Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...



subscrever feeds



Um, como diz o outro, "compagnon de route" enviou-me uma reflexão sua a propósito da mudança de poder em Silves. Trata-se de alguém que conhece como poucos o funcionamento da CMS, as suas vantagens e as suas forças de bloqueio. Apesar de parecer um texto simples, numa leitura mais atenta será possível verificar que tem uma forte mensagem. O autor ficará, a seu pedido, no anonimato.

 

REESTRUTURAÇÃO CORAJOSA É NECESSÁRIO!...

 

;(José Paulo Sousa in Blogue Caos Cosmos).

“temos, novo executivo, a trabalhar, hoje deverá ser tempo de começar a arrumar a casa, a começar pelos gabinetes de Presidente e vereação, sim e isto não é qualquer critica, deverão ter a trabalhar consigo pessoas da sua confiança, quer pessoal, quer politica. o mesmo se diga para chefe de gabinete e afins. após isto deverá começar a serem conhecidos quais são os novos eleitos quer a nível de secretarias/os , quer chefes de gabinete, quer chefes de divisão, quer directores/as de departamento.

 após isto devem chegar os assessores, que ninguém é obrigado a dominar todas as matérias e deve por isso encontrar a melhor ajuda possivel .”

 

Nunca foi minha intenção escrever qualquer palavra sobre as últimas eleições autárquicas no concelho de Silves. Porém, mais que o desafio feito por um amigo e pelo tal “bichinho” a “falar” , após ter lido o que escreveu José Paulo de Sousa, é imperativo que alguma coisa seja dita após a tomada de posse deste executivo, diria até especialmente, pelo facto do mesmo ser da CDU.

Independentemente do que conheço da personagem em causa e por incrível que pareça a muita gente, concordo palavra por palavra com tudo  que escreveu o qual transcrevo no início desta crónica. Aliás, não é de todo difícil de concordar, não só porque sempre defendi serem os procedimentos mais sensatos, naturais e inteligentes que qualquer executivo deve ter, logo após tomar posse.

E  digo que é imperativo ter esta “narrativa”, especialmente pelo facto do novo executivo ser da CDU, pois se não aprenderam a lição dos tempos de José Viola, em que o suporte dos seus apoiantes (especialmente os funcionários ), foram aqueles que ele ostracizou, rodeando-se e confiando em reconhecidos “inimigos” políticos e não só e…foi corrido; então, como disse o outro, temos o caldo entornado.

A CDU não pode ter qualquer espécie de complexo de ser acusada de que os comunistas comem criancinhas e de que fazem caça às bruxas; as mudanças e substituições dos lugares chave de chefia, repito, é do mais elementar e inteligente procedimento que qualquer executivo pode ter. E a CDU tem a tarefa bem facilitada pois tem a obrigação de saber que a competência nunca fez parte dos critérios seguidos por Isabel Soares e por Rogério Pinto, na atribuição de todos esses lugares de chefia e similares, mas sim a identificação partidária e a “amizade cúmplice”.

Poderia exemplificar facilmente  e explicar ao pormenor os porquês de todas as nomeações de chefia e afins existentes no município, mas julgo não ser necessário, pois alguns elementos da CDU têm conhecimento de todas estas situações.

Por outro lado, é do conhecimento público que os serviços prestados pela Câmara Municipal de Silves, em todas as sua vertentes e apesar das taxas por eles pagas serem escandalosas, está muito aquém dos níveis mínimos aceitáveis pela população em geral. Urge que seja feita uma reestruturação séria nos vários departamentos e secções do município, não só a nível dos recursos humanos como os demais.

Hoje em dia a justificação para  não se tomar esta ou aquela decisão é dizer-se que é muito complicado, assim como se tenta justificar a falta de vontade, de competência  ou coragem para não se pôr as coisas em ordem, alegando que é o sistema.

