Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    Tem o PDF do livro?

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...



subscrever feeds



 

Há muitos anos que defendo que um dos grandes problemas do nosso país é a duração dos “telejornais”. Nós não temos país para espaços noticiosos com mais de 20 minutos, já incluindo o desporto, a meteorologia e a agenda cultural… mas os espaços estão feitos para 1H a 1:30H!! É preciso uma grande dose de imaginação, outra de demagogia, um punhado de irresponsabilidade e uma pitada de mau gosto para conseguir cozinhar “aquilo”.
Assim se explica que todos os canais respirem de alívio quando acontece uma tragédia como a que aconteceu no Haiti ou na Madeira… durante muitos dias não vão ter que inventar notícias porque já têm na mão aquilo que nós portugueses gostamos: desgraça alheia! É por isso que o jornal mais vendido em Portugal é o Correio da Manhã e que o noticiário mais visto é o da TVI… ali estão todas as desgraças capazes de alimentar o nosso espírito e garantir que vamos continuar a ser infelizes, negativos, atrasados e desconfiados.
Mas há mais. Não sei se sabem mas somos o único país da União Europeia onde o horário nobre da televisão é preenchido com novelas. Apenas existe coisa assim na América Latina (essencialmente Brasil e México) onde as novelas são o escape natural (a forma de viver a vida de outras pessoas) das donas de casa oprimidas, de desempregados e analfabetos.
Poderíamos então dizer que temos a televisão que merecemos. O que não merecemos é que o Estado continue a pagar, usando para isso o nosso dinheiro, o monstro chamado RTP. Até concebo que exista uma televisão pública com conteúdos simples, baratos e centrada no apoio à actividade do Estado (não do Governo). Agora ter uma “mega-estrutura” a competir com os privados em situação de clara vantagem (basta dizer que qualquer empresa privada teria falido no primeiro mês), a contratar profissionais a peso de ouro, a disputar direitos desportivos (é uma vergonha a RTP ter oferecido mais do que a SIC e a TVI pelos direitos da Liga de Futebol, para o contribuinte foi a diferença entre ver de graça e sair-lhe do bolso… em nome de quê???), a torrar fortunas em produções ridículas e programas deprimentes… isso já me incomoda.
Também me incomoda quando olho para as contas da RTP e vejo que custa aos cofres do estado mais de 200 milhões de euros por ano (o que daria para reformar todo o parque escolar do 1º ciclo) e tem um passivo acumulado de 800 milhões de euros… Já nem vou falar dos ordenados e regalias dos seus quadros superiores, porque isso é outra “guerra”.
Tinha esperança que o PEC atacasse esses monstros sagrados que são a RTP e a TAP mas em vez disso, mais uma vez, irá atacar os mesmos de sempre. Os que não fogem aos impostos, trabalham, descontam e já pagavam a “loucura” que é este país. Caminhamos a passos largos para algo muito complicado. Ainda não sei bem o quê…

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





Comentários recentes

  • Anónimo

    Tem o PDF do livro?

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...



subscrever feeds