Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    Tem o PDF do livro?

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...





Chegar à Lua

28.08.10

 

Há 102 anos um jovem empresário americano ousou "apontar para as estrelas" e avançar com um projecto que viria a revolucionar o Mundo. Em 1 de Outubro de 1908 saia para a rua o primeiro Ford T. Hoje parece evidente que lançar um automóvel seria aposta ganha, na altura Henry Ford, assim se chamava o jovem, terá dito que esta era uma aposta ousada porque "perguntando às pessoas o que poderia fazer para as ajudar a chegar mais depressa aos seus destinos, a resposta obtida era, invariavelmente, a mesma: arranje-nos um cavalo mais rápido."

Mais de um século depois o Mundo mudou. As coisas acontecem a uma velocidade vertiginosa e todos os dias aparecem e desaparecem do mercado centenas de produtos, de ideias e de projectos que têm como ponto comum a falta de ousadia, de planeamento, de originalidade e, sobretudo, a falta de ambição... o tal "apontar para as estrelas" que já referi.

Olhando para o nosso concelho, que como já sabem é invariavelmente o tema central deste espaço, poderemos dizer que mais de uma década de vulgaridade, falta de ideias, falta de ambição, falta de planeamento e falta de coragem são as causas de todas as "nossas dores". Durante os mandatos do PSD em Silves a bitola foi sempre a mesma: fazer o que outros fazem, não arriscar nem ousar, manter as expectativas baixas e desencorajar todos os que tentaram puxar o concelho para cima. Com isso consegue-se conservar mais facilmente o poder, todo o manual do político à venda no Continente o diz.

Sem querer discriminar ninguém, e baseando-me apenas na lógica política que tem imperado neste país, parece óbvio que o PS está na "pole-position" para, daqui a 3 anos "agarrar" o poder em Silves. Demonstrou-se já vontade de mudar a orgânica e a dinâmica da concelhia local mas, na minha opinião, a mudança não basta. É preciso uma revolução.

Para ganhar as eleições em 2013 basta ao PS não fazer grandes ondas, explorar os "podres" que abundam na actual gestão e, um ano antes das eleições, começar a "juntar as tropas"... tropas essas que estarão mais motivadas que nunca. A questão é se o que queremos é uma nova gestão, capaz de travar o afastamento do nosso concelho em relação aos outros do Algarve, ou uma nova era, capaz de levar o concelho de Silves a ser de novo o melhor e mais pujante da região... ou do país. O Algarve irá crescer a um ritmo alucinante nos próximos anos, a retoma pode tardar mas não falhará e com ela muitos emergirão... porque não Silves?!

 

Manuel da Luz conseguiu em Portimão algo de extraordinário. Muitos dirão, no conforto do presente, que Portimão é diferente... o certo é que por ali ouve uma equipa que não jogou para ser quarto, terceiro ou segundo. Desde o dia 1, em 1997, o presidente Manuel da Luz "jogou" para ser primeiro. Apontou às estrelas. Sem conhecer grandes pormenores arrisco dizer que no princípio seria apenas ele a sonhar, mas aos poucos muitos outros foram sendo contagiados pelo entusiasmo e pela adrenalina que nos dá lutar por coisas grandes, lutar por ser o melhor.

Quem luta por um sonho não faz promessas vãs. Não precisa. Basta apenas que fale desse sonho, que entusiasme um de cada vez, que o melhore dia após dia. As pessoas seguem quem tem a ousadia de sonhar, mesmo que isso leve tempo.

Para que o PS seja, em 2013, a base de uma nova era e não apenas a base de um novo ciclo político é preciso pensar grande. É preciso começar já a criar um "sonho", a lançar as bases para um projecto que apaixone as pessoas, que as faça exclamar "UAU!!! Eu quero fazer parte disto." Não é "aproveitando politicamente" o sentimento da maioria da população em cada situação que se consegue uma nova era. Com isso consegue-se um "Job", visibilidade e mais do mesmo. A forma mais eficaz de mudar o paradigma é criar o tal sonho (ou a causa, ou a meta... o que lhe quiserem chamar) e entusiasmar um pequeno grupo. Esse grupo encarregar-se-á de espalhar o "vírus" e potenciar a verdadeira mudança que é a mudança das atitudes, das mentalidades... das pessoas.

Esta é a hora. Se agora "apontarmos às estrelas".... Talvez se consiga "acertar na Lua!"

Autoria e outros dados (tags, etc)


9 comentários

Imagem de perfil

De Paulo Silva a 07.09.2010 às 18:12

Estimado Joaquim Santos,

É sempre um prazer voltar a tê-lo por cá.
Em relação ao seu comentário, e não querendo armar-me em defensor do presidente Manuel da Luz, permita-me apenas que lhe diga que os rácios de endividamento de Portimão são iguais aos de muitas outras câmaras municipais do Algarve. A diferença é que nas outras nada foi feito, não há emprego, não há valorização da propriedade pública e privada, não há infra-estruturas e não há ideias nem futuro... Existem ainda duas outras diferenças. A primeira é que em Portimão os munícipes não são esfolados pela autarquia com as mais altas taxas e contribuições do Algarve, a segunda é que as empresas municipais de Portimão ainda têm quem as compre!
Quando se lançam projectos existe sempre uma boa dose de risco. Esta crise não estaria nos planos de ninguém e muito menos de uma Câmara como a de Portimão. No entanto o risco é sempre melhor do que a inércia, porque essa leva-nos onde estamos agora, aqui… em Silves.
Sem imagem de perfil

De Tânia Mealha a 11.09.2010 às 00:46

Paulo,

Portimão em termos financeiros não é exemplo para ninguém, e ou estou muito enganada ou algo me diz que nos próximos tempos vamos ouvir falar de portimão mas não pelas melhores razões...
Tudo bem que trouxe uma data de eventos para a cidade, aliás para a Praia da Rocha!, mas os rendimentos desse investimento não têm saldo positivo. Ou há má gestão dos lucros, ou então não foram assim tão bem planeados ou ponderados os custos...

Depois se a tua intenção é transmitir segurança aos cidadãos do concelho de Silves estas tuas palavras não me parecem muito adequadas:
"Para ganhar as eleições em 2013 basta ao PS não fazer grandes ondas, explorar os "podres" que abundam na actual gestão e, um ano antes das eleições, começar a "juntar as tropas"... tropas essas que estarão mais motivadas que nunca".
NÃO FAZER ONDAS, EXPLORAR OS PODRES: olha os telhados de vidro e o chão de estalagmites!!!!!!! É que não fazer ondas é coisa que o PS Silves a julgar pelas posturas de alguns dos seus representantes não sabe não fazer. Quanto aos podres, olha que a origem de alguns e a perpetuação de outros neste concelho se deve às posições e acções que alguns dos dirigentes do PS Silves muitas vezes tomam. Para além disso como programa para o PS Silves levar a cabo para alterar o concelho, é um programa muito pobre que mostra zero ambição, é mais um deixa andar. Vamos deixá-los fazer merda, para depois nos armarmos em salvadores, quando os ajudámos a chegar aqui...

Quando a Drª Lisete era a presidente da concelhia de Silves dizias que tinham que existir mudanças. Existiram algumas, mas a pergunta é: é esta a concelhia que defendias? esta maneira de estar na política e de a levar a cabo?
Não me parece que tenha mudado para melhor...
Imagem de perfil

De Paulo Silva a 11.09.2010 às 01:39

A isso respondo-te em off... em redor de um polvo à mussiene e de um belo tinto.

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    Tem o PDF do livro?

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...