Não conheço Rosa Palma, não conheço Mário Godinho, não conheço Rodrigo Neves. Contudo, quando Paula Bravo, uma das maiores entendedoras da política local e certamente uma boa conhecedora dos dois principais membros do executivo  e do seu chefe de gabinete diz - “penso que o nosso futuro próximo dependerá, em primeiro lugar, da qualidade e capacidade do executivo permanente e da equipa que fôr escolhida para o apoiar”-, fico com alguma apreensão pois leio nas suas palavras uma insegurança que não esperava, no que concerne à qualidade e capacidade dos eleitos e acompanhantes. Pensava eu dar o benefício da dúvida, pelo menos até ao final do ano e consoante o andar da carruagem, afinal…

Na altura devida tive a humildade suficiente para reconhecer que errei nos meus vaticínios sobre quem sairia vitorioso nestas eleições. Hoje, deixo estas palavras que não  pretendem ser mais  do que  um contributo sério e desinteressado, para que o  desempenho dos eleitos, nos próximos 4 anos seja um sucesso, pois será também um sucesso do nosso concelho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

New Silves Mayor vows to protect Salgados Lagoon

BY CARRIE-MARIE BRATLEY, IN NEWS · 31-10-2013 14:29:00 · 0 COMMENTS

In one of her first interviews since taking the reins at Silves Council, newly-elected Mayor Rosa Palma addresses the surprise victory of her Communist-Greens alliance (CDU) and tells The Portugal News she will endeavour to protect the Salgados Lagoon – “one of the Algarve’s last remaining ecological oases” – from mass construction.

New Silves Mayor vows to protect Salgados Lagoon

After sixteen years in Silves’ driving seat the PSD social democrats were ousted in this year’s local elections, on 29 September, by CDU, a coalition made up of the PCP communist party and the greens ‘Os Verdes’.
It was seen by many as a surprise result, but not to the new Mayor of Silves Rosa Palma, who was sworn in last week Monday (21 October).
“Throughout the electoral campaign we noticed more and more that it was in fact possible for us to win Silves, which proved right”, Rosa Palma tells The Portugal News.
Known for “keeping their word” and being “entirely immune to corruption and promiscuous connections”, Palma claims CDU candidates highlight the party’s “uncompromising defence of public interest and spirit of mission.”
Their victory in Silves, she says, is “mainly due to the quality and credibility of the team, as well as CDU’s credibility as a political force and broad coalition (made up by an independent majority), which stands out for the humble and serious way it makes contact with the population.”
Given that the CDU coalition also incorporates green party ‘Os Verdes’, many were quick to question whether this would bear any influence on the advancing of a controversial development project at the Salgados Lagoon in Pêra, or Pêra Marsh, which falls under Silves’ domain.
It was announced last year that the local authorities had given their backing to a massive tourist resort including three hotels and a golf course, to take shape at the natural beauty spot, which is popular among bird-watchers and nature lovers from all over the world.
“Evidently it will [influence the on-goings]”, Rosa Palma replies, pledging that the party’s position on the matter has not changed in light of the electoral win; “Rather the contrary, it has only further legitimised our aspirations to safeguard one of the last ecological ‘oases’ in the Algarve.”
As the Mayor of Silves, Rosa Palma vows she will “seek to protect the unique ecological habitat which, from a tourism point of view, should be valued and used in a way that does not involve mass construction.”
She continues: “We know there are urban commitments for that area, but we will keep an eye on the situation because the community has realised that building for building’s sake does not necessarily bring wealth and employment, particularly when we are referring to worn-out formulas that imply the destruction of areas that are ecologically sensitive and which, for being so rare in the Algarve, justify being safeguarded and protected.”
News of the project caused an immediate backlash, with the Portuguese Society for the Study of Birds (spea), part of global organisation Birdlife International, calling it a “mega-attack on the environment.”
A petition was launched in June last year to protect the Salgados lagoon from any development and has so far amassed more than 22,000 signatures.
On Wednesday this week a spokesperson for CCDR-Algarve, which was responsible for carrying out an Environmental Impact Study (EIA) on the project, told The Portugal News that the finished file has been dispatched to Lisbon and is currently waiting to be signed off by the State Secretary for the Environment. 
Once it has the State Secretary’s stamp of approval construction can begin.
The EIA’s initial conclusions were vehemently contested by those opposing the project during a phase of public consultation which ended earlier this year on 26 July.
Meanwhile, Rosa Palma says her immediate priority is “getting to know, in a thorough and detailed manner, the economic and financial situation of Silves, so we can restructure municipal accounts and elaborate, from here on in, serious, credible and transparent budgets.”
Once that objective has been achieved the Silves Mayor believes it will help “wipe out the bad image” that has been built up of Silves “over the past 16 years, of a county with pot-holed roads, with rubbish to be picked up, with a lack of cleanliness and public hygiene, and degraded or abandoned places of collective use.”
She is also aiming to boost the local economy “which at the moment is paralysed”, to guarantee more job opportunities and help the underprivileged, “limiting as much as possible the harmful effects of the serious and profound economic and financial crisis affecting our country and the county.”
The restoration of degraded areas such as the Caixa d’Água neighbourhood, the Silves castle hillside, the renovation of Armação de Pêra Casino and interventions in the historic centres of Silves’ parishes will happen, Mayor Rosa Palma says “as and when the council’s financial difficulties are resolved.”

