Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    Tem o PDF do livro?

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...





 

Dois dos habituais comentadores deste blog, daqueles que se pautam por elevar a qualidade do debate, “esgrimiam”, no post anterior, argumentos sobre Museus.
Quem acompanha este blog há algum tempo sabe que a minha posição sobre o Museu do Traje é de total discordância, como de resto o é também em relação ao Museu do Azeite em São Marcos da Serra.
Discordo por vários motivos:
1 – Porque acho que antes de se avançar para a construção de mais um Museu era preciso demonstrar que o que já existia se traduz numa aposta ganha. Não creio que isso esteja claro entre os messinenses.
2 – Porque, tratando-se de uma obra efectuada por um privado como contrapartida, haveria mais onde investir. Tal como esta foto documenta as nossas crianças, e todos os restantes utentes dos autocarros (que são às centenas todos os dias), têm uma cabina de chapa para se abrigarem do sol e da chuva enquanto esperam para regressar a casa ou para ir trabalhar. Parece-me que seria muito mais lógico pedir ao tal privado que construísse… não digo um “terminal”, mas pelo menos um “abrigo rodoviário”.
Relembro ainda que na altura em que se construiu o Museu a rotunda (que ainda hoje aguarda pela prometida iluminação), onde várias pessoas perderam a vida, ainda não estava construída. Aceitaria se essa tivesse sido a contrapartida, mesmo sabendo que seria dinheiro gasto em “terreno alheio”, poderíamos ter poupado a vida de alguns.
3 – Partindo do pressuposto de que a obra teria que ser feita naquele local haveriam outras “valências” que interessariam mais aos messinenses. Por exemplo criar um Centro de Conhecimento e Novas Tecnologias, um espaço vocacionado para o futuro que dinamizasse a vila organizando acções de Formação sobre Novas Tecnologias orientadas para todas as idades. Um espaço que tivesse uma Videoteca e uma zona de acesso à Internet gratuita (eu sei que existe na Junta essa hipótese) em horários alargados, um espaço que pudesse ser atractivo para os locais em primeiro lugar e ao mesmo tempo que contribuísse para o desenvolvimento da vila.
4 – Messines não tem, nem nunca terá, vocação turística. Desculpem-me meus senhores mas se vamos esperar que seja o turismo a impedir que a vila definhe estamos “tramados”. Estamos totalmente fora das rotas turísticas do Algarve, apenas a Via Algarviana e os locais religiosos atraem algumas pessoas (e se a primeira é apenas uma passagem, a segunda pelo andar das coisas não dura muito tempo). A nossa freguesia pode ter um futuro risonho se apostar noutras formas de desenvolvimento como a Agricultura Biológica, as Energias Alternativas e as Indústrias Transformadoras de produtos locais… entre muitas outras. Atrás disso virão os postos de trabalho e atrás deles os serviços. Tudo isso requer muito esforço, dedicação e ambição para que se torne realidade... características que, infelizmente, não abundam nos nossos líderes.
5 – Parece-me bem que se diga que o passado projecta-nos para o futuro, mas não sei até que ponto “forçar” demasiado o passado será boa ideia. Um Museu do Traje em Messines parece-me ser esticar um “bocadinho a corda”. Não creio que existam suficientes traços distintivos em relação a todas as localidades que nos rodeiam que justifiquem tal coisa. Isto para não falar no Museu do Azeite em São Marcos da Serra que poderá ser comparado a um Museu da Conserva de Sardinha em Vila Viçosa… num lado consome-se azeite, no outro "sardinha em molho de tomate".
Alguns dos meus “camardas” não gostam que fale assim da Cultura… porque quem não defende a Cultura é “grunho”. Se quiserem chamem-me “grunho” mas deixem que vos diga que há cultura útil e cultura inútil. Há cultura pensada para as pessoas e cultura pensada para o “umbigo”, para o “amigo” e para os folhetos eleitorais… é bom que diferenciem as coisas. Se querem apoiar a cultura em Messines apostem no Teatro, nos livros e na dinamização (pensada para os locais de todas as idades) da Casa Museu João de Deus.

