Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...





Gostava que lessem este comentário deixado num blog vizinho sobre o caso da menina que tem 2 pais e duas mães. 

Antes que me perguntem o porquê disto no meu blog, eu respondo: Para vos provar que em Portugal a opinião pública perdoa todas "as trafulhices" e "irregularidades" desde que se crie um herói ou um "coitadinho" por quem sentir pena (o problema é que raramente o "coitadinho" o é realmente).

Quero deixar claro que não é a minha opinião, até porque ainda não meditei muito sobre este assunto, mas é uma opinião bastante lúcida e fria sobre os factos deste processo. Há aqui gente muito perspicaz e esclarecida que vai entender onde quero chegar.

Cá vai:


Revolta-me.

Não entendo o que se passa e isso faz-me confusão.

Como é possivel que os media se tenham unido todos a favor da causa, sem qualquer opinião contra? e para mais, ainda com a colaboraçao da mulher do Mário Soares!

Não entendo!
Quem quer adoptar uma criança, espera anos e anos, e este, só pk foi a mãe a entregar lhe a criança, tem logo direitos?

Então, que sejam as mães, todas as mães, a entregar as crianças, não é?

Olhem só o que se poupava em tempo para a adopçao e nos serviços q tratam do assunto!

Alias, então porque se leva tanto tempo a investigar as pessoas q querem adoptar?

Afinal, a mae que entregou a filha, fez essa investigaçao num abrir e fechar de olhos apesar de nao ter qualquer especializaçao para o fazer.

Que diabos! Num país onde grassam os raptos dos filhos feitos pelos conjuges desavindos e em situaçao de divorcio, e que nunca mobilizaram ninguem, apesar dos muitos esforços nesse sentido

Aparece agora uma tao grande - e espontanea - adesao a uma causa que nao tem qualquer suporte legal visto que, nem mesmo existe uma adopção, ou um projecto legal de adopçao????????

Até porque o pedido de adopçao foi indeferido no tribunal de primeira instancia ha dois anos, o senhor agora condenado é que nao acatou a decisao!

Passamos a defender o fazer justiça por proprias maos à medida de cada um???????????

Juro, que isto me revolta!

(E, coisa estranha! até tenho medo de sofrer represalias, so porque tenho opiniao contraria!)”

Rosário Marques

Autoria e outros dados (tags, etc)


13 comentários

Sem imagem de perfil

De de passagem a 26.01.2007 às 00:32

Caro Paulo Silva
Este texto merece uma reflexão, nisso tem razão. Por muito que o coração nos coloque ao lado do sargento e da menina temos que ser capazes de entender tudo o que se passou até chegar aqui. Somos latinos e por isso muitas vezes a emoção fala mais alto.
Sem imagem de perfil

De GUPY a 26.01.2007 às 10:28

Mas o que é que os meus amigos não entendem neste processo ?

Então aínda não repararam que o pai adoptante é um militar graduado...?? Acham que se fosse um simples cidadão comum tinha o mesmo tratamento por parte da imprensa e da opinião pública?
Bem pelo contrário...a imprensa já tinha caído em cima da PJ e do PGR por aínda não terem descoberto onde está a miúda!
Tirando a juíza , que foi uma mulher de tomates...
o resto está tudo minado pela injustiça que se vai vivendo neste país . Ou, desculpem ... Justiça só para alguns!!!
Sem imagem de perfil

De Tony a 26.01.2007 às 16:50

Só mesmo uma mulher podia chamar graduado a um sargento.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.01.2007 às 17:34

É pena que o Sr. Tony só tenha conseguido fazer este tipo de "comentário" ao Post ... Se calhar também pertence á minoria que tem direito a justiça neste país!!!
Sem imagem de perfil

De GUPY a 26.01.2007 às 17:37

Concordo plenamente com a sua visão Sr. Anónimo...

Mas que o Paulo Silva tem jeito para estas coisas, lá isso tem!

Aguardamos por mais ideias interessantes para debater... Força!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.01.2007 às 17:50

deixe lá o sr. só Tony!
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 26.01.2007 às 12:21

Os dois tem razão. Apesar de o coração nos dizer que a menina deveria ficar com quem a criou até agora, temos que entender que ninguém está acima da lei...
Isto passa-se também na politíca e é isso que tenho andado a tentar dizer: é muito fácil a opinião pública esquecer todos os factos e concentrar-se apenas nos resultados das acções ou em encontrar soluções perfeitas...
Só uma achega, um sargento não é um "graduado", é um soldado um bocadinho mais bem pago... um cidadão normal, portanto!
Sem imagem de perfil

De Tony a 26.01.2007 às 15:59

Prova justamente o contrário! Dificilmente a opinião publica é unânime! Quem escreveu isto foi a juíza!!!!!
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 26.01.2007 às 16:31

caro paulo silva,

gostei do comentário sobre o assunto da adopção(?)
Eu sobre o mesmo também escrevi. tentei chegar ao blogue onde o comentário terá sido posto mas nao chego. poder-me-à indicar o blogue? é que seguindo o link da dona rosário chego a um blog que se chama In-Provavel e onde nada se diz sobre o assunto. Se puder dar-me a informação agradeço, aqui ou para o meu mail
obrigado e um bom fim de semana
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 26.01.2007 às 17:06

Tem razão caro Dr. José Paulo de Sousa. Já corrigi a hiperligação, se clicar no nome da autora vai parar ao comentário que encontrei no blog Há Mouro na Costa.

Obrigado pelo reparo.
Imagem de perfil

De José Paulo de Sousa a 26.01.2007 às 17:45

de nada e já agora deixe lá o dr. isso não vem no meu bilhete de identidade:)
Sem imagem de perfil

De J.J.J. a 28.01.2007 às 19:21

Se me permite, bastará não considerar os meios de comunicação como expressão da opinião pública.
Durante muitos anos estiveram sujeitos aos efeitos de uma ditadura politica. Hoje estão sujeitos a uma ditadura do mercado. Tudo se diz ou faz desde que se traduza em vendas.
A sociedade civil comporta um défice profundo de participação. Infelizmente a comunicação social não cobre esse défice, porque as suas prioridades são outras: sobreviver enquanto projecto empresarial.
assina:
Blog: http://armacaodepera.blogspot.com
Sem imagem de perfil

De J.J.J. a 28.01.2007 às 19:33

Se me permite bastará não considerar os meios de comunicação social como expressão da opinião pública.
Durante décadas estiveram sujeitos às determinações de uma ditadura politica. Hoje estão sujeitos à ditadura do mercado. A sociedade civil comporta um défice profundo de participação, por razões históricas remotas e recentes, em qualquer circunstância: multiplas. A comunicação social não cobre o défice de participação ou sequer de opinião, porque se preocupa essencialmente com a sobrevivência do seu projecto empresarial, o que, covenhamos, não só é diverso como muitas vezes antagónico com a expressão veicular da opinião pública.
http://armacaodepera.blogspot.com

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...