Um texto publicado no Portugal News (site e jornal), onde a nova Presidente assume a vontade de proteger a Praia Grande da betonização. Resta saber se terá força e condições para travar a malta "dos aventais"... é que nesta matéria, e neste ponto de situação, o poder local pode fazer muito pouco. Por isso mesmo inventaram os PIN - Projectos de Interesse Nacional, uma "inovação" de José Sócrates que permite ao Governo fazer aquilo que as autarquias não querem fazer. 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Muito se tem escrito sobre a Feira, que se queria “franca”, e levou “chumbo” da oposição em Reunião de Câmara. Se há coisa que este blog sempre tem procurado é defender a verdade e, até a propósito, a política “franca”… como a feira deveria ser.

Quero por isso começar por dizer que, sendo o blog um espaço onde quase sempre se posta a minha opinião, acho a atitude da vereação neste caso uma “vingançazinha”… mesquinha… sujinha… e tudo o que acaba em “inha”. Tal não quer dizer que a CDU tenha tido o papel de vítima. Nem todos os “crimes” têm uma vítima. Aliás, a CDU neste “caso” terá à sua espera um, de dois, papeis:

- Ou revelou a sua impreparação (que é normal) levando a Sessão de Câmara um assunto que teria que ser decidido pela Assembleia Municipal, sendo que a próxima reunião daquele órgão estava marcada para depois da Feira;

- Ou quis “entalar” desde já a oposição na opinião pública, preparando terreno para o Orçamento e outras medidas que terá que tomar, usando um truque de “rasteireza política” no qual PS e PSD caíram como “patinhos”. Se foi esse o caso, a CDU também “começa mal”…

Depois de publicar o post anterior alguns amigos me alertaram para o facto de as últimas Feiras Francas realizadas em Silves terem ocorrido ANTES da nova legislação, que não prevê excepções… tal como também me esclareceram que nesta situação o executivo camarário deveria ter “deliberado” propor à Assembleia Municipal que decidisse a isenção de taxas na próxima feira.

Analisando isoladamente este caso, e sem conhecer ainda a acta e porque razão PS e PSD invocaram o voto contra, poderemos dizer que a decisão é compreensível. Já quando a análise é feita à luz do que tem sido o comportamento e as decisões tomadas pelos principais intervenientes na tal sessão de câmara, não podemos deixar de pensar que a abstenção seria a tomada de posição mais lógica. Convêm não esquecer os inúmeros casos de abstenções, faltas de vereadores e votos “errados” que marcaram os últimos anos em casos onde os munícipes tinham muito mais a perder. 

 

PS: fica no post anterior a "Proposta da CDU" para consulta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Silves: Proposta do executivo para tornar Feira de Todos os Santos isenta de taxas foi rejeitada

 

A proposta do executivo CDU da Câmara Municipal de Silves, que previa a realização, a título excecional, da Feira de Todos os Santos de 2013 como feira franca, isentando-a de taxas, foi rejeitada com os votos contra da oposição, formada pelo PSD e pelo PS.