Autoria e outros dados (tags, etc)


34 comentários

Sem imagem de perfil

De gabriela rocha martins a 30.10.2009 às 17:10

começo por pedir desculpa por chegar atrasada a uma discussão que acho interessantíssima e que me diz particularmente interesse.........
em primeiro lugar ,começo por dizer que estou em discordância com quase tudo o que até aqui foi escrito ..."até porque de boas intenções está o Inferno cheio".
estou em total desacordo com o autor do post - o meu querido amigo Paulo - e ele que me desculpe ,porque ao contrário do mesmo ,considero que todo o potencial da freguesia de São Bartolomeu de Messines ,aliás ,como do próprio Concelho de Silves deveria passar pelo Turismo Cultural - em todas as suas vertentes .é necessário saber aproveitar ,isso sim ,as virtualidades da nossa gente - riquíssima em SABER .hoje em dia, e ao contrário do que até meados dos anos setenta do século passado era comum , os Museus ,meu amigo Paulo, devem ter uma componente social importantíssima e quem da mesma descura ,não entende absolutamente nada de museus ,no séc. XXI.....
em segundo lugar ,e ,como responsável pela Casa Museu João de Deus, não posso concordar quando se diz que a mesma está subaproveitada e que os nossos Jovens não a frequentam. convido TODOS os messinenses e não só, a visitar a Casa Museu, a qualquer momento, dentro do horário da mesma, a fim de verificar que os Sectores da Mediateca e Biblioteca estão sempre cheios de Crianças e Jovens que aqui usufruem de Jogos ( nomeadamente a playstation ) e ,sobretudo ,da INTERNET gratuita ,podendo, inclusive, dentro das horas para tal acertadas ter iniciação aos princípios informáticos. perguntem ,por favor, aos miúdos das nossas Escolas básicas ,onde passam os seus momentos livres? e quantos deles ,muitas vezes, não são por nós mandados para as escolas, porque preferem vir brincar a ir para a Escola.......e porque tal acontecerá? ignorar esta verdade, é ignorar, completamente, o que se passa na Casa Museu João de Deus . e mais há a informar .diariamente, os alunos da EPAALG, sobretudo da parte da tarde, fazem da Casa Museu João de Deus o seu local de trabalho .visitem.na e constatem.... para não referir toda a disponibilidade que é prestada aos Alunos, dos mais diversos níveis etários ,no que concerne aos serviços da Biblioteca em todas as suas valências .... e mais...... dias há ,em que o espaço da Casa Museu João de Deus é exíguo para todos os jovens que nos procuram? porque será que tal acontece?não acreditam? visitem.nos e verifiquem "in loco"
quanto às actividades que envolvem o Meio..... é verdade. têm diminuido , e sabem porquê? porque apesar da variadíssima oferta ,o Público não adere .lançámos inquéritos à População .pedimos sugestões .tivemos particular atenção às respostas.procurámos ir ao encontro do solicitado .e qual o resultado? assistências quase nulas. portanto, meus Amigos ,não inventem mais Comissões que mais não servem senão para as pessoas papaguerem os seus multiplos "saberes", conviverem durante algumas horas ,encherem os seus super ávidos "egos", mas que ,na prática, não trazem nada de novo .aproveitem ,isso sim, aquilo que vos é proposto; respondam ao que vos é pedido; colaborem nas actividades porque é para isso que os espaços culturais existem, mas, por favor ,antes de falarem sobre as coisas ,procurem saber o que realmente se passa com e nas mesmas.
peço desculpa por me ter alongado e se acaso feri a susceptibilidade de alguém .não é essa a minha intenção .mas é que tenho ouvido tantas inverdades ,sobretudo ,nestes últimos tempos ,dedicados às campanhas eleitorais ,que não posso nem devo ficar calada .inicialmente ,tinha pensado em não abrir a boca ,apesar do muito que ouvi .mas ,hoje ,depois do que li ,não resisto....as pessoas podem e devem apresentar propostas .as pessoas devem falar .felizmente ,vivemos em democracia .mas ,o que as pessoas não podem nem devem fazer é chamar a si - como ideia nova e sua - o que outros, ao longo de doze anos, têm vindo a fazer .não subestimem o que temos e o que tem sido feito .o seu a seu dono .razão porque a minha consciência e ,sobretudo ,o meu profissionalismo ,aqui posto em causa ,exigia uma primeira explicação .muito do que teria para dizer ficará para uma ( ou outras ) intervenção ,porque este assunto não deve ser tratado com certa leviandade e muito menos pela rama
Imagem de perfil

