Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Comentários recentes

  • Anónimo

    Tem o PDF do livro?

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...





"Estórias"

23.09.10

Há um vereador que tem um blog. Um blog que nos conta “estórias”. Estórias que nem para meter meninos a dormir servem. E assim começa este post…

O Partido Socialista abster-se na votação autárquica que conduziu à subida das taxas de IMI para o máximo, com o argumento da estabilidade e responsabilidade política, é o mesmo que tratar um bêbado com mais uma garrafa de whisky. Por isso vamos por partes, como dizia o “Estripador”…

A responsabilidade de um partido da oposição é, e sempre foi, proteger todos os cidadãos dos excessos e totalitarismos que sempre aparecem com o poder. Se as pessoas votam diferente é porque esperam atitudes diferentes, políticas diferentes, resultados diferentes…

A responsabilidade de um partido da oposição NÃO É, NEM NUNCA FOI, DAR COBERTURA A POLÍTICAS COBARDES E EXPLORADORAS DOS CIDADÃOS. Nos últimos 3 mandatos autárquicos temos andado a votar PS e com isso a fortalecer a actual gestão do PSD. Desde o apoio de praia em Armação de Pêra, passando pela Central de Lamas de Messines, acabando na nas taxas do IMI… em inúmeras vezes o voto no PS foi útil para o PSD continuar a “reinar” e maltratar os silvenses. Perante isto até acho normal que muitos socialistas tenham passado a votar noutra força política! Com a continuidade disto vamos deitar à rua o futuro deste concelho.

 Depois temos a questão da coerência. “O PS irá propor na próxima reunião a contenção das despesas. Fala-se no aumento de impostos mas nada se faz para diminuir as despesas. Como se tudo isso fosse inevitável. A Vereação Socialista não aceita e irá apresentar uma proposta de contenção de despesas. Nada de orçamento participativo...” – isto, com a devida vénia a um leitor atento, é a reprodução de um texto publicado no blog do Vereador Fernando Serpa a 11 de Setembro de 2010. Passada uma semana tudo muda e aprova-se o aumento.

Temos depois a questão de política interna. Ao que julgo saber a Comissão Política do PS Silves não têm, nem nunca teve, dúvidas em relação à questão do IMI. No entanto, e apesar de terem tido a oportunidade de levantar essa questão em sede própria, a vereação preferiu discutir assuntos menores desviando a atenção sobre aquilo que se preparavam para fazer. A abstenção na votação apanhou todos de surpresa e demonstrou que os vereadores não estão a ser capazes de representar o Partido.  

Eu leio o blog do Dr. Serpa e, perdoe-me ele, fico com a impressão que nenhum vereador do PSD faria tanto pelo partido de Isabel Soares. Vejam por exemplo a passagem (também extraída do seu blog): “Claro está, o meu apoio não é gratuito. Pressupõe a elaboração de um Orçamento responsável, credível e passível de enfrentar as dificuldades que se avizinham em 2011.” Ora, perante isto, o que podemos dizer?! Todos sabemos que em política isto… NÃO QUER DIZER NADA!! ABSOLUTAMENTE NADA!! Espanta-me depois que se admirem que a opinião pública equacione que as contrapartidas desta política “sabuja” possam ter cariz meramente “privado”! Até eu já começo a ponderar essa hipótese!

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Sem imagem de perfil

De maria gaivota a 23.09.2010 às 22:53

que coincidência, o Drº Serpa também não publica o que eu escrevo, mas julguei que não me levava a sério, porque infelizmente tenho nome de pássaro.....afinal também há outras pessoas a quem ele faz o mesmo. Ufff!!! que alivio.

Comentar post





Comentários recentes

  • Anónimo

    Tem o PDF do livro?

  • Anónimo

    mais um profeta da desgraça

  • António Duarte

    Para Marinho Pinto chegar a uns 15% não precisará ...

  • António Duarte

    Fico satisfeito por ver que o rapaz ainda está viv...

  • Raposo

    O que eu gostei mais da entrevista foi de saber a ...