 

A proposta, chumbada com os votos contra do PSD (2) e do PS (2) face aos 3 votos a favor da CDU, visava “minimizar os efeitos que provavelmente se sentirão e que resultarão da não existência de feriado no dia 1 de novembro e com a atual crise económico-financeira”, explica, em comunicado, a presidente da câmara, Rosa Palma.

 

O executivo permanente previa, devido aos fatores já citados, “uma diminuição muito considerável do número de visitantes da feira”, o que constitui um “desincentivo” à participação dos feirantes e demais comerciantes no evento.

 

A proposta desonerava de forma excecional os feirantes e demais comerciantes a retalho não sedentários da obrigação do pagamento das taxas previstas na secção I, do capítulo IX, da tabela de taxas e licenças anexa ao regulamento n.º 210/2013.

 

A autarca da CDU recordou que, nos anos de 2009 e 2010, a Feira de Todos os Santos foi realizada como feira franca e, também no ano de 2009, o mercado municipal da freguesia de Silves foi franco, “em ambas as situações” com a aprovação “unânime” de todas as forças políticas.

 

“O executivo permanente lamenta profundamente este tomada de atitude, que considera poder ser um contributo decisivo para a perda de importância e impacto deste evento”, sublinha Rosa Palma.

 

A autarquia informa assim todos os feirantes e artesãos que participarão na Feira de Todos os Santos que deverão dirigir-se ao serviço de Taxas e Licenças da autarquia, a partir de segunda-feira, para procederem aos pagamentos correspondentes aos espaços que ocuparão no recinto do evento.

 

A Feira de Todos os Santos realiza-se entre os dias 31 de outubro e 3 de novembro. O evento decorre no parque de estacionamento atrás do castelo e nos arruamentos adjacentes.

 

Este evento tem uma longa tradição na cidade, já que se realiza desde o ano de 1492, ocasião em que Silves foi agraciada com a «Carta de Feira» pelo rei D. João II.

 

Nessa altura, apenas as localidades de Loulé (1291) e Tavira (1490) tinham tal privilégio. A Feira de Santa Iria só passou a existir em Faro a partir de 1596 e, em Portimão, a Feira de São Martinho data de 1662.

 

.diariOnline RS

20:54 sexta-feira, 25 outubro 2013


Os mesmos que viabilizaram pagamentos milionários a sociedades de advogados, aumentos de taxas e impostos, orçamentos irrealistas ou despesas de representação ridículas... são agora contra a iniciativa de isentar de taxas a Feira de Todos os Santos. Isto demonstra claramente a qualidade e o carácter de quem "ainda está na vereação". Nem vale a pena fazer mais comentários, a não ser que a Dra Rosa Palma e a sua equipa vão ter mais dificuldades do que aquelas que seriam expectáveis, mas, no final, quando se age com honestidade, boa vontade e dedicação ao concelho, a recompensa chegará. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

No rescaldo das Autárquicas 2013, quando as “facas longas” começam a ser puxadas em pelo menos duas sedes partidárias locais, é tempo de postar a minha análise aos resultados. Enquanto alguns dizem que “já esperavam” o resultado destas eleições, eu assumo aqui que fiquei surpreendido. Foi uma boa surpresa.

Na verdade, e tal como aqui escreveu o António Guerreiro, as conversas que ia tendo com as pessoas nas ruas, e com amigos de todas as candidaturas, nas redes sociais ou pelo telefone, diziam-me que a campanha do PS estava a falhar redondamente. Quando, numa terra pequena e sem grandes ligações ao mundo exterior como São Marcos da Serra, idosos comentam a falta de ética da campanha socialista, é caso para se pensar que talvez tenham ido longe demais. À falta de propostas e de ideias concentraram-se em duas questões: apelar ao voto de protesto e apresentar defeitos dos concorrentes.