De ccor a 31.10.2009 às 11:09

Cara Gabriela Rocha Martins,

No que a mim diz respeito obrigado pelo seu comentário.
Apenas um pequeno reparo. Existe em Portugal e não só, por vezes uma certa confusão entre a pessoa e o trabalho que faz. Eu percebo que seja complicado separar as águas, mas nem sempre a crítica construtiva a um dado projecto pretende estender-se à pessoa que o faz. Encontram-se neste caso as sugestões ou criticas que fiz em relação ao museu JD, a intenção seria melhorar o seu trabalho tornando-o mais abrangente, ou se for esse o caso, apenas divulgar o que já se faz de forma mais eficiente. A sua colaboração seria obviamente importante e relevante, pois conhecerá melhor do que ninguém o que já se faz e os obstáculos a enfrentar.
Como já disse não vivo em Messines no momento, não conheço por isso em profundidade tudo o que se faz, nem quem são a s pessoas envolvidas. Por exemplo não a conheço a si, ou melhor devo conhecer mas não consigo associar o nome a uma cara.
Mas como disse, sugestões são tão só sugestões, as que não prestam, lixo.
Cumprimentos
CcoR
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 31.10.2009 às 17:02

Cara Gabriela,

Bem-vinda a este blog. Evidentemente quando escrevi este post sabia que, tarde ou cedo, cá estaria a comentar e nem esperaria outra coisa que não a defesa, de “dentes cerrados”, da sua grande paixão. Tenho-a na mais alta consideração e faz bem em considerar-me seu amigo… sou mesmo. Este assunto - dos Museus – será das poucas coisas em que discordo de si e revela o quão salutar é quando cada um dá a sua opinião tendo como meta o bem-estar e o desenvolvimento da nossa terra em vez do próprio umbigo.
Após ler atentamente o seu comentário retenho uma ideia: Não seria melhor mudar o nome da Casa para “Ludoteca João de Deus”?
Julgo que aquilo que me tenta dizer é que os Museus modernos têm outras valências e “atracções” e que o Museu do Traje será mais do que um simples museu (como aliás a CMJD já é). Mas eu pergunto: se abrem um espaço e lhe dão um nome que afinal não representa aquilo que na realidade ele é, então algo está mal?! Mal comparado isto é como abrir um espaço comercial, com dois lindos manequins vestindo a última moda na montra, mas que da porta para dentro é especialista em servir bifanas e sandes de torresmos. Chamamos-lhe o quê?! Boutique ou Snack-Bar? Será que abrimos museus para arranjara pretexto para ter espaços de convívio, bibliotecas, ludotecas, videotecas e outros para os nossos jovens?! Se é assim porque é que não se abre logo um de cada e se deixa a “treta” do museu de lado!
Sem imagem de perfil

