinha uma enorme Alma e um grande orgulho em ser filho deste povo e desta gente, que o fazia dar o melhor de si perante qualquer adversidade que fosse para erguer o nome de Messines.
Era esta força Interior que o movia e que o distinguia de muita gente que por aí anda!
Sabia dar de si e dar o que era seu. Quando era importante para Messines, sabia pedir!
Agora não vejo nada! Nem a grandeza de dar, nem a humildade de pedir!
Muitas vezes vejo homens, que devido á pequena dimensão humana que possuem, que de si e seu nunca deram nada tentarem denegrir a memória e a postura de quem já não se encontra presente para se defender.
Como o mesmo diria se cá estivesse, não se dava a esse trabalho com essa gente!
Vejo-os terem muita vaidade e muita pobreza de Alma!
Vejo-os muito ricos, mas quando morrerem, ninguém discutirá se lhes vai pôr o nome num jardim, porque não deixarão um metro de solo á comunidade, para que seja feito algum!
À Srª Presidente, tenho um pedido a fazer:
Tenha a dignidade de honrar um messinense, que merecia, que tinha orgulho em ser seu amigo , que era meu Pai e se chamava:
FRANCISCO VARGAS MOGO”
                                                                                                        
Margarida Vargas

Autoria e outros dados (tags, etc)





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...