Mas a famosa sondagem, que dava uma vitória folgada ao PS, fez-me pensar que talvez o “mensageiro moldasse a mensagem” à minha pessoa, transmitindo-me aquilo que eu gostaria de ouvir. Olhando para outras sondagens, que davam boas indicações e sinais claros de que o PS iria ter uma noite triunfal a nível nacional, pensei que a coisa estaria quase decidida. Alguns sinais de confiança que foram chegando de gente da campanha socialista pareciam indicar que me estava a escapar alguma coisa. O próprio cabeça de lista parecia estar apenas focado em Rogério Pinto, com uma atitude de quem já tinha garantida a vitória… ao ponto de, por exemplo, ter enviado SMS a candidatos do PSD a órgãos autárquicos locais, a ironizar com o episódio do Kamov, esperando talvez que lhe retribuíssem a brincadeira.

Ao mesmo tempo que a sondagem fazia crer numa vitória previsível, a vertiginosa vinda a Silves de personalidades centrais do PS demonstrava que nada ainda estava ganho. João Proença (um apoio quase tão bom como o de Arthur Ligne, num concelho que já provou ter memória), Vieira da Silva, António José Seguro, Carlos Zorrinho… foram apenas alguns. A falta de entusiasmo e de pessoas nessas sucessivas visitas diziam que algo estava errado. E estava. A “Confiança na Mudança” não passou afinal de “Excesso de Confiança na Mudança".

 

 

Do lado do PSD as coisas sempre me pareceram mais claras. Com o fim de ciclo Isabel Soares, a insatisfação generalizada da população contra o Governo, as dificuldades de afirmação de Rogério Pinto como líder, a fraca qualidade das listas apresentadas (com militantes importantes a ficarem de fora) e as lamentáveis cenas do verão em Armação de Pêra, a derrota era o resultado que reunia maior probabilidade. As ruas confirmavam essa minha ideia e apenas alguns elementos do aparelho laranja aparentavam estar confiantes na vitória. Além disso, tal como nos tempos de Isabel Soares, a máquina do PSD começou a campanha muito tarde… o que para um Presidente com apenas 12 meses de activo e ainda desconhecido em algumas zonas do concelho me pareceu errado.

De qualquer forma a campanha do PSD foi leal, concentrando as suas atenções nas freguesias onde se reunia o eleitorado mais fiel e deixando de parte (ou pelo menos dedicando menos tempo) Messines. Algo que não é novidade no PSD.

A CDU fez uma campanha em crescendo, bem planeada, com objectivos bem definidos, com humildade e muito trabalho. Sem ter ainda (porque até é normal que assim seja) uma liderança carismática, apostou no trabalho de equipa. Gastando menos do que as outras duas principais candidaturas conseguiu envolver mais pessoas. Passou para o exterior duas mensagens importantes, que encaixaram como uma luva nos anseios da população e nas expectativas que todos tinham para estas eleições: “esta é a única candidatura que na realidade configura uma mudança”; “esta é uma candidatura acima de um partido, repleta de independentes e gente com provas dadas a servir as populações desinteressadamente”.

Como o trabalho de casa estava bem feito (desconfio que há dedo do Francisco Martins nisto :) ) focou-se em Messines e Silves, com “tiros certeiros” nas outras freguesias onde foi capaz de auto-reconhecer algumas limitações. Uma estratégia que resultou em pleno e que comecei a ver com maior clareza quando, perto das 20H, recebi os resultados de São Marcos da Serra: vitória do PSD para a Junta de Freguesia e da CDU para a Câmara Municipal! Nunca esqueçam que a votação de São Marcos da Serra para a CM sempre foi um excelente barómetro.

O BE teve um papel importante nestas eleições. Acredito que contribuiu imenso para os resultados, não pela sua votação, mas sim pelo trabalho de “despertar” as mentes silvenses para a necessidade de uma mudança. O David está de parabéns. Marcou o seu espaço, marcou a diferença… merecia ser eleito para poder contribuir mais activamente. Infelizmente, tal como aqui escrevi, o BE tem um espaço político exíguo em Portugal e David Marques foi a votos sem o apoio que merecia.