De gabriela rocha martins a 02.11.2009 às 12:53

caríssimos amigos Ccor e Paulo ( que me perdoe o primeiro que também não vislumbro quem possa ser ,mas a quem reconheço uma enorme generosidade )

em primeiro lugar ,muito obrigada pelas vossas palavras, mas ,vamos ao que interessa

não há confusão ,absolutamente ,alguma entre as pessoas e as instituições e no caso particular da Casa Museu João de Deus muito menos ,porque tudo o que ,desde 1997 - ano da sua inauguração - até hoje ,aqui tem sido levado a cabo ,é devido a uma equipa ,pequena ,mas muito solidária ,com muito boa vontade ,algum saber e muito atenta a tudo o que se vai fazendo no mundo da museologia ( fundamentalmente das Casas Museus ) em Portugal e no estrangeiro .fomos pioneiras em muitas coisas e daí a minha manifestação de mau estar quando li o post .querem conhecer um pouco ( muito ) do que tem sido a Casa Museu João de Deus, ao longo destes anos? então, por favor, visitem o seguinte site:
http://casamuseujoaodedeus.blogspot.com
carreguem nos vários links e poderão acompanhar ,a passo e passo ,o que foi e o que é este espaço aberto à Comunidade...

quanto a si ,Paulo.
não .a Casa Museu jamais poderia ter esse nome .é demasiado limitativo para todas as valências que temos .a Casa Museu João de Deus vive, essencialmente, da memória de João de Deus, pondo em prática, diariamente ,a pedagogia do seu patrono .não somos apenas um espaço aberto às crianças e aos jovens, somos, também, um espaço aberto aos adultos que nos procuram na Biblioteca e aos Turistas que aqui buscam o "espírito do lugar", um pouco/muito da vida e da obra de João de Deus .além disso, e, ao longo de parcerias várias, temos editado obras - tantas são que este espaço é pouco para enumerá.las .aliás, todos os anos assim procedemos com a caixa Agrícola, no dia 8 de Março .aliás, o único ano em que não fizemos esta parceria ,foi o ano passado em que, dado a relevância da Exposição que a Junta de Freguesia levou a efeito ,cedemos à Junta esse privilégio, o que muito admirou o então Presidente porque - segundo palavras suas - não estava habituado a gestos como esse .e fizemo.lo, porque era São Bartolomeu de Messines e a sua História que estava em jogo, assim como um pouco da história de João de Deus e da sua Casa Museu. mas tínhamos e temos ,em calha ,uma obra a ser proposta para o próximo ano que irá dar um visão diferente, actual e muito completa de João de Deus ,fruto de selecção, recolha e muito estudo sobre o vate messinense .parcerias temo.las feito ,desde o início com as Escolas - sem excepção - , Grupos de Teatro ,GNR ,Casa do Povo ,outras Casas Museus ,Bedetecas ,Instituições Culturais, Universidades, Bibliotecas ,locais ,regionais e nacionais pelo que não poderei aceitar ,de modo algum ,o nome de Ludoteca ,porque assaz limitativo ,a todas as valências da Casa Museu João de Deus .ideias ,propostas para o enriquecimento das suas/nossas actividades serão sempre muito bem vindas .mas para isso ,não são necessárias comissões .aliás, querem melhor exemplo do que as reuniões/comissões para as Comemorações do dia 8 de Março?aqui temos um óptimo exemplo .... venham ter connosco .respondam aos nossos apelos .não se fechem em capelinhas ,porque criticar é fácil e mais fácil ainda quando desconhecemos as coisas .as nossas portas estão sempre abertas e todas as sugestões são muito bem vindas ,desde que ,obviamente ,exequíveis.
quanto ao Museu do Traje.... aí a história é outra .tenho muita pena que tenha virado um mero repositório de trajes e lugar de ensaio do Rancho Folclórico de São Bartolomeu de Messines ,cuja história nem sequer foi contada convenientemente.... mas isso é outra história que nada tem a ver com a verdadeira história do rancho e sua fundação .é pena que a política se misture de forma tão promíscua com a Cultura ,dando azo a que esta última não possa ser aproveitada - e no caso dos museus particularmente - em todas as suas valências.
mas visitem o blogue da Casa Museu João de Deus e já agora, façam um favor à cultura de São Bartolomeu de Messines .DIVULGUEM.NO .talvez assim possamos ,de facto, falar - todos - a mesma linguagem - a da verdade...