Espero sinceramente que esta equipa eleita dê o seu melhor. Tenho a certeza de que terão a capacidade, o conhecimento e o apoio de todos aqueles que, antes das suas ambições pessoais, querem o melhor para o concelho de Silves. Quero também felicitar todos os candidatos eleitos e agradecer a todos os que, com os valores da ética e a sua terra em primeiro lugar, participaram nestas eleições. Bem hajam. 


PS. Fiquem atentos, teremos declarações importantes neste blog para breve.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Já é oficial: Rosa Palma é a nova Presidente da CM Silves. A CDU foi a grande vencedora da noite no nosso concelho.

Os meus parabéns à Dra Rosa Palma e a toda a sua equipa. Regozija-me saber que o meu concelho teve a capacidade de escolher a equipa certa para conduzir o concelho nos próximos 4 anos. Estou certo que a seriedade, a honestidade e a vontade de trabalhar da nova Presidente ajudarão a tirar este concelho do marasmo. Muitos parabéns também aos presidentes eleitos nas duas freguesias da minha vida, João Carlos Correia em Messines e Luís Cabrita em São Marcos da Serra. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu já decidi...

24.09.13

A sondagem alegadamente encomendada pelo PS e as entrevistas dos 4 candidatos ao “Terra Ruiva” tem dominado as conversas na blogosfera e na rua.

Sobre a sondagem pouco mais há a dizer. Pedi à Eurosondagem que me confirmasse a autoria da sondagem e os resultados… não obtive ainda qualquer resposta oficial. Coisa que entendo, uma vez que se trata de uma empresa privada que supostamente terá feito um trabalho particular a pedido de um cliente. Parece-me estranho que uma sondagem em Silves tenha, para a mesma margem de erro e confiança, mais 300 entrevistas do que uma outra sondagem, feita pela mesma empresa em Loures, onde a população é mais do dobro.

Concordo com o António Guerreiro quando diz que esta sondagem não encontra “aderência” nas ruas e tenho para mim que andará longe da realidade no dia 29. Evidentemente quero também agradecer ao António Guerreiro o seu comentário que em muito enriqueceu este espaço.

Sobre a entrevista no Terra Ruiva, começar por dizer que foi pena a Paula Bravo não ter optado por entrevistas pessoais e específicas para cada candidato. Compreendo porque sei que com o tempo e os recursos disponíveis tal façanha não se afigura fácil.

Gostei da entrevista do David Marques, nota-se a irreverência e a vontade de fazer. Existem ideias, projectos e uma matriz de esquerda no seu discurso. Destaco a parte de “nacionalizar os terrenos da Galilei”… demonstra coragem e convicções fortes.

 

Gostei da Rosa Palma. O seu pragmatismo e a boa equipa que tem tornam-se evidentes a cada dia que passa. Passa uma mensagem de confiança, de trabalho e de rigor que tanta falta têm feito a este concelho. É bem patente que existe um programa e ideias para todas as freguesias.

Não gostei de Rogério Pinto. Nem comentário me merece. Aquele concelho de que ele fala não existe, a não ser na sua cabeça. É urgente que o PSD passe por uma "cura" de oposição e desintoxique o concelho dos seus boys e girls.

Não gostei de Fernando Serpa porque mente logo na primeira palavra que diz: “ACEITEI ser candidato…”. Só aceita ser candidato quem foi convidado para sê-lo. Seria bom que Fernando Serpa dissesse quem o convidou. Na verdade ele impôs-se candidato, contra a vontade das forças vivas do partido no concelho e no distrito, em nome de um projecto pessoal e de uma agenda oculta e escabrosa. Quanto ao resto, banalidades e conversa para tolos.