quanto ao comentador dos ATLs, com todo o devido respeito ,não respondo.

um abraço ,com verdadeira amizade ( e recíproca admiração ).
Imagem de perfil

De ccor a 02.11.2009 às 20:04

Cara Gabriela,
Fui ver o site que recomendou.
GOSTEI!
Os meus parabéns. Ajudou a mudar a ideia que tinha do Museu.
Agora fiquei com uma grande angústia. Já não sei qual das realidades é a verdadeira, se esta que se vê no site ou aquela que encontrei quando visitei a casa museu. O espaço estava arranjado e vislumbrava-se as suas imensas potencialidades, no entanto encontrava-se vazio e sem actividades significativas.

Escolhi assumir que possivelmente ambas são reais e que o que se vê no site é o resultado natural da evolução do seu trabalho.
A ser assim permita que lhe faça uma pequena critica (construtiva), o espaço está muito mal divulgado. Digo-lhe que passei em Messines todo o mês de Agosto e nem num só dia ouvi falar de qualquer actividade que lá se estivesse a passar.
Penso que será de todo o interesse divulgar mais este espaço e o trabalho que lá se faz.
Cumprimentos e votos de continuação de bom trabalho.

CcoR
Sem imagem de perfil

De gabriela rocha martins a 03.11.2009 às 13:07

caríssimo Amigo,

nada de angústias! ,porque ,como diz e muito bem ,ambas as realidades são verdadeiras .há dois meses no ano - julho e agosto - que correspondem aos meses de férias do pessoal da Casa Museu e em que ,não temos actividades .e isto tem uma explicação que se prende com o meu anterior comentário .somos uma equipa muito pequena e que ,nessa altura do ano - férias de verão - tem sempre muita dificuldade em manter o simples e normal funcionamento da Casa Museu .mantemos ,no entanto ,a porta aberta , primeiro porque sabemos que em termos tusísticos são os de maior número de visitas - e compreende.se porquê - e depois, para que as nossas Crianças e Jovens que não têm possibilidades ( infelizmente ainda as há ) de saírem de Messines ,terem um espaço onde possam ,de uma forma saudável ,passar o seu tempo .além disso ,estes dois meses são ,em termos locais ,dois meses "mortos" ... nos primeiros três anos de funcionamento da Casa Museu ainda tentámos alguns eventos que ,devido à fraquíssima assistência ,deixámos de programar .digo.lhe que a tarefa de manter ,anualmente ,actividades internas e que envolvam o meio ,não é nada fácil e só a persistência e a nossa não desistência é que mantêm o ritmo desta Casa Museu .daí o sentir com maior acutilância as críticas ( que acredito positivas ) que nos são feitas .todavia ,algumas aceito.as com toda a justeza como a que agora nos faz .tem toda a razão de ser e eu ,em nome da Casa Museu João de Deus ,agradeço.a ... mas também no que a tal matéria concerne já tudo tentámos ... e continuamos a insistir .daí a necessidade que sentimos na criação do site .e mais... todos os meses ,mandamos as actividades para os Orgãos de Comunicação ... à excepção do jornal Terra Ruiva ( mensal ) raramente as actividades são mencionadas .o mesmo no que diz respeito à Direcção Regional de Cultura e à RTA .há referências ,igualmente ,no site da Câmara .aumentamos o nosso protocolo ,mas...... não encontramos feedback! acredite que ,às vezes ,a vontade é de desistir e só não o fazemos porque "quem nasce torto ,tarde ou nunca se endireita"
mas que fique claro .concordo ,em absoluto consigo
tenho consciência que a divulgação é insuficientíssima .por isso e ,em nome da Casa Museu ,aceito todo o tipo de sugestões que nos possa fazer
obrigada
Sem imagem de perfil

De PINTO a 01.11.2009 às 14:11

É museu ou ATL?

Comentar post


Pág. 2/2





Comentários recentes

  • Anónimo

    Tem o PDF do livro?

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...