Somando a entrevista e a sondagem tomei a minha decisão. A sondagem demonstrou-me claramente que, para não arriscar ter Serpa ou Pinto na liderança, só há um caminho. Sabemos que a CDU vale sempre mais do que as sondagens indicam, mas mesmo assim convém não arriscar. Só me custa pelo David, de quem gostei imenso. Pelo António, que muito prezo. Mas, não posso votar em dois e por isso vou ser prático e pragmático. Mais uma vez vou confiar o meu voto a Rosa Palma e à equipa da CDU. Acredito que possam fazer um bom e honesto trabalho pelo concelho de Silves. Para a Assembleia Municipal o meu voto será em Fátima Matos, com todo o carinho e admiração que ela me merece. Fez uma bela campanha, muito acima de todos os outros.

Há mais de 2 anos que entreguei o meu cartão de militante do PS. Não penso voltar a ser militante de nenhum partido, pelo menos enquanto os partidos continuarem a ser agências de emprego sem projectos, nem ideias, nem consciência comunitária. Sou por isso livre e é nessa qualidade que tomei esta decisão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Respondendo por antecipação a alguns comentadores, quero dizer que a “sondagem do Penedo” não tem a ambição de ser fiável ao ponto de poder influenciar resultados. Sou o primeiro a admitir que os blogs e as redes sociais contam pouco na hora de votar (apesar de cada vez assumirem maior importância). Também sei que o blog é lido por uma minoria que não se traduz na amostra ideal. Mas o objectivo é potenciar discussão e gerar interesse pelo blog, coisa que tem sido conseguida. Apenas em 11 dias o Penedo Grande já teve mais visitas e “first time visitors” que em todo o mês de Agosto, estando 20% acima de igual período de há 4 anos.

 

Em jeito de resumo aqui ficam alguns gráficos e dados a reter:

 

Para a CM Silves votaram 434 internautas (houve mais de 600 tentaivas de votar que não foram contabilizadas pelo sistema) e após um periodo em que Fernando Serpa liderou, regista-se agora a liderança de Rosa Palma e uma grande recupreção de Rogério Pinto, que já está a escassos 2% de Serpa. David Marques tem perdido terreno.

 

Para a AM de Silves votaram 258 internautas (123 tentativas de voto bloqueadas). Fátima Matos lidera destacada, com mais do dobro da votação do segundo classificado, o candidato do PSD. Na AM a CDU sai fortemente penalizada nesta altura, recorde-se que nas últimas autarquicas João Estevens consguiu liderar a sondagem e disputar os lugares cimeiros. 

 

Para a AF de Messines votaram 318 internautas (153 tentativas de voto bloqueadas). José Vítor Lourenço que liderou numa fase inicial, perdeu o lugar para João Carlos Correia. A candidata do PSD tem subido alguns pontos mas está ainda longe do exigido ao partido.

 

Para a AF de São Marcos da Serra votaram 233 internautas (68 tentativas bloqueadas). A grande disputa tem sido entre Luís Cabrita, o candidato do PSD que já vai na sua terceira tentativa, e Ricardo Guerreiro, o jovem candidato do PS. Rosa Guerreiro, da CDU, tem no entanto subido na última semana.

 

Para a AF de Silves votaram 299 internautas (61 tentativas bloqueadas). Lidera Luís Coelho do PS, seguido pelo candidato do PSD que foi quem mais subiu nas últimas semanas. Uma palavra para o candidato do MPT Rui Amador que surge à frente do elemento escolhido pelo Bloco de Esquerda, João Varela Santos.

 

Para a AF de Armação de Pêra votaram 221 internautas (184 tentativas bloqueadas). Após algumas semanas em que obteve mais de 50% dos votos, o candidato do PS, Paulo Vieira, começou a perder terreno para Ricardo Pinto. Nesta altura menos de 10 pontos separam os candidatos.

 

Esclareço que não coloquei a votos as “uniões de freguesias” porque só recentemente se confirmou a legalidade de algumas candidaturas participantes. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ainda com o “cheiro a filhós” no ar o Orçamento Municipal para 2013 lá foi aprovado em Assembleia Municipal, com os votos favoráveis do PSD, a abstenção do PS e os votos contra da restante oposição.

Pelo que li o Orçamento para 2013 prevê menos 10M€ de receitas do que o anterior, o que, é justo dizê-lo, será mais uma vitória da oposição – que sempre alertou para este escândalo dos orçamentos inflacionados - do que um “mea culpa” do executivo. Já todos estávamos habituados aos orçamentos “alucinados” de Isabel Soares, este último previa receitas de 47M€ e a 30 de Novembro estavam arrecadados 27M€. Mesmo com o corte o Orçamento de 2013 deverá apresentar um desvio de mais de 5M€ face às receitas que o município irá obter… défice, mais défice.

A posição de abstenção do PS, nesta fase da votação, parece-me responsável. As consequências para os cidadãos e entidades do concelho seriam mais dramáticas caso o Orçamento fosse chumbado. Ainda assim o PS não se livrou de um “presente envenenado”, com a declaração de voto do PSD a “agradecer” todo o empenho e cooperação do PS na elaboração deste orçamento…

Também é coerente a posição dos restantes partidos com assento na Assembleia Municipal, BE e CDU, que votaram contra. É bom dizer que este é um péssimo orçamento, com consequências trágicas para o concelho… mas tenho dúvidas que fosse possível fazer melhor sem mexer nos postos de trabalho que a CMS assegura e nos direitos dos seus trabalhadores.

Clubes, Associações e Juntas de Freguesia continuarão a ser os “Cristos” em 2013 e de investimento… nada! Ora o investimento é “aquilo” que permite criar valor, criar emprego e por conseguinte… criar receitas! Estou por isso ansioso para começar a ler os programas eleitorais dos vários partidos para as próximas autárquicas, e perceber quais os que farão “copy/paste” de programas antigos, requentados e comprovadamente ineficientes… e quais terão a decência de entender que Silves apenas pode “sair do buraco” se oferecer vantagens que atraiam empresas, pessoas e capital.

Espero sinceramente que 2013 não seja tão mau como muitos antecipam e que todos os “players” da política local se empenhem em defender as pessoas. Bom ano 2013.

 

PS. Uma palavra para o “serviço público” que a CMS presta no seu site… continuam disponíveis para consulta apenas as actas do ano 2008!! São 5 anos de atraso na informação dos munícipes! É caso para dizer, se não fosse o tornado, só saberíamos que tínhamos novo presidente lá para 2016!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mal se começou a falar na Reforma Administrativa, logo após a assinatura do Memorando da Troika, o Penedo Grande lançou uma sondagem que teve mais de 100 votantes (118 para ser preciso) com IP’s únicos (quer dizer que foi contabilizada uma votação por computador) sobre o tema. A amostra utilizada não é grande coisa, mas ainda assim é superior a muitos estudos de opinião e sondagens feitos a nível nacional e que depois apresentam dados sobre o concelho.

Nessa sondagem os visitantes do Blog tinham como hipóteses de escolha os seguintes mapas autárquicos:

 

A hipótese A (apenas 3 grandes freguesias) reuniu 37% das preferências e foi a mais votada.

A hipótese B (4 freguesias) reuniu 13% dos votos.

A hipótese C (4 freguesias) reuniu 17% dos votos.

A hipótese D (5 freguesias) reuniu 21% dos votos

Foram dadas aos internautas mais duas opções:

- Outra opção de redução das freguesias, que reuniu 8% dos votos;

- Manter o actual mapa autárquico, que reuniu 4% dos votos;

Quer isto dizer que 96% dos 118 votantes consideram necessário mexer no actual mapa autárquico, no entanto, seguramente baseados em números muito rigorosos, os nossos políticos defendem na praça pública a manutenção do actual cenário como um feito grandioso de representação democrática! Ora eu não me sinto representado por esta gente e gostava de conhecer os argumentos objectivos e quem foi ouvido na tomada desta decisão. Algum dos vereadores me explique, sem usar copy/paste de artigos de imprensa, porque razão não tiveram coragem para mexer neste assunto e perderam mais dois anos, no minímo.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Comentários recentes

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...

  • Lucas

    Eu cá gostava mais das entrevistas do Serpa, reple...



subscrever feeds